Seculo

 

Comissão de Ciência e Tecnologia pede informação sobre o Escola Viva


19/05/2015 às 15:01
A Comissão de Ciência e Tecnologia da Assembleia encaminhou uma série de pedidos de informação ao secretário de Educação, Haroldo Rocha, sobre o Projeto 4/2015, que institui as escolas de ensino médio em tempo integral no Estado – Escola Viva. Os pedidos foram assinados pelo presidente da Comissão, deputado Sérgio Majeski (PSDB), que também é o relator da matéria no colegiado.
Os pedidos são referentes a informações sobre o financiamento do projeto Escola Viva; a garantia de matrícula dos estudantes; a situação dos alunos que precisam trabalhar para complementar a renda familiar; o processo seletivo e de remoção dos professores; o compromisso do governo do Estado com as escolas que estão fora do projeto e o prazo para levá-lo a todos os municípios, entre outras questões.
 
Para os meios políticos, os requerimentos são mais uma tentativa de os deputados ganharem tempo para que a discussão possa ser ampliada com a comunidade escolar. Isso porque o governo pretende implantar o programa em pelo menos cinco escolas do Estado já no segundo semestre deste ano. O governo tentou aprovar o projeto em regime de urgência no início do ano, mas a reação da comunidade escolar fez com que o governo recuasse.
 
A expectativa é de que uma vez superada a comissão de Ciência e Tecnologia, o projeto não terá problemas de aprovação na Comissão de Educação da Assembleia, que apesar de toda a reclamação de pais, alunos e professores, está convencida de que o projeto é perfeito, embora a implantação do projeto em Pernambuco não seja vista desta forma pelos professores daquele estado. 
 
O projeto já recebeu 41 emendas ao texto original desde que começou a tramitar. Na Comissão de Justiça, não houve aprofundamento do debate, mas na Comissão de Cidadania, a matéria teve 33 emendas aprovadas.  Após a análise da Comissão de Ciência e Tecnologia, o projeto deve passar pelas comissões de Educação e Finanças e, como recebeu emendas, voltará para Justiça antes de ir à votação no plenário.
 
Para os meios políticos, a novela da Escola Viva gera um desgaste para o governo do Estado porque sua principal bandeira de campanha foi a educação e o programa vendido com o uma solução para a área. Mas desde o início, o projeto é cercado de incertezas. 
 
Além de ter o patrocínio da ONG Espírito Santo em Ação, um parceiro do governo Paulo Hartung que atua na política desenvolvimentista e pouco social, o governo pareceu mais preocupado em aprovar o projeto do que em explicá-lo, dada a dificuldade de o secretário em apresentar o projeto em audiência pública. Embora a discussão tenha começado em março, além de ter permeado toda a campanha eleitoral, o conteúdo do projeto foi entregue pelo secretário no início deste mês à Assembleia Legislativa. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Sem concorrência

E o Troféu Mão Peluda da política capixaba vai para...

OPINIÃO
Renata Oliveira
Gangorra política
O ex-governador Renato Casagrande vive altos e baixos na planície da política capixaba
Lídia Caldas
12 dicas para comer fora e não engordar
A variedade de alimentos no buffet é tentadora! Quando há uma variedade grande, podemos comer o dobro do que costumamos
Geraldo Hasse
Escândalo jurássico
A dívida pública é a principal fonte dos lucros do sistema financeiro
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Deputado federal faz ameaça a Fátima Bernardes ao vivo e motivo revolta o país
Flânerie

Manuela Neves

Todas as épocas são interessantes. Mas nem todas conheceram alguém como Carmélia
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Os tanques de guerra e a marcha dos insensatos
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Pra se acabar na quarta-feira
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Sem concorrência

Prefeito da Serra precisa aumentar base para atender projeto da nacional

Temer confirma Lelo Coimbra como líder da maioria na Câmara

MPES solicita informações de apenados para verificar pagamentos de indenizações a vítimas

Ministério Público do Trabalho assume mediação de acordo entre governo e mulheres de PMs