Seculo

 

Bancada unida contra a reeleição, mas divergente no financiamento


28/05/2015 às 11:16
A votação da bancada capixaba na Câmara dos Deputados, na noite dessa quarta-feira (27), em relação à reforma política e ao fim da reeleição foi unânime. Todos os deputados federais do Estado votaram pelo fim da recondução na majoritária em todos os níveis: prefeito, governador e opresidente. Mas sobre o ponto mais polêmico da discussão, o financiamento privado de campanha, houve divergências. 
 
Os deputados Lelo Coimbra (PMDB), Marcus Vicente (PP) e Manato (SD) votaram a favor da proposta pinçada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O texto aprovado é uma emenda à reforma política (PEC 182/07) apresentada pelo líder do PRB, deputado Celso Russomanno (SP), que atribui a uma lei futura a definição de limites máximos de arrecadação e dos gastos de recursos para cada cargo eletivo.
 
A maioria dos deputados seguiu a orientação de seus partidos, exceto o deputado Jorge Silva. O Pros orientou a bancada para votar favoravelmente ao projeto, mas o deputado capixaba votou contrário. O PSB de Paulo Foletto liberou seus parlamentares e o socialista votou contra a proposta.
 
A aprovação da emenda ocorreu em meio a protestos de deputados do PCdoB, do PT, do PSOL e do PSB. Esses partidos avaliaram que houve uma manobra para reverter a derrota imposta na terça-feira pelo Plenário às doações de empresas às campanhas. Os deputados rejeitaram a emenda que autorizava as doações de pessoas físicas e jurídicas para candidatos e partidos. Pela emenda a provada nessa quinta, as doações poderão ser feitas aos partidos e não aos candidatos. 
 
A matéria vai de encontro ao interesse da população, já que a defesa é pelo financiamento público de campanha. 
 
Se aprovada também no Senado, a proposta joga por água abaixo a discussão que vinha sendo travada no Supremo Tribunal Federal. Os ministros iniciaram uma avaliação a partir de uma ação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que pedia o fim das doações de empresas a campanhas. Seis ministros votaram a favor da proibição, mas o julgamento foi suspenso porque o ministro Gilmar Mendes pediu vistas do processo e nunca mais colocou a matéria em discussão. 
 
Quanto ao projeto que prevê o fim da reeleição, os dez deputados do Estado votaram favoravelmente ao projeto. No plenário, a medida foi aprovada com o apoio majoritário das bancadas: 452 votos a favor, 19 contra e uma abstenção.
 
O texto aprovado é o do relatório do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que prevê uma transição. O fim da reeleição não se aplicará aos governadores eleitos em 2014 e aos prefeitos eleitos em 2012, nem a quem os suceder ou substituir nos seis meses anteriores ao pleito subsequente, exceto se já tiverem exercido os mesmos cargos no período anterior.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Choque

Como diz o ditado, dois bicudos não se beijam. É isso mesmo, Fabrício Gandini?

OPINIÃO
Renata Oliveira
Carona perigosa
Hartung fez evento no mesmo dia da eleição da Amunes para atrair prefeitos, mas ausências ganharam mais destaque
Ivana Medeiros Zon
Mude de vida
Pensar na influência do comportamento e dos hábitos individuais, incluindo os de consumo, vai muito além do que podemos imaginar.
Nerter Samora
Pauta bomba
Fim da anistia a benefícios irregulares pode vingar rasteira dada em Ferraço por Hartung
JR Mignone
A volta da reza
Em 2013 escrevi sobre o ''Poder da Reza''. Hoje volto com ela, pois rezar, orar, falar com Deus, meditar, seja como for, nunca é demais
Caetano Roque
Briga desleal
Com a mídia na mão, o capital consegue fazer com que o cidadão acredite nas mentiras que eles querem
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

pelas beiras!
Flânerie

Manuela Neves

Carmélia, um pouco mais dela
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Deputado vai propor CPI para apurar crime da Samarco
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre sustos e suspresas
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Hartung muda discurso e atuação política depois da crise na segurança

Ferraço afirma que contrato de antecipação de royalties foi 'malfeito'

Presos do semiaberto vão trabalhar em obras e serviços públicos da Prefeitura de Colatina

Dúvida sobre relator do Caso Alexandre pode adiar julgamento de recurso no TJES

Da Vitória faz discurso apaziguador, mas mantém posição independente na Assembleia