Seculo

 

Em plena crise hídrica, governo Hartung quer ampliar plantios de eucalipto no Estado


26/10/2015 às 17:14
Nos últimos dias, para oferecer uma resposta à população, o governo Paulo Hartung (PMDB) vem anunciado uma série de ações para combater a escassez hídrica, além de percorrer o Estado para visitas aos rios, que estão cada vez mais secos. Na contramão do discurso, porém, faz movimentos de incentivo aos plantios de eucalipto, que estão diretamente relacionados à questão.
Nesta segunda-feira (26), em matéria do jornal A Gazeta, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Expansão Rural (Incaper) manifestou o interesse em ampliar a área ocupada pelo eucalipto hoje no Estado, calculada pelo órgão como 250 mil hectares no total – entidades do campo dizem que já são 350 mil hectares, sem considerar os plantios dos próprios agricultores. 
 
“Poderíamos ter o dobro da área plantada”, sinalizou o pesquisador do Incaper, Pedro Arlindo Oliveira Galveas, colocando como único empecilho para isso a “péssima infraestrutura das estradas”.
 
Além de ressaltar a rentabilidade do negócio e as facilidades dos plantios, o Incaper defende que o eucalipto consome pouca água, ao contrário do que comprovam estudos sobre o problema e os relatos das comunidades impactadas.
 
Segundo pesquisas já publicadas no Estado, a espécie é exótica consome 36,5 mil litros de água por ano quando adulta, com o agravante de os plantios serem feitos próximos aos manancias, inclusive nas áreas de recargas de água, que são os topos de morros e encostas, e aquíferos. 
 
Principal beneficiada com os incentivos do governo para o setor, a Aracruz Celulose (Fibria) não só degradou de uma só vez 50 mil hectares de mata atlântica com seus primeiros plantios realizados ainda na ditadura militar, como secou córregos e rios. Há, ainda, a contaminação dos mananciais por agrotóxicos, amplamente utilizados na atividade. 
 
Nos municípios que concentram a maior extensão desses plantios, São Mateus e Conceição da Barra, no norte do Estado, não há água nem para consumo dos moradores. Sem ter mais para onde se expandir na região, as cidades serranas também foram invadidas pelo eucalipto. 
 
O incentivo à monocultura, que leva à exaustão dos recursos hídricos, à escassez do solo e ao desmatamento, se contrapõe às ações necessárias para solucionar o grave problema da água, que consiste exatamente em criar condições para plantios de espécies da mata atlântica no Estado. Esses plantios nativos têm desenvolvimento rápido e podem gerar receita em sistemas agrossilvipastoris  -  integração de lavoura, pecuária e floresta. 
 
Para agravar ainda mais a situação, a Assembleia Legislativa aprovou, no último mês, o projeto (PL 344/2015) do governo Hartung que libera a expansão dos monocultivos no Estado, sem a exigência dos estudos de impacto ambiental (EIA). A flexibilização da legislação ambiental tem a intenção de favorecer a expansão de grandes empresas como a Aracruz Celulose e a Suzano Papel e Celulose. 
 
A estratégia para garantir a expansão da monocultura do eucalipto no Estado será debatida nesta quarta-feira (28), às 8h30, em Colatina (noroeste do Estado), como parte das oficinas do Plano Estratégico da Agricultura Capixaba (Pedeag). O governo também quer garantir os plantios de seringueira. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Lá e cá

Enquanto Rose volta a se movimentar em Brasília, Casagrande delimita território no Estado. Cada um no seu quadrado...

OPINIÃO
Geraldo Hasse
Vendilhões no comando
Os governos petistas deram mole aos Mercados, mas o MDB escancara a prática do entreguismo
Roberto Junquilho
Os calos da esquerda
Apesar de possuir lideranças bem posicionadas, a esquerda só aparece quando os fatos são diretamente ligados ao cenário político partidário
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Admirável mundo novo
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Os calos da esquerda

Comitê em Defesa de Lula é criado no Estado

Lá e cá

Atílio Vivácqua decreta luto oficial de três dias por morte de prefeito

Relatório internacional de Direitos Humanos destaca violência policial no Brasil