Faça do seculodiario.com sua home

Siga
Twitter Facebook RSS

PUBLICIDADE

Advogado de José Eduardo Oliveira, Ricardo Ribeiro (foto), lamenta que o conselho classista tenha arquivado o procedimento e vai recorrer

CRM arquiva procedimentos contra oftalmologistas acusados de erro médico

Segundo a senadora Ana Rita, o projeto que tipifica o assassinato de mulheres por motivos de gênero expõe desigualdade entre homens e mulheres

Feminicídio pode se tornar crime hediondo

Além de plantar eucaliptos em corpos d'água, empresa intensificou lançamento de veneno nas comunidades

Aracruz Celulose intesifica ofensiva contra terras quilombolas

A antiga Colônia de Itanhenga já foi a morada dos vitimados pela hanseníase no Espírito Santo. Ali os doentes eram isolados do convívio social. Ainda assim, há histórias como a de Seu Guido

No Pedro Fontes, a hanseníase virou força, sabedoria e coragem

Bairro, localizado na região mais problemática de Vila Velha, Terra Vermelha, recebe 496 unidades do programa

Minha Casa, Minha Vida divulga selecionados da segunda etapa de residencial em Jabaeté

Prefeitura de Vitória lançará edital para estudos do Projeto Acquário
Localização do parque marítimo, que servirá como novo ponto turístico da Capital, é motivo de críticas da sociedade civil

Any Cometti

10/12/2013 18:54 - Atualizado em 17/12/2013 22:15


No próximo dia 27, a Prefeitura de Vitória lançará o edital para contratação dos estudos de viabilidade técnica e econômica do Projeto Acquário Vitória. A Prefeitura pretende que o local, uma espécie de “oceanário” que reunirá várias espécies da vida marinha dos quatro oceanos (Atlântico, Ártico, Índico e Pacífico), seja um centro de pesquisas científicas em parceria com o Instituto de Oceanografia da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e também um local para visitação de turistas e de moradores. O projeto do Acquário é desenvolvido pela Companhia de Desenvolvimento de Vitória (CDV).
 
Segundo o prefeito Luciano Rezende (PPS), o edital prevê que os estudos definam a localização, o modelo de negócio, a viabilidade técnica, questões ambientais e o custo do projeto. A proposta de ocupação de um espaço da Praça do Papo, como anunciado anteriormente, motivou críticas da sociedade civil organizada.

Os moradores da Capital não querem que um espaço já existente e consolidado de uso público seja sacrificado. Eles sugeriram que o parque fosse construído na área atrás do Shopping Vitória e, inclusive, entregaram sugestões de uso para as áreas voltadas ao mar ao prefeito, em uma das primeiras reuniões do Gabinete Itinerante, projeto implantado na sua gestão. Em manifestações nas redes sociais, os moradores defenderam que o uso da área atrás do Shopping também seria uma forma de preservar a região do crescimento desordenado da cidade.
 
A área em questão, conhecida como ZEE8, é palco de um enfrentamento entre os moradores da região e o Grupo Buaiz, que quer construir torres residenciais e comerciais na região. Entretanto, o projeto está paralisado por conta de uma recusa da população durante uma audiência pública em 2012, mesma ocasião em que foi reivindicado que a área fosse devolvida ao Exército para construção de equipamentos de lazer. A região foi uma doação ao Grupo Buaiz.
 
A sociedade civil organizada encontra respaldo nas propostas do economista e professor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Arlindo Villaschi, que defende o melhor aproveitamento de espaços vazios da Capital, o que aumenta a competitividade turística e a qualidade de vida para moradores e visitantes da cidade.
 
Villaschi propõe a criação do Museu do Mar e do Aquário Municipal na área em questão e declara que implantar o parque marítimo na Praça do Papa seria o mesmo que implantar o aquário no Parque Moscoso, no Centro, ou na Curva da Jurema, por exemplo. Ao invés de substituir as poucas áreas de lazer existentes, ele defende a criação de novas áreas. 
 
A previsão é de que o projeto de implantação do novo ponto turístico e de pesquisa tenha três fases e, já na primeira, a Prefeitura terá a noção exata da implantação ou não do projeto. Será neste momento que acontecerão os estudos preliminares do projeto. A segunda fase será de desenvolvimento do projeto executivo de arquitetura e urbanismo e dos projetos complementares de engenharia. E a terceira será a execução das obras e a implantação modular do Acquário.

PUBLICIDADE

  

PUBLICIDADE

Editorial

De acusada a vítima

Paralelamente à manobra para reprovar as contas do governador, Hartung trabalha para transformar a futura primeira-dama em vítima

Os Ivos foram impiedosamente perseguidos por essa uva abstrata dos livros escolares

Wanda Sily

Ivo e a uva

Os Ivos foram impiedosamente perseguidos por essa uva abstrata dos livros escolares

Revanchismo de Hartung com Casagrande via Assembleia apequena a imagem dos parlamentares

Renata Oliveira

Quem perde?

Revanchismo de Hartung com Casagrande via Assembleia apequena a imagem dos parlamentares

O caso da Petrobras é a ponta do iceberg da corrupção no mar das obras públicas

Geraldo Hasse

O pré-sal da maracutaia

O caso da Petrobras é a ponta do iceberg da corrupção no mar das obras públicas

BLOGS

Para compreender o que é

MOVIMENTO
Alvaro Nazareth

Direitos Humanos

Para compreender o que é