Seculo

 

Idaf emite mais uma licença ilegal para plantio de eucalipto da Aracruz Celulose


30/06/2016 às 16:30

É ilegal a Licença de Operação – LO nº 003/2016 emitida pelo Instituto Capixaba de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf) à Aracruz Celulose (Fibria) e publicada no Diário Oficial na última sexta-feira (24). Isso porque, desde dezembro de 2014, está proibido o plantio de eucaliptais pela empresa e também a Suzano Papel e Celulose nos municípios de Ponto Belo e Mucurici, no extremo norte do Estado.

A decisão, proferida em caráter liminar pelo juiz substituto Miguel M. Ruggieri Balazs, da Vara Única de Mucurici, chegou a ser contestada pela Fibria, mas o Tribunal de Justiça julgou o recurso em favor do Ministério Público. A decisão foi em fevereiro deste ano.

A ação civil pública que deu origem às proibições é de autoria do promotor de justiça de Montanha, Edilson Tigre, que se baseou na constatação dos prejuízos socioambientais da monocultura de eucaliptos na região e dos indícios de irregularidades nos processos de autorização de plantio.

O promotor também acompanha o inquérito instaurado no Núcleo de Repressão a Organizações Criminosas (Nuroc) da Polícia Civil e os procedimentos investigativos criminais que tramitam no Ministério Público Estadual (MPES), nas Promotorias de Justiça de Mucurici e Montanha, contra o Idaf. Segundo Tigre, ambos “visam apurar inúmeras ilegalidades nas expedições das licenças ambientais autorizando plantios de eucaliptos pelas duas empresas”.

Essa última licença ilegal, emitida há uma semana, autoriza o plantio de 5.152,37 hectares de eucalipto nas Fazendas Boa Vista, Itajubá, Floresta e Campo Verde (Bloco II), nos municípios capixabas de Montanha, Mucurici, Pinheiros e Ponto Belo. O promotor acredita que a empresa não vai realizar os plantios, pois sabe das penalidades legais a que está sujeita.

As investigações da Polícia Civil e dos MP ainda não têm data para serem concluídas. E, até lá, está em vigência a decisão do TJES, que teve relatoria do desembargador Manoel Alves Rabelo. O voto do magistrado foi seguido à unanimidade pelo colegiado da Quarta Câmara Cível. Em caso de desobediência, a multa poderá ser de R$ 15 mil a R$ 2 milhões por dia, podendo gerar ainda a suspensão das licenças para os plantios, expedidas pelo Idaf e Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema).
 

Somente o projeto de expansão da Aracruz Celulose (Fibria) compreende pelo menos 17 mil hectares  nos municípios de Pinheiros, Montanha, Ponto Belo e Mucurici, pertencentes ao Grupo Simão, que serão explorados durante 14 anos pela empresa. Já a Suzano quer  plantar  pelo menos 6,5 mil hectares na região.

As empresas já exploram, há décadas, o antigo território do Sapê do Norte, que compreende os municípios de Conceição da Barra e São Mateus, gerando inúmeros impactos ao meio ambiente e às comunidades quilombolas e de pequenos produtores rurais. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Dependência total

Tendência é Colnago crescer cada vez mais, pois PH não tem outra saída. Se a oposição não souber contê-lo, vai perder o bonde

OPINIÃO
Gustavo Bastos
Black Block
Pensou que a poeira iria baixar, que ele estava mascarado e ninguém iria identificá-lo. Resolveu ir ao RJ...
Geraldo Hasse
Vendilhões no comando
Os governos petistas deram mole aos Mercados, mas o MDB escancara a prática do entreguismo
Roberto Junquilho
Nem tudo o que parece é!
Investigação a Ferraço, exoneração no Iema...casos podem dar dor de cabeça aos envolvidos em ano de eleição
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Admirável mundo novo
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Anama expõe argumentos ineptos da ArcelorMittal para se livrar de ação na Justiça

Tenente-coronel é demitido por participar da greve da PMES

Fraude com material hospitalar pode aumentar processos contra hospitais

Novo regulamento da Caixa dificulta retorno de dirigentes afastados

Tribunal de Justiça abre seleção para juiz substituto no TRE-ES