Seculo

 

Um ano depois, expedição mostra que água do Rio Doce continua imprópria


08/11/2016 às 15:54
Um ano depois do crime da Samarco/Vale-BHP, a contaminação do Rio Doce não cessou e ainda há arrasto de sedimentos por toda a bacia. Essas foram as constatações mais graves da segunda expedição da Fundação SOS Mata Atlântica desde o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG).

As análises recentes foram feitas de 19 a 28 de outubro e, dos 18 pontos, 14 permanecem sem condições de uso, sendo que 13 ainda estão sem vida (nove classificados como péssimo e quatro como ruim) e um estava soterrado, sem condições de coleta. Na primeira expedição, realizada entre 6 e 12 de dezembro de 2015, o índice de Qualidade de Água (IQA) foi péssimo em 16 localidades e em duas a avaliação foi de regular.

“O despejo contínuo de rejeitos de minério na região de cabeceira da bacia hidrográfica mantém os rios mortos e sem condições de usos, apresentando riscos à saúde das comunidades ribeirinhas, aos animais e ecossistemas”, afirma o relatório da expedição.

Apenas três pontos apresentaram melhora, sendo três classificados como regular e um como ótimo. “Notamos como a presença de vegetação nativa protege a água, pois nos trechos onde existe remanescente de Mata Atlântica, nas áreas protegidas que não foram arrastadas pela lama, três pontos se recuperaram”, acrescenta Malu Ribeiro, coordenadora da Rede das Águas da ONG.



Nesses três pontos que apresentaram melhora, foi possível encontrar fauna e flora, incluindo uma família de antas. Malu alerta, no entanto, que, caso o nível de chuvas se intensifique na região, aumentando a vazão de água da bacia do Rio Doce, há risco desses trechos receberem sedimentos novamente, se não houver ações de recuperação.

Nada mudou

“Como passou um ano e nada praticamente mudou, se as ações de recuperação não começarem, levaremos mais de uma década para que esses rejeitos de minérios, que não decantam, deixem de ter impacto na bacia do Rio Doce”, conta a coordenadora.

Chamou atenção os elevados índices de turbidez (redução da transparência da água devido à presença de resíduos em suspensão). Enquanto a legislação permite no máximo 100 NTU, em localidades como Barra Longa do Rio Doce e São José do Goiabal foram registrados 4.990 NTU e 2014.1, respectivamente.

Os níveis de manganês em água potável (0,1mg/L) também foram muito maiores do que o permitido. Os pontos com maiores índices foram em Ipatinga (Rio Doce x Rio Piracicaba) com 2,76 mg/L; em Barra Longa – Rio Doce com 1,97 mg/L e em Perpétuo Socorro – balsa Rio Doce com 1,28 mg/L.

A ONG denuncia que as obras realizadas até o momento visam apenas evitar novos danos, repercutindo ainda o rompimento da barragem, mas que nenhuma medida de recuperação do Rio Doce ainda foi tomada.

O relatório será encaminhado aos Ministérios Públicos Federal e dos Estados, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Ministério do Meio Ambiente, Frente Parlamentar Ambientalista e comitês de bacia.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Precipitou-se

Com um olho em 2018 e outro em 2020, Luciano Rezende antecipou o processo eleitoral, mas esqueceu a Lava Jato. Aí mora o problema.

OPINIÃO
Renata Oliveira
Bicho-papão
O ajuste fiscal de Paulo Hartung precisa do exemplo do Rio de Janeiro tanto para cortar quanto para supervalorizar a liberação de recursos
Renata Oliveira
Majeski deve bater asas
Pelo andar da carruagem da disputa pela presidência do PSDB estadual, a história do deputado com o partido caminha para um melancólico fim
JR Mignone
Qual rádio ouviria hoje?
Sinceramente, não saberia explicar que tipo de rádio eu ouviria hoje, isto é, que me motivaria a ligar o botão para ouvi-la: uma de notícia ou uma só de música selecionada
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
Caetano Roque
Emprego de ficção
Diariamente vagas e mais vagas são prometidas nos jornais e onde está o sindicato para cobrar isso
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Precipitou-se

Subseção da OAB-ES cobra esclarecimento sobre atuação de Homero Mafra na defesa de acusado

Posse de tucano no Turismo é demonstração interna de força de Colnago

Justiça Federal determina que 14 municípios adotem ponto eletrônico para médicos e dentistas

Dary Pagung vai fechar a porta para emendas de deputados no orçamento