Seculo


  • Lava Jato no ES

 

São Paulo acusa Hartung de 'maquiagem legislativa' na convalidação de incentivos fiscais


18/11/2016 às 14:32
A política de incentivos fiscais do Espírito Santo nunca esteve tão ameaçada. Em nova investida, o Estado de São Paulo pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) que declare a inconstitucionalidade de lei capixaba, aprovada em julho, que regulamentou e convalidou todos os benefícios dos chamados Contratos de Competitividade (Compete-ES). A Procuradoria paulista acusa o governo Paulo Hartung (PMDB) de promover uma “maquiagem legislativa” para garantir a manutenção dos incentivos à revelia da legislação.

Na peça protocolada na última semana, o procurador-geral paulista, Elival da Silva Ramos, pediu o aditamento à inicial da ação direta de inconstitucionalidade (ADI 4935), que pedia a nulidade do decreto que instituiu o mesmo benefício ao setor atacadista. Mesmo com a aprovação de lei específica, o Estado de São Paulo alega que o artigo 16 da Lei nº 10.568/2016, que trata da questão dos atacadistas,  é praticamente idêntica à questionada na ação. “O benefício foi renovado sem autorização do Confaz. Assim, embora veiculado por lei, não cumpre a condição constitucional”, aponta o texto.

Assim como o governador capixaba, a Procuradoria paulista também recorre à crise financeira dos estados para criticar a chamada guerra fiscal: “Flagrante a mantença da inconstitucionalidade pela mera constatação, no novo diploma, de que o contribuinte capixaba lançará integralmente, nas notas fiscais interestaduais, o valor integral do imposto, mas não o recolherá, exportando, assim, créditos indevidos para as unidades de destino. Nada mais desleal. Verdadeiro exercício arbitrário das próprias razões. Barbárie patente. Isso em tempos de finanças debilitadas e parcos recursos públicos”.

Isso porque o mecanismo do incentivo reduz a alíquota do ICMS às empresas atacadistas para 1,1%, sendo que a Resolução do Senado nº 13/2012 fixou a alíquota em 4%. A Procuradoria de São Paulo também critica o fato do benefício capixaba ser mantido em caso de vendas a contribuintes, vedado pela Emenda Constitucional nº 87/2015. “Em que pese o fundamento imediato da ação proposta ter sido revogado, por malicioso comportamento do Estado requerido, o fundamento mediato permanece o mesmo”, sustenta a defesa paulista.

Entre os pedidos feitos ao relator da ADI, ministro Gilmar Mendes, o Estado de São Paulo quer a alteração da inicial para substituição da norma questionada – do decreto revogado para a lei em vigor –, mediante nova notificação do governador capixaba e da Assembleia Legislativa. A Advocacia-Geral da União (AGU) e a Procuradoria Geral da República (PGR) já se manifestarem pela procedência da ação em relação ao decreto. A expectativa é de que os órgãos sigam o mesmo entendimento em relação à lei.

Hoje, os benefícios do Compete-ES são responsáveis por uma renúncia fiscal na ordem de R$ 1 bilhão por ano. Apenas o setor atacadista é responsável por R$ 708 milhões que vão deixar de entrar no caixa em 2016. O próprio governo estima que o setor deixe de recolher R$ 2,9 bilhões até o final de 2019. No período, a renúncia fiscal oriunda do incentivo deve bater a marca de R$ 4,27 bilhões – valor que motivou entidades sindicais a pedir o impeachment de Hartung, já rejeitado pela Assembleia Legislativa. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Tem, sim!

Não escapou Hartung nem Baianinho dos protestos de desta sexta-feira no Estado

OPINIÃO
Editorial
A PM sendo PM
Depois de estarem do “outro lado do balcão, policiais militares voltam a recorrer à violência para reprimir greve geral dos trabalhadores no ES
Piero Ruschi
O desmanche do Museu Mello Leitão
Um ato de desrespeito à população que foi camuflado e conta com o apoio da própria diretoria e sua associação de amigos
Renata Oliveira
Bancada na berlinda
A votação sobre a reforma trabalhista pode condenar metade da bancada capixaba, mas deputados parecem confiar na dialética
Nerter Samora
Uma nova República
Prestes a ser aprovada, a lei sobre abuso de autoridade é um bem necessário para esse ''novo Brasil''
Geraldo Hasse
Os apuros do rei da petroquímica
A ascensão da Braskem faz lembrar o ditado: tudo que sobe rápido demais, desce ligeirinho
Lídia Caldas
Como ter um coração saudável?
Curioso que algumas coisas que hoje são heresias amanhã podem se tornar dogmas
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Nenna, em transição
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Odebrecht quebrou a "Omertá", e agora?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Nossa Terra, nossa gente
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Theodorico Ferraço vira réu em ação de improbidade administrativa

Greve Geral: manifestações pacíficas são dispersadas com violência pela Polícia Militar

Delações da Odebrecht mudam expectativas de composições eleitorais para 2018

Givaldo critica Hartung, Lelo e Ana Paula Vescovi em protesto contra Reforma Trabalhista

STF decide que terreno de marinha em ilha com sede de município é da União