Seculo

 

Buzinaço protesta em Vitória contra crime da Samarco/Vale


26/11/2015 às 15:21
“Nossa bandeira é a prancha de surfe, mas nosso objetivo é um só, cobrar das empresas irresponsáveis pela morte de milhares de vidas marinhas”. É com este chamado que os organizadores da “Carreata pela paz, contra a lama” convocam a população e os surfistas do Estado para se manifestarem nesta quinta-feira (26) contra o maior crime socioambiental da História da mineração, cometido pela Samarco, controlada pela Vale e a anglo-australiana BHP Billiton
O ato está marcado para 20 horas no Projeto Tamar, na Praça do Papa, e seguirá com buzinaço até a entrada da Vale no final da Praia de Camburi. Para alertar sobre os graves impactos gerados pelos rejeitos de minério na foz do rio Doce e no mar de Regência, um dos principais locais para a prática do esporte no País, os manifestantes percorrerão o trajeto com pranchas de surfe em cima dos carros. 
 
Desde que a lama da Samarco/Vale chegou à foz do rio Doce, no último sábado (21), moradores e frequentadores da vila de pescadores se reúnem em atos para denunciar o crime, a omissão no acesso às informações e o descaso das empresas em relação às comunidades atingidas, que vivem a angústia de perderem suas referências e fonte de subsistência. 
 
Regência tem como principais atividades a pesca e o turismo, que é impulsionado pela prática de surfe, esporte responsável por atrair pessoas para vila durante todo o ano. Mas tanto a pesca quanto o esporte se tornaram impraticáveis com a elevada concentração de rejeitos do rompimento da barragem. A água está imprópria para banho, consumo, irrigação e dessedentação animal. 
 
Além dos prejuízos incalculáveis ao meio ambiente e às famílias humildes que dependiam do rio e do mar para garantir o próprio alimento, as reservas feitas nas pousadas para o verão já estão suspensas e o clima é de apreensão e incerteza. 
 
A onda de lama alterou completamente a paisagem do local, impactando ainda áreas protegidas e a reprodução de tartarugas marinhas. Assim como Regência, estão interditadas as praias de Povoação e Pontal do Ipiranga, também em Linhares, igualmente voltadas para a pesca e o turismo.
 
Informações do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) apontam que os rejeitos já avançaram 35 quilômetros para o norte, oito ao sul, e 20 mar adentro de Regência.
 
Segundo o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), somente na foz do rio Doce, já foi recolhida uma tonelada de peixes mortos. Moradores também têm encontrado com frequência aves mortas e ovos de tartarugas. 
 
Nesta semana, imagens mostrando a diferença da praia de Regência antes e depois da presença da onda de lama ganharam repercussão nacional e internacional. Surfistas da elite mundial lamentaram os impactos e manifestaram solidariedade e revolta nas redes sociais. 
 
A Samarco/Vale, até agora, não ofereceu qualquer assistências às comunidades afetadas, que começam a acionar a Justiça para exigir o mínimo de dignidade para sobreviver.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Devoção' cega

Enquanto lideranças partidárias ecoam o ‘Volta Hartung’, o próprio lava as mãos e deixa seu exército fiel em apuros nas eleições deste ano

OPINIÃO
Erfen Santos
O Cidadão Ilustre
O filme suscita reflexões pertinentes sobre prêmios literários como o Nobel, que rejeitou grandes escritores
Geraldo Hasse
Notícias do fundo do poço
Se não ceder às pressões externas, a Petrobras pode voltar a liderar a economia
JR Mignone
A importância das eleições
Cada empresa de comunicação tem de se esmerar nas campanhas, sem partido ou cores políticas
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Além das lágrimas
MAIS LIDAS

Ministério Público investiga suspeita de cartel em licitações da Secretaria de Agricultura

Amancio, um cantador da capoeira

Vagas no Senado viram a grande disputa deste ano no Espírito Santo

A quadrilha democrática da Rua Sete

Contratação do Instituto da Mata Atlântica gera PAD contra gerente do Iema