Seculo

 

Remada no manguezal de Goiabeiras revela potencial ecoturístico da região, apesar da degradação


08/08/2016 às 20:17

Duas horas de remadas em caiaques, stand ups e outras embarcações, em meio às belezas naturais do manguezal da baía de Vitória. Em seguida, um pequeno mutirão de limpeza, com retirada de um pouco da imensa quantidade de plásticos e outros resíduos que poluem o ecossistema local. E, ao final, uma confraternização no galpão das Paneleiras, guardiãs das tradições culturais locais e ícones da identidade cultural capixaba.

“Foi de lavar a alma!”, resume Paulo Pedrosa, presidente da Associação dos Amigos da Praia de Camburi (AAPC). “Pudemos ver as belezas naturais se contrastando com a degradação de um ecossistema lindo. Todos ficaram deslumbrados com as belezas e as espécies lá existentes, como as aves e vegetações”, relata.

A remada desse domingo (7) foi um dos tantos eventos produzidos pela AAPC que unem lazer, sensibilização ambiental e integração social. “É uma maneira das pessoas se envolverem mais nas questões ambientais e de termos uma sociedade mais unida. Só uma sociedade unida pode mudar essa história em favor das futuras gerações”, explica Paulo.

A idealização do evento foi do jovem professor Wallace Mendes, morador de Goiabeiras, remador e nadador em Camburi e membro da AAPC. Durante o passeio, ele pôde contar um pouco da história do bairro, do ponto de vista cultural e ambiental.

“Quando eu era pequeno, tinha fartura de caranguejo e aratu. Agora, pedi pros remadores me mostrarem pelo menos um caranguejo ou um aratu. Não tem, acabou mesmo”, lamenta. A poluição da água é também é bem visível, com muitos resíduos sólidos e também canais com águas avermelhadas, estranhas ao ambiente natural.

Mas apesar da degradação, o resultado geral do evento o surpreendeu e permitiu confirmar sua percepção sobre o potencial ecoturístico da região. Segundo Wallace, um grande mercado é o turismo de negócios que acontece na capital, por exemplo, pois o passeio de barco é uma opção que atrai bastante o público de executivos e de outros profissionais que vêm a trabalho e ficam ávidos por opções de lazer em que possam interagir com a natureza e as comunidades locais.

A remada tende a se tornar um evento anual, no entendimento da Associação, e o próximo deve incluir um cortejo de barcos dentro do manguezal. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Tudo dominado'

Até agora, o terreno parece armado para permitir que César Colnago acumule a vice-governadoria com a presidência do PSDB no Estado. Só parece?

OPINIÃO
Editorial
Ajuste fiscal, a 'isca' do negócio
Hartung tem feito publicidade nacional para mostrar que o ES é o novo paraíso para investidores. Esconde, porém, os problemas internos, que não são poucos
Piero Ruschi
Risco à natureza gera efeito bolha em turismo de Santa Teresa
Desenvolvimento tem sido norteado pelo crescimento do turismo e seu potencial. Mas ‘corre solto’, o que pode ter um preço alto demais
Renata Oliveira
Tem que saber separar
Governador troca ministro por conversa com jornalistas, só para evitar Rose de Freitas
Gustavo Bastos
Swinging London
Um dos pontos de convergência em que a arte em geral se movia
Caetano Roque
Sindicalismo unilateral
O processo de debate no movimento sindical deve ser participativo, mas não é isso que vem acontecendo no país
JR Mignone
Proliferação de rádios na internet
Fazer rádio todo mundo gosta e quer fazer, mas fazer rádio de bom gosto ainda é difícil
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Este blog fica por aqui
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Algo de novo no ar
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Sindicalismo unilateral

Hartung se reúne com Rodrigo Maia em Brasília

Tem que saber separar

Tribunal de Contas volta a cobrar informações sobre venda da Cesan

'Tudo dominado'