Seculo


  • Lava Jato no ES

 

Ecoturismo no Mestre Álvaro é estratégia de conservação ambiental


23/10/2016 às 09:20
Fotos: Junior Nass
 
O ponto culminante do litoral capixaba e um dos maiores da costa brasileira, o Mestre Álvaro, com seus 833 metros altitude, abriga também um dos últimos remanescentes de Mata Atlântica de encosta do Espírito Santo, onde vive uma incrível diversidade de fauna e flora.

Somente a avifauna possui mais de 150 espécies registradas, segundo levantamentos da Associação dos Amigos do Mestre Álvaro. Chama a atenção também espécies raras de primatas, como o Macaco-prego e o Bugio, além de lontras e jacarés.

Mesmo sendo declarada desde 1991 uma Área de Proteção Ambiental (APA), o Mestre Álvaro sofre imensa pressão antrópica, devido, especialmente, à crescente especulação imobiliária e industrial.

Em junho deste ano, os mesmos amigos do Mestre Álvaro tiveram que travar uma árdua batalha para fazer a Câmara da Serra anular um decreto que permitia mudanças no Plano Diretor Municipal (PDM) com finalidade de permitir o parcelamento do solo nas áreas de alagados e turfas dentro da APA. Batalha vencida, mas guerreiros ainda de prontidão, pois sabem que os interesses contrários à conservação ambiental da área continuam acesos.

A vigilância dos amigos do Mestre Álvaro é alimentada cotidianamente por longas e curtas caminhadas e sessões de fotografia ao ar livre. O grupo, reunido nos últimos quatro anos, é formado por profissionais de diferentes áreas, mas que têm, em comum, o amor pelo lugar e um profundo conhecimento da região. A maioria é nativo do município, outros se mudaram há menos tempo, mas dedicam, igualmente, suas horas de lazer à vivência dentro de suas trilhas e mirantes.

Boa parte dos integrantes da Associação dos Amigos do Mestre Álvaro fez o curso de formação de condutores de ecoturismo oferecido pela prefeitura, e muitos têm a fotografia de natureza como hobby. Um deles é Junior Nass, que tem publicado seus registros fotográficos nas redes sociais e ajudado a organizar as trilhas guiadas até o cume do Mestre e das Três Marias.

Desde setembro, o grupo tem realizado as caminhadas ecológicas como forma de arrecadar dinheiro para a formalização da ONG, cujo estatuto está em fase final de elaboração e enfoca a educação ambiental e o ecoturismo como objetivos principais da futura entidade.

Além das trilhas já tradicionais, abertas há muitos anos pelos próprios moradores, a associação criou uma nova trilha, chamada de Pedra Grande, que vai até um mirante a 400 metros de altitude, de onde se avista toda a Serra-sede.

A trilha da Pedra Grande é voltada para pessoas com dificuldade de locomoção e crianças pequenas. No caminho, foram identificadas 14 espécies de árvores – como o jequitibá-rosa (foto abaixo), a boleira e a sapucaia –, havendo pequenas placas com explicações sobre a biodiversidade local.
 


A Associação também colaborou com a prefeitura na confecção de placas de sinalização que serão instaladas na Trilha Principal, ou Trilha Norte, que sai da Serra-sede e vai até o cume. Há outras duas trilhas até o topo do Mestre Álvaro e outras duas que levam ao cume das Três Marias, monte com 600 metros de altitude, também muito visitado.

Desde junho, com a inauguração da sede da APA, a promessa é de um novo impulso ao ecoturismo dentro da área de proteção. E, também, para o município como um todo, pois a Serra ainda não conta com nenhum ponto de apoio ao turista. A atualização do Plano de Manejo, em andamento, também pode favorecer as ações de conservação, incluindo a proteção das cerca de 70 nascentes.

Trilhas

A próxima caminhada ecológica organizada pela Associação dos Amigos do Mestre Álvaro será realizada na noite entre os dias cinco e seis de novembro. A saída é à meia-noite de sábado da Igreja Católica da Serra-Sede. O valor da inscrição é de R$ 10,00 por pessoa. A intenção é realizar um evento por mês.
 


Grupos fechados também podem procurar a Associação e combinar outras datas de passeio. A trilhas disponíveis são: Principal ou Norte: saída da Igreja Católica da Serra-Sede, quatro horas de caminhada até o cume do Mestre Álvaro; Furnas: saída de Jardim Tropical, também com duração de quatro horas até o topo;  Pitanga: cinco horas de duração até o cume do Mestre; Três Marias: saindo tanto pela Caixa d' água quanto pelo Restaurante, são três horas de caminhada até o alto do monte, com 600 metros de altitude; e Pedra Grande: caminhada de duas horas até um mirante a 400 metros de altitude (acessível para crianças, idosos e pessoas com dificuldade de locomoção).

À exceção da Pedra Grande, as demais trilhas são direcionadas para pessoas acima de 12 anos. Em todas as caminhadas, é expressamente proibido o uso de bebidas alcoólicas e recomendável o uso de roupas confortáveis e claras, tênis, boné ou viseira, repelente e protetor solar, além de um lanche leve e água.

Mais informações na página Amigos do Mestre Álvaro no Facebook e pelos telefones 99631-2337 (Junior Nass) e 99790-8261 (Bismark).

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

O homem da máscara de ferro

PH recorre à estratégia de se esconder para não ser reconhecido

OPINIÃO
José Rabelo
Reajuste zero, tolerância zero
Governo se reuniu com representantes do funcionalismo para dizer na lata: “Não haverá revisão este ano”
Lídia Caldas
Nutrição e gestação
Será que uma gestante tem mesmo necessidade de uma dieta alimentar diferenciada?
Geraldo Hasse
Salgado Filho, um simples herói
Hoje ninguém mais lembra o advogado que regulamentou o comércio dos ambulantes
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Uma festa para Ro Ro que rolou escada abaixo
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Mulher "noiada" mostra a falência de programas sociais
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

O caso da pequena felicidade
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Igreja Maranata poderá acionar Justiça por ofensas sofridas nas redes sociais

O homem da máscara de ferro

Salgado Filho, um simples herói

Se a eleição fosse hoje, Hartung, Rose e Audifax saltariam na frente

Família reivindica propriedade de terreno de 1,5 milhão de metros quadrados na Serra