Seculo

 

Xamãs fazem cura e reavaliam a vida do povo Guarani


16/12/2013 às 14:32

    Fotos: Rogério Medeiros

No último domingo, na Aldeia Guarani Três Palmeiras, em Santa Cruz, no município de Aracruz, xamãs das principais aldeias guarani do país, iniciaram um encontro que vai até quinta-feira (19). São nove xamãs, sendo cinco homens e quatro mulheres, com os propósitos de reavaliar a vida do povo Guarani e levar a cura para os que estão doentes nas  suas quatro aldeias localizadas no município de Aracruz.

O xamã que no domingo realizou curas é parente de Tatantin Rua Retée (foto), a xamã que conduziu o grupo Guarani no Espírito Santo e gerou as atuais aldeias. Isto foi na passagem dos anos 60 para os  70. Quando pelas características geográficas da região, ela entendeu que havia chegado à Terra Sem Males (uma ideia de paraíso que estava incumbida de levar um grupo Guarani.
 


Esse encontro nacional dos xamãs no Espírito Santo pode parecer, à primeira vista, modesto pelo número de participantes, mas, em se tratando de xamãs, é bem expressivo. Pelas suas condições especiais e os poderes sobrenaturais de que desfrutam, além das condições serem o centro da vida de suas aldeias, esse número torna-se bastante representativo. Eles não passam hoje de mais de 20 no Brasil.
 

Neste encontro estão presentes xamãs do Rio Grande do Sul, do Paraná, do Rio de Janeiro e de Santa Catarina.
 

As aldeias Guarani do Espírito Santo deixaram de contar com a sua Xamã, Tatantin Rua Retée, faz 20 anos, após sua morte na aldeia Teka-Porã, em Santa Cruz.
 

Desde Tatantin Rua Retée partiu, as aldeias do Espírito Santo, apesar de serem hoje bastante expressiva pelo seu contingente (mais de 600 índios), estão sem xamã. A formação de um xamã leva um enorme tempo. Ainda na infância isolados para exercitar a sua condição de guia religioso. Essa seleção é feita pela manifestação da criança.  

No domingo, tanto na parte da manhã como da tarde os xamãs fizeram reflexões sobe a vida dos Guarani em suas aldeias  próximas dos brancos. Trataram dos problemas e dos riscos dessa proximidade. Os xamãs pregaram, até insistentemente,  do compromisso dos jovens para com Ñanderu (o Deus deles). Os Guarani são considerados pelas demais nações indígena índios divinos. Sobretudo na intenção em levá-los para os cultos religiosos. E serviram-se  ainda da ocasião para identificar as manifestações de Ñanderu. Trovoadas e relâmpagos servem, por exemplo, para que eles recorram à casa de reza.


No domingo à noite, foi realizada a primeira sessão de cura. Foi no Opu (casa de reza) da aldeia onde realiza-se o encontra. O xamã que dirigiu o culto foi o da Aldeia Araponga, de Paraty, Rio de Janeiro. Tem o nome abrasileirado de Agostinho, mas responde por Tatutin Tria (primo da Tatantin). Ele realizou três tratamentos, chamando atenção uma espécie de cirurgia espiritual na qua o xamã tirou pela boca de um guarani algo que se assemelhava a um besouro. Depois da intervenção o guarani "operado" vomitou reptidas vezes.

(Não foi permitido fotografar dentro da casa de reza. As fotos são do momento da pregação) 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Rabiscos eleitorais

Articuladores já fazem suas contas de 2018. Entre os deputados considerados reeleitos, está quase toda bancada do PMDB, incluindo Erick Musso. Mas, antes, terá que colocar um ''bonde'' pra correr

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Hartung e seu muro
Sem a presença da senadora Rose de Freitas, evento com lideranças do PMDB vira palanque para o governador
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Em defesa da soberania

Hartung e seu muro

Hartung reforça interesse em projeto nacional nas eleições de 2018

Greve dos auditores da Receita Federal adia início do 'Bike VV'

Rabiscos eleitorais