Seculo

 

Defesa da democracia


17/03/2015 às 12:42
Na década de 50 ocorreu um grande movimento na Central do Brasil, justamente em um 13 de março, pedindo as reformas de base, que garantiram democracia, liberdade e transparência. Uma década depois, dia 15 de março, deu-se início o governo militar no Brasil. Pelo jeito, cada lado escolheu friamente a data para seus protestos deste fim de semana. A coluna fica preocupada com o próximo dia 31, dia do golpe militar. 
 
O movimento da década de 50 não impediu que anos depois o País caísse na mais obscura página de sua história, com o golpe militar, que cerceou os direitos fundamentais da democracia no Brasil. 
 
Desde 2013, uma série de movimentos na rua vem acontecendo no Brasil com uma cobrança de pautas diversas, sem um foco político que traga realmente mudanças políticas profundas que contribuam para o aprimoramento da democracia. 
 
Aliás, o movimento que foi às ruas no domingo (15) não tem esse objetivo mesmo. Diante da derrota nas urnas, o movimento que se disse apartidário, quer ganhar no grito. Até aí, é da democracia, mas o que preocupa é o discurso da defesa do militarismo, em pleno século 21, depois de tanta luta para tirar o País desse momento tenebroso, um retorno anti-democrático fica difícil de entender.
 
Ainda bem que os militares de hoje têm um pouco mais de consciência, naquela época eles comandaram um golpe de estado, controlado pela direita. Desta vez, apesar do apelo da burguesia, estão quietos. Mas todo cuidado é pouco. 
 
Diante dessas movimentações todas, há de se destacar o movimento da última sexta-feira (13). A Central Única dos Trabalhadores (CUT) entendeu errado o momento. Fez um movimento em horário comercial, no momento em que o trabalhador estava no trabalho. Quem foi às ruas foram, políticos ligados ao PT e aposentados. O resultado não poderia ser outro, uma série de atos minguados. 
 
O movimento sindical entendeu errado o momento e acabou prejudicando mais do que ajudando a defesa do governo federal. A estratégia deveria ter sido pensada com mais calma e ser mais eficiente, afinal, desde o final da eleição essa movimentação já vinha sendo ensaiada. 
 
A defesa da Petrobras, das ações do governo e, sobretudo, da imagem da presidente Dilma Rousseff. Disso depende a manutenção dos ganhos da classe trabalhadora nesse período e, mais importante, a defesa da democracia. 
 
Só quando se perde um direito é que se sente falta dele. Por isso, trabalhador, abra seu olho. 
 
O caminho é pela esquerda, um retorno à direita seria desastroso!

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Rabiscos eleitorais

Articuladores já fazem suas contas de 2018. Entre os deputados considerados reeleitos, está quase toda bancada do PMDB, incluindo Erick Musso. Mas, antes, terá que colocar um ''bonde'' pra correr

OPINIÃO
Editorial
À oposição, o respeito!
Seja manifestando uma simples opinião ou criticando medidas do próprio legislativo ou do governo, falou em Sergio Majeski, o tiroteio é garantido
Piero Ruschi
Carta de aniversário ao papai
‘Venho lhe desejar um feliz aniversário de 102 anos, o mais feliz possível, diante de todas mazelas que atormentam o Museu que o senhor criou e o meio ambiente que tanto defendeu
Gustavo Bastos
Destino e acaso
''Quanto ao cético do acaso, ele chama destino de delírio e acaso de nada''
Geraldo Hasse
Em defesa da soberania
Manifesto combate o entreguismo, filho dileto do colonialismo neoliberal
Roberto Junquilho
Os pequenos se movem
Para garantir verba do fundo partidário, siglas como o PCdoB têm que apresentar chapa majoritária em 2018. E, no Estado, como fica?
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Hartung reforça interesse em projeto nacional nas eleições de 2018

Manifesto denuncia ameaças a lideranças mobilizadas contra agrotóxicos em Boa Esperança

Fundação Renova é multada e Samarco/Vale-BHP vira alvo de mais uma ação civil pública

Morre Chico Flores

Trabalhadores encerram Greve em Brasília e Jejum nos estados