Seculo

 

Fórum Popular divulga manifesto contra lei do PDM de Vila Velha


14/09/2013 às 18:37
O Fórum Popular em Defesa de Vila Velha (FPDVV) publicou nessa sexta-feira (13) um manifesto para esclarecimento sobre as últimas movimentações do Executivo e da Câmara de Vereadores sobre o Plano Diretor Municipal (PDM). A entidade igualou a proposta do Projeto de Lei (PL) 035/13 do prefeito Rodney Miranda (DEM) à do seu antecessor Neucimar Fraga (PV), ambos com objetivos claros de alterar radicalmente os parâmetros urbanos da cidade. 
De acordo com o manifesto, o processo, que passou despercebido pela mídia corporativa, foi feito sem o devido processo de consulta à sociedade civil, como estabelece a Lei Orgânica do Município e o Estatuto da Cidade. 
 
O Fórum ressalta que a sociedade civil organizada só ficou sabendo na iniciativa enviada pelo Executivo à Câmara de Vereadores dois dias antes da sua votação. E ainda a surpresa diante dos acordos firmados anteriormente com a prefeitura.  
 
De acordo com a entidade, em 28 de maio de 2012, o Tribunal de Justiça do Estado (TJES) votou a inconstitucionalidade de 13 artigos do PDM de 2007, mas a nova lei aprovada no município praticamente traz à tona  os mesmos artigos. Com a declaração de inconstitucionalidade, disse a entidade, esperava-se um esforço da prefeitura na retomada do debate com a sociedade. "Entretanto, a administração foi relativamente lenta neste processo, e em abril do corrente ano, encaminhou um projeto de lei para regulamentar os artigos que substituiriam as questões consideradas inconstitucionais (o PL 009/2013), sem qualquer diálogo com a sociedade".
 
O PL  em questão chegou a ser retirado de votação na Câmara e encaminhado para debate em uma única audiência pública, realizada em abril, sendo posteriormente freado pelo efeito de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), em maio deste ano.  
 
“Com isto a maioria dos projetos aprovados no governo anterior seriam legalizados e liberados segundo a legislação anterior à Adin. O Tribunal de Justiça se manifestou de forma unânime, rejeitando a petição da Câmara. Só a partir daí houve um esforço concreto do município para regulamentar os 13 artigos, o que ocorreu após uma reunião no Ministério Público entre setor da construção civil, o Fórum Popular em Defesa de Vila Velha e representantes da Câmara. Fruto deste acordo foi aprovado na Câmara a Lei 5.430, regulamentando os treze artigos, em 28 de junho”, pontuou a entidade.
 
Ocorre, porém, que logo depois a sociedade civil organizada foi surpreendida por um novo PL. Segundo o Fórum, o Executivo ignorou a decisão do TJ, o processo de debate iniciado em 2011 e a própria Lei 5.430 e fez votar, em 5 de setembro, a Lei 5.44, estabelecendo parâmetros urbanísticos para os projetos protocolados até 28 de maio de 2012, restabelecendo para estes o mesmo regime urbanísticos dos artigos declarados inconstitucionais, "numa clara afronta ao movimento popular, ao Ministério Público e ao próprio Tribunal de Justiça".
 
O Fórum lembra que chegou a recorrer ao MPES, que fez nota recomendatória à Câmara pedindo a retirada do projeto da pauta de votação e o necessário debate sobre o assunto. Mas os pedidos foram ignorados e o projeto foi à votação em regime de urgência, com o voto favorável de 13 dos 14 vereadores presentes. "Note-se que este projeto também não foi submetido ao Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano [Comdur]”. 
 
Para a entidade, a iniciativa do Executivo e a anuência da Câmara é arbitrária. “O Fórum popular vem a público denunciar este fato e pedir a urgente mobilização de todos os que lutam por uma ocupação ordenada da cidade segundo parâmetros que considerem não apenas o interesse privado, mas principalmente, uma cidade ambientalmente equilibrada e com qualidade de vida”, concluiu. .

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Tudo dominado'

Até agora, o terreno parece armado para permitir que César Colnago acumule a vice-governadoria com a presidência do PSDB no Estado. Só parece?

OPINIÃO
Editorial
Ajuste fiscal, a 'isca' do negócio
Hartung tem feito publicidade nacional para mostrar que o ES é o novo paraíso para investidores. Esconde, porém, os problemas internos, que não são poucos
Piero Ruschi
Risco à natureza gera efeito bolha em turismo de Santa Teresa
Desenvolvimento tem sido norteado pelo crescimento do turismo e seu potencial. Mas ‘corre solto’, o que pode ter um preço alto demais
Renata Oliveira
Tem que saber separar
Governador troca ministro por conversa com jornalistas, só para evitar Rose de Freitas
Gustavo Bastos
Swinging London
Um dos pontos de convergência em que a arte em geral se movia
Caetano Roque
Sindicalismo unilateral
O processo de debate no movimento sindical deve ser participativo, mas não é isso que vem acontecendo no país
JR Mignone
Proliferação de rádios na internet
Fazer rádio todo mundo gosta e quer fazer, mas fazer rádio de bom gosto ainda é difícil
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Este blog fica por aqui
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Algo de novo no ar
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Sindicalismo unilateral

Hartung se reúne com Rodrigo Maia em Brasília

Tem que saber separar

Tribunal de Contas volta a cobrar informações sobre venda da Cesan

'Tudo dominado'