Seculo


  • Lava Jato no ES

 

Falcatrua Futebol Clube


18/11/2016 às 18:25
A seleção brasileira de maracutaias legalizadas joga -- e ganha sempre -- com Auxílio Moradia, Carro Oficial, Teto Salarial do Funcionalismo, Quinquênio e Ponto Facultativo; Férias Judiciárias e Subsídio Parlamentar; Aditivo Contratual, Ajuste Fiscal, A Voz do Brasil e Jornal Nacional.  
 
Enquanto as coisas estiverem assim, dificilmente haverá perspectiva de melhora para o Brasil, um país em que os ricos e bem nascidos se esmeram em cumular-se de vantagens exclusivas.
 
A injustiça latente do sistema político-econômico gera insatisfação e desencadeia esforços extras para equilibrar as coisas. Mas nem o jeitinho resolve. Estudantes apelam, sindicatos reclamam, policiais descem o cacete e políticos debatem sem que mude o curso das águas poluídas.
 
Quem gosta de futebol sabe que nâo há coisa pior do que árbitro parcial, popularmente conhecido como "juiz ladrão". Mas não adianta imaginar que a eliminação do juiz vai acabar com a falcatrua.
 
A máquina está montada para perpetuar privilégios. Se um membro do Judiciário for expulso de campo por alguma falcatrua, sua família passará a viver da pensão correspondente, enquanto a burocracia automaticamente colocará outro no seu lugar.
 
A única saída seria mudar a legislação pertinente, com o que a bola ficaria nas mãos dos membros do Congresso, 571 deputados + 81 senadores, que constituem um dos bastiões menos confiáveis da república.
 
O resto é com o Judiciário, fiador da democracia. No papel, uma beleza. Na realidade, a maioria esmagadora dos magistrados oferece diariamente mais motivos para desespero: um dos países mais ricos do mundo está condenado a passar vergonha porque não aprendeu a cuidar da maioria de sua população, pobre e carente.
 
LEMBRETE DE OCASIÃO
 
“A democracia moderna é constituída por quatro poderes: o legislativo, o executivo, o judiciário, e o dinheiro. Sendo que este funciona junto com todos os outros e pode funcionar sem nenhum dos outros.”
 
Millor Fernandes     

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Tem, sim!

Não escapou Hartung nem Baianinho dos protestos de desta sexta-feira no Estado

OPINIÃO
Editorial
A PM sendo PM
Depois de estarem do “outro lado do balcão, policiais militares voltam a recorrer à violência para reprimir greve geral dos trabalhadores no ES
Piero Ruschi
O desmanche do Museu Mello Leitão
Um ato de desrespeito à população que foi camuflado e conta com o apoio da própria diretoria e sua associação de amigos
Renata Oliveira
Bancada na berlinda
A votação sobre a reforma trabalhista pode condenar metade da bancada capixaba, mas deputados parecem confiar na dialética
Nerter Samora
Uma nova República
Prestes a ser aprovada, a lei sobre abuso de autoridade é um bem necessário para esse ''novo Brasil''
Geraldo Hasse
Os apuros do rei da petroquímica
A ascensão da Braskem faz lembrar o ditado: tudo que sobe rápido demais, desce ligeirinho
Lídia Caldas
Como ter um coração saudável?
Curioso que algumas coisas que hoje são heresias amanhã podem se tornar dogmas
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Nenna, em transição
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Odebrecht quebrou a "Omertá", e agora?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Nossa Terra, nossa gente
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Governador vira alvo nos protesto dos servidores públicos

Greve Geral: manifestações pacíficas são dispersadas com violência pela Polícia Militar

Delações da Odebrecht mudam expectativas de composições eleitorais para 2018

Givaldo critica Hartung, Lelo e Ana Paula Vescovi em protesto contra Reforma Trabalhista

STF decide que terreno de marinha em ilha com sede de município é da União