Seculo

 

Justiça anula processo que autorizou construção de espigão na Enseada Azul


29/10/2015 às 17:48
A Justiça de Guaparari anulou o processo que autorizou a construção de um prédio de 16 andares na Praia de Peracanga, na Enseada Azul, pela Onix Construtora e Incorporadora Ldta. A decisão do juiz Elizer Mattos Scherrer Júnior determina ainda à prefeitura que não aprove nem conceda alvará para o empreendimento, alvo de ação civil pública da Associação de Moradores da Enseada Azul (Ameazul).
 
No caso de descumprimento, a decisão estabelece multa diária de R$ 10 mil ao município, que poderá incidir até o máximo de R$ 200 mil. O procedimento administrativo anulado é o de nº 6690/2011. 
 
Na ação, a Ameazul alegou que a prefeitura alterou zonas do Plano Diretor Municipal (PDM) somente para atender às construtoras que cobiçam a região. Entre elas a Onix, com seu projeto do Edifício Costa Maggiore.
 
O projeto não teve a devida deliberação do Conselho do PDM, nem foi submetido à audiência pública, assim como também deixou de elaborar o Estudo de Impacto de Vizinhança. A aprovação foi decidida apenas pelo então secretário de Obras de Guarapari, Edgar Behle.
 
A área total construída é de 9.498, 60 metros quadrados, com 16 andares e  ocupando seis lotes, o que contraria o padrão urbanístico mantido nas principais praias da região, Bacutia e Peracanga, que até então definiam como limite oito pavimentos.  
 
Essas características consideravam os arruamentos internos estreitos da Enseada Azul e em sua maioria ocupados por residências e prédios baixos, o que oferece contornos próprios às praias e suas belezas cênicas e paisagísticas.
 
A Ameazul também alertou na época para as consequências no sistema viário, águas pluviais, esgotamento, oferta de transporte público e insfraestrutura viária, o que foi acatada pela perita do processo. Foram constatadas ainda a possibilidade de alteração na ventilação e iluminação e o adensamento populacional na área do loteamento em épocas de alta estação. 
 
O empreendimento da Onix não é o único previsto para Enseada Azul. Há projetos de arranha-céus para toda região. A maioria dos processos, porém, ainda tramita na Justiça. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook/Eliana
Território político

Inferno astral do prefeito de Linhares, Guerino Zanon, deixa o campo aberto para a deputada estadual Eliana Dadalto

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
JR Mignone
O voto facultativo
Atual insatisfação com a política seria uma chance para começar a estudar a implantação do voto facultativo?
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

Procon multa imobiliária e construtora responsáveis por condomínio em Setiba

Justiça realiza audiência do processo contra seminarista de Boa Esperança

TJES adia pela quinta vez processo de Dr. Hércules sobre dívida de campanha

Sindipol denuncia 'mentiras' do governo sobre médicos legistas

Ministério da Segurança Pública anuncia mutirão para reduzir população carcerária