Seculo


  • Lava Jato no ES

 

Pior que
está, fica!


26/06/2014 às 16:01
Duas notícias recentes envolvendo as principais poluidoras do Estado, Vale e ArcelorMittal, indicam previsões nada animadoras paras os capixabas. A mineradora colocou já há alguns dias sua oitava usina em fase de testes e pretende operá-la no segundo semestre deste ano. Já a Arcelor anuncia que irá religar, até o próximo dia 8, seu alto-forno 3, parado desde 2012. As medidas resultarão num incremento e tanto na produção. Ou seja: aumento da poluição do ar e muito mais impactos aos moradores da Grande Vitória.
 
Em números, significa o seguinte: a produção anual da Vale saltará de 25 para 33 milhões de toneladas de pelotas de minério; e o alto-forno da Arcelor operará em sua capacidade máxima, ao todo 2,8 milhões de toneladas de ação bruto por ano - a usina Tubarão produz, no mesmo período, 7,5 milhões de toneladas.
 
As empresas e o governo do Estado, para justificar os projetos de expansão, propagam o discurso de que iniciaram medidas para minimizar os inúmeros impactos e, por isso, a poluição do ar não irá aumentar na Grande Vitória. Quem cai nessa conversa? É subestimar a inteligência da população. 
 
Os licenciamentos concedidos às poluidoras, sempre de maneira ágil e sem obstáculos, ignoram os alarmantes índices de poluentes emitidos dia e noite no ar da região e que, além de gerar danos materiais e à saúde dos capixabas, oneram o poder público, com gastos para tratamentos no SUS. 
 
Todas essas questões são constantemente levantadas por entidades e representantes da sociedade civil, inclusive com ações na Justiça que têm a Vale e a Arcelor como réus. E embora já tenha surgido algumas decisões favoráveis, como a determinação de perícia para quantificar a poluição da mineradora, ocorrem em marcha lenta, principalmente se comparados à velocidade com que essas expansões ocorrem. 
 
Ainda mais em ano eleitoral, quanto a questão vira moeda de troca em negociações entre as poluidoras e a classe política, que adora levar uma bela fatia do bolo dos financiamentos privados de campanha.
 
Quer dizer, até o final da tramitação desses processos judiciais, as poluidoras continuarão mandando e desmandando no Estado, com consentimento do governo, enquanto os capixabas e o meio ambiente amargam os prejuízos, em escala crescente. 
 
Só tem um jeito: sentar e chorar!
 

Manaira Medeiros é mestre em Políticas Públicas e Desenvolvimento Local e especialista em Gestão e Educação Ambiental
Fale com a autora: manaira@seculodiario.com

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Problemas em série

A maré não está nada boa, mesmo, para a deputada estadual Raquel Lessa....

OPINIÃO
Editorial
A saúde está doente
Campanha do Simes recomenda que médicos não trabalhem na Serra por causa da violência. E os pacientes, ficam entregues ao deus-dará?
Renata Oliveira
Vai no bolo
As lideranças políticas capixabas devem ficar atentas para não serem atropeladas pelo rolo compressor da indignação
Lídia Caldas
A importância dos probióticos e prebióticos
Se você não se preocupar com isso estará dando passos largos para engrossar as estatísticas de doenças de causas evitáveis
Geraldo Hasse
É preciso equalizar o bem-estar
A crise do capitalismo pode ser resolvida mediante a adoção de um programa comunista de governo
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Nenna – parte II: early years na ilha
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Odebrecht quebrou a "Omertá", e agora?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

A sombra
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Juiz determina bloqueio dos bens do ex-prefeito de Castelo

Problemas em série

Paulo Ruy Carnelli vai, afinal, explicar por que enterrou o Aquaviário?

Hartung sanciona lei de doações de bens móveis para municípios

Estratégia política palaciana pode favorecer deputados do interior