Faça do seculodiario.com sua home

Siga
Twitter Facebook RSS

PUBLICIDADE

Estadio
Ivanilton Emiliano dos Santos, que era dono do Hotel Nobre, em Conceição da Barra, foi algemado e levado para delegacia de São Mateus

Delegado repreende PM que deteve ilegalmente ex-dono de hotel no norte do Estado

No início do mês, os metalúrgicos já haviam rejeitado a proposta das empresas por ausência de ganho real

Metalúrgicos rejeitam proposta de empresários do grupo Sindifer

Em denúncia ao MPF de São Mateus, quilombolas de Sapê do Norte relataram o cenário de destruição

Aracruz Celulose avança sobre áreas de preservação permanente com seus correntões

A escadaria do Palácio Anchieta amanheceu pintada de vermelho; vigília denuncia a violência no Estado

Atos marcam Dia Internacional de Não Violência Contra a Mulher

Criada e organizada por alunos do curso técnico de Arte Dramática da Fafi, o espetáculo se apresenta no Carlos Gomes

Peça teatral Inventário revive o contexto da ditadura militar

Estado civil deixa desabrigado sem aluguel social em Aracruz
Genivaldo Rodrigues dos Santos receberia o benefício da prefeitura até a construção de casas populares, mas foi cortado do programa por ser solteiro

Flávia Bernardes

22/08/2013 16:41 - Atualizado em 27/08/2013 17:17


Uma das vítimas da truculenta desocupação do bairro Nova Esperança, em Aracruz, norte do Estado, em 2011, não irá mais receber o salário social que estava sendo pago pela administração municipal porque é solteiro. A denúncia foi feita nesta quinta-feira (21) pela ONG Barra do Riacho, que se reúne semanalmente com os desabrigados na tentativa de cobrar o início das obras das casas populares prometidas pela prefeitura ainda na gestão do ex-prefeitos Ademar Devens (PMDB). 
 
Segundo o presidente da ONG, Herval Nogueira, a prefeitura cortou o benefício alegando que Genivaldo é solteiro, não possui família e, portanto, não teria direito ao salário social. 
 
“Cada hora eles colocam um impedimento. Eles entram na sua casa e se você não tem nenhum móvel eles cortam porque dizem que você não merece a verba. Se entram e dão de cara com um sofá novo eles não pagam sob a alegação de que você tem condição financeira. É a forma da prefeitura se omitir do problema”, denunciou  
 
 
O líder comunitário contou que Genivaldo se encontra acampado na mesma quadra para onde foram levadas as famílias de Nova Esperança, em 2011, quando após uma ação truculenta do Batalhão de Missões Especiais (BME), 300 famílias tiveram suas casas destruídas. “Ocorre que agora é só ele e a quadra, que por sinal, já está tomada de usuários de droga de tão abandonada que está”, contou Herval. 
 
Ele explica que a prefeitura vem dificultando o início das obras. “A prefeitura alega que há um desencontro entre o projeto e o PDM da cidade, que a porta do banheiro não pode dar na cozinha e neste conflito, não libera a área para a construção. No mesmo momento, vem colocando obstáculos para o pagamento do aluguel social, deixando todos os desalojados de Nova Esperança na iminência de não terem mais pra aonde ir”, contou.
 
Segundo Herval, após reunião entre a comunidade que vivia em Nova Esperança e o Ministério Público Estadual (MPES), o órgão deverá entrar com um pedido de mandado de segurança para que sejam iniciadas as obras de construção das casas. 
 
Além disso, uma nova reunião será realizada entre os moradores para organizarem uma ação radical contra o que foi classificado como “desmandos da administração pública municipal”. 
 
De acordo com Herval, no Termo de Ajuste de Conduta assinado pela prefeitura para garantir moradia aos desabrigados, não há nenhum dispositivo excluindo pessoas solteiras de receberem aluguel social. Pelo contrário, segundo o líder comunitário, o acordo prevê a cobertura do benefício para todos os desalojados de Nova Esperança, caso de Genivaldo. 

PUBLICIDADE

  

PUBLICIDADE

Editorial

A OAB foi mais OAB

O conselho da OAB-ES deixou a politicagem de lado e votou pela defesa das prerrogativas dos advogados. Resultado: derrota da Amages e (parcial) dos Moulin

A perda do espaço no Sebrae deveria servir de sinal para o partido procurar um outro caminho político no Estado

Renata Oliveira

O PT perdeu

A perda do espaço no Sebrae deveria servir de sinal para o partido procurar um outro caminho político no Estado

E ainda se perguntam por que os dinossauros se auto-extinguiram

Wanda Sily

Todo tempo conta

E ainda se perguntam por que os dinossauros se auto-extinguiram

Os mafiosos em campanha ignoram que desde a ditadura militar o Brasil financia obras no exterior

Geraldo Hasse

'Obras prontas do PT'

Os mafiosos em campanha ignoram que desde a ditadura militar o Brasil financia obras no exterior

BLOGS

Irremediavelmente divorciado da sociedade.

MOVIMENTO
Alvaro Nazareth

Congresso Nacional

Irremediavelmente divorciado da sociedade.