Seculo

 

Dragagem do Portocel afeta pesca em Barra do Sahy e Barra do Riacho


11/05/2014 às 19:49
Os pescadores de Barra do Sahy e da Barra do Riacho, em Aracruz, no norte do Estado, estão enfrentando problemas desde que foi iniciada uma dragagem na área do Terminal Especializado de Barra do Riacho, o Portocel, da Aracruz Celulose (Fibria) e Cenibra, que está em processo de expansão. Segundo eles, a dragagem foi iniciada há cerca de vinte dias e sem nenhum tipo de compensação por parte da empresa às comunidades diretamente impactadas pela atividade. 
 
O processo de dragagem provoca uma movimentação na água e no fundo do mar, como explicam, e esse movimento está fazendo com que as praias utilizadas pela pesca fiquem poluídas, expando os peixes. Dessa forma, como relatam os pescadores, a pesca se torna inviável, uma vez que não há mais peixes.
 
Os pescadores da região relataram que a poluição espantou os peixes, que haviam reocupado o local após a última dragagem do Portocel, que aconteceu há cerca de dois anos e causou o mesmo impacto nas populações marinhas. Muitos dos pescadores já não têm condições de manter seu sustento diante da falta de peixes na localidade.
 
O Portocel, único especializado no embarque de celulose do Brasil, é de propriedade conjunta da Aracruz Celulose (Fíbria), a sócia majoritária, e da Cenibra, mas também é utilizado por outras empresas. Cerca de 70% da celulose produzida no Brasil é exportada pelo terminal, que tem três berços de atracação e seis metros de profundidade. 
 
O porto foi construído em 1976 e iniciou suas operações em 1978, administrado pela Empresa de Portos do Brasil S. A. (Portobrás), estatal criada durante a ditadura militar. Somente em 1985 o Portocel foi privatizado e passou a compor o patrimônio da Aracruz Celulose e da Cenibra.
 
A impossibilidade do exercício da pesca nas áreas de impacto direto da dragagem do Portocel é apenas uma amostra do que pode acontecer com as comunidades de pescadores em todo o litoral capixaba com o avanço dos diversos projetos de empreendimentos portuários, sem contar que a construção de um porto também gera a usurpação de uma área de pesca e impede o trânsito de pequenas embarcações em suas proximidades.
 
Muito próximo ao Portocel já foi, inclusive, instalado o Estaleiro Jurong de Aracruz (EJA), que provocou uma verdadeira devastação próxima à comunidade de Barra do Riacho. Aterros de riachos, grande trânsito de máquinas, gerando muita poeira, e perda visível na biodiversidade marinha e terrestre são algumas das consequências que a Jurong levou ao litoral norte do Estado. 
 
Desde janeiro de 2012, quando o empreendimento se instalou em Barra do Riacho, os pescadores locais estão impedidos de realizar suas atividades. A verba de compensação pela área de pesca e pelo ofício perdidos já foi alcançada na justiça, mas ainda não foi oficialmente entregue aos pescadores por causa dos diversos recursos interpostos pela Jurong. Em 2010, a Associação Capixaba de Proteção ao Meio Ambiente (Acapema) denunciou que o estaleiro não realizou Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) para o licenciamento do empreendimento, como determina a lei.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Precipitou-se

Com um olho em 2018 e outro em 2020, Luciano Rezende antecipou o processo eleitoral, mas esqueceu a Lava Jato. Aí mora o problema.

OPINIÃO
Renata Oliveira
Bicho-papão
O ajuste fiscal de Paulo Hartung precisa do exemplo do Rio de Janeiro tanto para cortar quanto para supervalorizar a liberação de recursos
Renata Oliveira
Majeski deve bater asas
Pelo andar da carruagem da disputa pela presidência do PSDB estadual, a história do deputado com o partido caminha para um melancólico fim
JR Mignone
Qual rádio ouviria hoje?
Sinceramente, não saberia explicar que tipo de rádio eu ouviria hoje, isto é, que me motivaria a ligar o botão para ouvi-la: uma de notícia ou uma só de música selecionada
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
Caetano Roque
Emprego de ficção
Diariamente vagas e mais vagas são prometidas nos jornais e onde está o sindicato para cobrar isso
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Precipitou-se

Subseção da OAB-ES cobra esclarecimento sobre atuação de Homero Mafra na defesa de acusado

Posse de tucano no Turismo é demonstração interna de força de Colnago

Justiça Federal determina que 14 municípios adotem ponto eletrônico para médicos e dentistas

Dary Pagung vai fechar a porta para emendas de deputados no orçamento