Seculo

 

CPI confirma que consumo diário de água pela Aracruz Celulose é equivalente ao da Grande Vitória


04/11/2015 às 17:07
As primeiras investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara de Linhares criada para apurar o desvio do Rio Doce confirmam que o consumo diário das usinas da Aracruz Celulose (Fibria), por meio do canal Caboclo Bernardo, seria suficiente para abastecer 2,6 milhões de pessoas, o equivalente à população da Grande Vitória ou a 26 cidades como Linhares.
Os vereadores tiveram acesso à resolução 406 da Agência Nacional de Águas (ANA) que autorizou o canal. Segundo eles, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) capta do rio Juparanã-Mirim, o rio Pequeno, que deságua no Rio Doce, 380 litros de água por segundo, para abastecer 100 mil pessoas em Linhares - 22.800 litros por minuto para suprir a população. Já o canal Caboclo Bernardo desvia 10 mil litros de água por segundo, que representam 600 mil litros por minuto ou o consumo de 2,6 milhões de pessoas.  
 
Os números foram considerados impressionantes pelos membros da CPI, em reunião realizada na noite dessa terça-feira (3). A comissão enviou ofício a órgãos ambientais para avaliar artigo da própria resolução que permite a revisão da outorga. “É justamente o que queremos, pois a situação não pode continuar. Estamos passando dificuldade para captar 380 litros e jogando 10 mil litros fora”, destacou o relator da CPI, Miltinho Colega (PSDB).
 
Para ele, a população de Linhares precisava conhecer esses dados. “Estamos falando de escassez de água. É um absurdo. O agricultor está proibido de irrigar, o cidadão urbano fazendo contenção de água, o que é uma obrigação, mas um canal levando para uma indústria 10 mil litros de água por segundo é inadmissível. O rio não vai ter força para sobreviver”, disparou. 
 
A CPI aponta que o Rio Doce em época de seca tem uma vazão de 110 metros cúbicos por segundo. Com o agravamento da estiagem atual, o volume é de 80 a 90 metros cúbicos por segundo. Quando foi autorizada a transposição de 10 mil litros por segundo, a corrente de água era de 300 metros cúbicos por segundo. 
 
No entanto, o mesmo volume continua a ser  captado, impedindo o abastecimento de comunidades como Regência e Povoação. “O pouco que for retirado representa muito em relação ao volume atual”, alerta o vereador José Cardia (PSD).
 
O elevado consumo de água pela Aracruz Celulose é motivo de alertas há décadas por pesquisadores da Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (Fase). A entidade aponta, ainda, que se a água utilizada pela empresa fosse captada, tratada e distribuída pela Companhia Espírito-Santense de Saneamento (Cesan), a conta se aproximaria de R$ 16 milhões mensais, sem considerar o consumo de outras unidades e suas expansões no País. 
 
A transposição de bacias do Rio Doce para o Rio Riacho, no município de Aracruz, foi feita pela empresa em 1999 para abastecer sua fábrica C, com conivência do poder público municipal e estadual. Em 2005, a empresa conseguiu novo licenciamento ambiental para desviar o Rio Doce.
 
As medidas alteraram drasticamente o comportamento hídrico da região, gerando graves impactos às comunidades ribeirinhas e indígenas e aos pescadores artesanais. 
 
A CPI  é presidida pelo vereador Estéfano Silote (PDT). Além de Miltinho Colega como relator, é composta por José Zitenfield Cardia (PSD), Zeca Correa (PPL) e Tarcísio Silva (PSB). Aprovada no último dia 19 de outubro, tem 90 dias para apresentar seu relatório final, mas os vereadores informaram que pretendem antecipar a conclusão dos trabalhos. 
 
Mudança
 
Nesta quarta-feira (4), a Prefeitura de Linhares informou que a obra do ponto alternativo de captação de água bruta, direto no Rio Doce, realizada pelo Saae, está em sua fase final. 
 
Os encanamentos - quatro redes de canos de 200 milímetros- levarão água do rio até a central de tratamento do Saae, no bairro Colina. Com a ajuda de uma bomba com 500 cavalos de potência instalada via balsa, a rede enviará 600 litros de água por segundo à central.
 
Atualmente, toda a água que abastece a sede do município vem do Rio Pequeno, que liga a Lagoa Juparanã ao Rio Doce. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Facebook/Eliana
Território político

Inferno astral do prefeito de Linhares, Guerino Zanon, deixa o campo aberto para a deputada estadual Eliana Dadalto

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
JR Mignone
O voto facultativo
Atual insatisfação com a política seria uma chance para começar a estudar a implantação do voto facultativo?
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

Procon multa imobiliária e construtora responsáveis por condomínio em Setiba

Justiça realiza audiência do processo contra seminarista de Boa Esperança

TJES adia pela quinta vez processo de Dr. Hércules sobre dívida de campanha

Sindipol denuncia 'mentiras' do governo sobre médicos legistas

Ministério da Segurança Pública anuncia mutirão para reduzir população carcerária