Seculo

 

Dedo na ferida


16/07/2014 às 16:39
Assim como no período da ex-deputada estadual Brice Bragato, a discussão sobre os impactos dos grandes projetos poluidores no Espírito Santo será restrita ao Psol, que tem como candidata ao governo na eleição deste ano a professora Camila Valadão. Pelas propostas de governo já apresentadas na área ambientai, as críticas, todas contundentes, são muito bem-vindas. Pena não surtirem o efeito e eco necessários na maioria da população. 
 
Primeiro, o Psol nem de longe terá recursos para fazer circular as ações que planejou para os capixabas. Seu debate se dará no campo das ideias, o que costuma render ótimos resultados, porém, inacessíveis para a maioria. 
 
Segundo, como competir com campanhas milionárias como a dos principais candidatos, o governador Renato Casagrande e seu antecessor Paulo Hartung (PMDB), defensores do ES 2025, que beneficia os empresários e as empresas poluidoras? Sem dúvida, uma difícil missão.
 
Camila levanta questões já alertadas por Século Diário e por movimentos sociais há décadas, devidamente omitidas pela mídia corporativa e governos, que mamam nas tetas dos grandes projetos instalados no Estado. 
 
Aponta os privilégios ao setor privado, seja por renúncia fiscal, isenção ou favorecimentos em licenciamentos ambientais, e os classifica como “escandalosos”. De fato, são.  
 
Além da Vale, ArcelorMittal, Aracruz Celulose (Fibria) e Samarco, que provocam inúmeros impactos ambientais, sociais e econômicos no Estado, e continuam a se expandir, temos a Jurong e uma coleção de portos.  Isso só para resumir. Nomes que irão constar, de maneira direta ou indireta – escondida mesmo – nas prestações de contas dos candidatos majoritários e proporcionais. O famoso rabo preso.
 
Em contrapartida, a candidata do Psol lembra da importância de reverter a lógica, investir no campo e valorizar os povos tradicionais. Assuntos intocáveis para os principais candidatos e até para o candidato do PT, Roberto Carlos. O PT no Estado, como se sabe, há muito não advoga em favor das minorias, muito menos defende o meio ambiente, como nos velhos tempos.  
 
Camila Valadão será mais uma daquelas candidatas espalhadas pelo País que, com projeto alternativo, terá que invadir as redes sociais e se fazer enxergar. Para, assim, conquistar a parte do eleitorado das manifestações de junho de 2013, que no Estado apresentou como demandas da população a questão ambiental, com foco nos grandes projetos e na poluição do ar. 
 
Com candidatos do mesmo grupo político e que reproduzem o modelo de desenvolvimento ditado pelos empresários, tem muito eleitor procurando um candidato com visão crítica para chamar de seu. Camila pode preencher essa lacuna. Se não é para levar o pleito, que seja estabelecido o debate inteligente e as saias-justas. Incomodar é necessário.



Manaira Medeiros é mestre em Políticas Públicas e Desenvolvimento Local e especialista em Gestão e Educação Ambiental
Fale com a autora: manaira@seculodiario.com

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

OPINIÃO
Renata Oliveira
Mau negócio
Quando Casagrande e Hartung passam a polarizar o cenário, a política capixaba deixa de ser interessante para a Odebrencht
Geraldo Hasse
O despudor do poder
O marqueteiro-mór pagou multa de R$ 30 milhões à Justiça, deu depoimento e saiu rindo
Lídia Caldas
Por que engordamos?
Estamos ingerindo muito carboidrato de má qualidade. Fomos viciados pela indústria de alimentos em gordura saturada, açúcar e sal
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Imperdivel! Já em cartaz!
Flânerie

Manuela Neves

Nenna, em transição
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Odebrecht quebrou a "Omertá", e agora?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Nossa Terra, nossa gente
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Candidatura individual para a Mesa Diretora indica nova realidade na Assembleia

TJES fará nova sessão de escolha em concurso para cartórios de 2006

Vereadora protocola indicação para nova licitação de ônibus em Vitória

Justiça rejeita ação popular contra programa de rádio do prefeito de Marataízes

Polícia Militar antecipa reintegração de posse de área em Vitória