Seculo

 

Rádio rouba a cena nas eleições


08/11/2016 às 15:33
Vez por outra transcrevo algum artigo sobre rádio que acho importante repassar aos amigos leitores, como este que li na revista radioenegocios.com.br
 
“Alguns institutos de pesquisa registraram o rádio como o veículo mais importante para a definição de voto, passando, inclusive, a televisão.
 
Novamente, o rádio teve papel fundamental na definição de votos e também na cobertura das informações que envolveram a disputa pelas prefeituras e câmara de vereadores. O panorama geral das emissoras foi muito positivo, registrando picos de audiência, principalmente no dia 2, na faixa horária do encerramento das eleições.
 
O comportamento da audiência do sistema de rádios ao vivo foi o seguinte: usuários espalhados por várias rádios, de diferentes portes e localidades. As emissoras que não contaram com a cobertura jornalística das eleições ficaram em segundo plano.
 
Ainda mais relevante foi o trabalho offline: com a cobertura ao vivo, as emissoras ganharam em velocidade para informar os dados atualizados das apurações, em seus respectivos municípios. Entrevistas com os candidatos após os resultados, além de análises jornalísticas, também foram atrativos importantes para quem buscou o rádio como fonte de informação. Várias emissoras musicais interromperam suas grades normais para poder acompanhar o processo eleitoral, no dia 2 de outubro. A tendência é que o cenário seja repetido no próximo dia 30, nas cidades que contam com o segundo turno.
 
Segundo pesquisa divulgada pelo Datafolha, 57% dos paulistanos disseram não ter visto o horário eleitoral gratuito. Ao mesmo tempo, no período do horário eleitoral, o candidato João Dória (PSDB), subiu fortemente nas intenções de voto em todas as faixas. Como isso aconteceu? Segundo o instituto de pesquisa, foram nas inserções espalhadas ao longo do dia, no rádio, que as campanhas de fato aconteceram. Ou seja: assim como em todo o país, o veículo teve ação primordial na decisão de voto e, consequentemente, no resultado das Eleições 2016”
 
PARABÓLICAS
 
O velho e bom profissional Osmário Wanderley de um lado. Do outro o preclaro Adilson Paixão. Esses ilustres profissionais fizeram as campanhas de Max e Neucimar, respectivamente, no rádio.
 
O rádio aqui e fora já não é o mesmo. Muitos amadores em ação fazendo um rádio super chato de ser ouvido.
 
Falar nisso, lembro do bom rádio feito por Izaias Marques, Guilherme Amorim, Jairo Maia, Otavio Lara e outros mais.
 
Uma vez o mestre Helio Ribeiro, com quem tive o prazer de conversar me disse: “Ou você dirige ou faz microfone”. Aí aprendi.
 
MENSAGEM FINAL
 
A maioria de nossos gastos é feita para propiciar nossos esforços de nos parecermos com os outros. Ralph Waldo Emerso

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

OPINIÃO
Renata Oliveira
Demandas na mesa
Novo presidente da Assembleia terá o desafio de criar condições de visibilidade para deputados
Geraldo Hasse
A madre superiora manda recado
Tirar das cadeias os presos provisórios pode ser o primeiro passo para a implantação da Justiça
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Mais que mil palavras!
Flânerie

Manuela Neves

As primeiras artes de Luizah Dantas nas paredes da casa de Branca
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Não basta excluir os pobres, é preciso matá-los?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

A posição astral para 2017
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Erick Musso já teria os votos para ser eleito presidente da Assembleia

Histórico da Amunes favorece Zanon na disputa com Gilson Daniel

Sindicato pede mais tempo para reorganização de pessoal na Justiça capixaba

Movimento Nacional dos Direitos Humanos no ES vai debater situação do sistema prisional capixaba

Febre amarela já pode ter vitimado mais de mil macacos no Espírito Santo