Seculo


  • Lava Jato no ES

 

Revista Trino passeia pela crítica, teoria e produção literária


31/07/2015 às 18:44
 
De Waldo Motta a Reinaldo Santos Neves; de artigos científicos a ficções inéditas e, inclusive, ilustradas; a revista Trino passeia pela crítica, teoria e produção de forma experimental. Vale destacar que há muito anos o Estado não tinha a produção de uma revista exclusivamente voltada para a literatura, escrita e impressa em solo capixaba. 
 
Numa rápida folheada pela Trino percebe-se que a revista reúne os principais nomes e temáticas literárias que movimentaram o cenário editorial não só no Estado mas no Brasil. A matéria de capa, escrita pela jornalista Lívia Corbellari, apresenta uma reflexão sobre os caminhos alternativos da publicação, desde o já tão falado e usado financiamento colaborativo até a publicação completamente "independente e de guerrilha".
 
João Chagas, escritor e um dos idealizadores da Trino, até destaca que o tema da reportagem de capa é algo que intriga e combina com a revista, já que ela nasce de um processo também independente e dentro da Editora Cousa, já conhecida por seu trabalho no Estado e que, pela primeira vez, aposta no lançamento de uma revista. 
 
João e Lívia são os responsáveis por idealizar a Trino, juntamente com a escritora e jornalista Isabella Mariano. Os três são jovens e carregam para dentro da revista certo frescor típico da geração que domina as novas tecnologias, conseguem entender esse território como uma possibilidade de juntar vertentes, gerar diálogos e agregar pessoas – o primeiro anúncio de existência da revista foi feito há alguns meses na internet e já despertou um bom número de colaboradores encantados com o projeto.
 
A Trino tem evento de lançamento na próxima sexta-feira (7), às 19h, na Rua Sete de Setembro, Centro de Vitória, em frente ao Bar do Nei, com exemplares sendo vendidos a R$ 15. O cenário do lançamento foi escolhido por ser onde os três, em uma conversa informal de bar, decidiram criar um revista impressa exclusivamente de literatura.  “Nós já produzíamos juntos quando integrávamos o 'Cronópio', em que tivemos experiência com a revista Graciano. Após o término do grupo ficou aquela vontade de voltar e fazer alguma coisa. O Saulo, da 'Editora Cousa', um dia conversou sobre a possibilidade de fazermos uma revista impressa, até que certo dia decidimos levar a ideia adiante”, explica Lívia. 
 
 
O Cronópio foi um núcleo de discussão e produção literária criado dentro da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) que idealizou a revista literária online Graciano. A proposta foi longe até que acabou, há pouco tempo – período suficiente para lançar no mercado editorial de Vitória jovens escritores, como os próprios João Chagas e Isabella Mariano. 
 
João e Livia contam que a relação que desenvolveram dentro do Cronópio foi suficiente para que entendessem cada etapa do processo de criação de uma revista e iniciassem a produção da Trino. No total são 12 colaboradores, com oito textos (entre contos e poemas); quatro dicas culturais; três artigos acadêmicos; duas resenhas; duas matérias jornalísticas; dois textos ilustrados; uma coluna; e uma entrevista.
 
Para que todo esse conteúdo fosse criado, João, Lívia e Isabella desenvolveram conteúdo, mas também contaram com a colaboração de escritores e pessoas da área de crítica, produção e teoria. Nessa primeira edição os nomes surgiram da rede de pessoas que eles já conheciam, de ex-membros do Cronópio e de pessoas que eles admiravam o trabalho. “Esta primeira edição nós tínhamos que ir na direção de agregarmos pessoas mais próximas mesmo, porque não tínhamos nomes ainda para montar um quadro de pessoas fora dessa lógica. Talvez a partir da segunda edição já poderemos chamar pessoas novas”, avalia João. 
 
A escolha das pessoas que participaram com conteúdo é predominantemente jovem, são contos ficcionais e textos diversos de Aline Dias, Leandro Reis, Yan Siqueira, Juplin Jones, Juane Vaillant, Gabriel Ramos; ilustrações de Ayla Lourenço e Bárbara Cani; além de autores de artigos. E, apesar do grupo jovem que foi naturalmente formado, João e Lívia contam que conseguiram incluir os veteranos que têm produzido literatura no Estado, como os já citados Reinaldo Santos Neves e Waldo Motta
 
Com um grupo de colaboradores tão grande, as reuniões foram todas feitas pela internet, coube à equipe de idealização reunir-se com mais frequência para facilitar algumas partes burocráticas. “O conteúdo que fizemos nasce dos anseios de cada um em abordar temáticas e gêneros diversos. Foi muito livre o jeito que fizemos tudo, cada um se enveredou para o lado que tinha mais vontade e fomos dividindo as tarefas mais burocráticas até para podermos agilizar o lançamento da revista”, detalha Lívia.
 
 
 
A primeira edição da Trino tem tiragem de apenas 150 cópias, já que é uma publicação que precisa conquistar público, uma aposta da “Editora Cousa”. A tiragem inicial é pequena mas a aposta do grupo é alta. Lívia, João e Isabella querem lançar duas edições por ano e conseguir romper as divisas capixabas. “Nossa intenção é trabalhar com a literatura brasileira contemporânea como um todo. Dessa forma, vamos buscar desde escritores e patrocinadores de todo o Brasil.  Essa tentativa de uultrapassar a divulgação e sair do território local é também o anseio de ser uma consequência de um trabalho bom que as pessoas possam passar adiante” finaliza João.
 
 
Serviço
O lançamento da primeira edição da revista “Trino” será realizada na próxima sexta-feira (7), às 19h, na Rua Sete de Setembro, no Centro de Vitória, em frente ao Bar do Nei. A revista vai custar R$ 15. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Tem, sim!

Não escapou Hartung nem Baianinho dos protestos de desta sexta-feira no Estado

OPINIÃO
Editorial
A PM sendo PM
Depois de estarem do “outro lado do balcão, policiais militares voltam a recorrer à violência para reprimir greve geral dos trabalhadores no ES
Piero Ruschi
O desmanche do Museu Mello Leitão
Um ato de desrespeito à população que foi camuflado e conta com o apoio da própria diretoria e sua associação de amigos
Renata Oliveira
Bancada na berlinda
A votação sobre a reforma trabalhista pode condenar metade da bancada capixaba, mas deputados parecem confiar na dialética
Nerter Samora
Uma nova República
Prestes a ser aprovada, a lei sobre abuso de autoridade é um bem necessário para esse ''novo Brasil''
Geraldo Hasse
Os apuros do rei da petroquímica
A ascensão da Braskem faz lembrar o ditado: tudo que sobe rápido demais, desce ligeirinho
Lídia Caldas
Como ter um coração saudável?
Curioso que algumas coisas que hoje são heresias amanhã podem se tornar dogmas
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Nenna, em transição
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Odebrecht quebrou a "Omertá", e agora?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Nossa Terra, nossa gente
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Theodorico Ferraço vira réu em ação de improbidade administrativa

Greve Geral: manifestações pacíficas são dispersadas com violência pela Polícia Militar

Delações da Odebrecht mudam expectativas de composições eleitorais para 2018

Givaldo critica Hartung, Lelo e Ana Paula Vescovi em protesto contra Reforma Trabalhista

STF decide que terreno de marinha em ilha com sede de município é da União