Seculo

 

Comunidades se mobilizam para acompanhar processo de expansão do Portocel


10/12/2016 às 15:17
Cerca de 84% da receita do município de Aracruz é gerada na região de Barra do Riacho, Vila do Riacho e Barra do Sahy. No entanto, as comunidades não recebem investimentos sociais e ambientais proporcionais à sua importância política, restando a elas conviver com aumento dos problemas sociais. São crescentes os casos de prostituição, uso e tráfico de drogas, homicídios e outras formas de violência social.

Foi a partir desse ponto de vista que as lideranças presentes na consulta pública do Termo de Referência para a elaboração do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) do Projeto Portocel II, em Barra do Riacho, realizada na última quinta-feira (08), se pronunciaram frente ao Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e ao empreendedor.

O descaso com a região é tamanho que nem mesmo a verba que precisa ser destinada a Unidades de Conservação (UCs) conseguiu ficar próximo às comunidades atingidas pela última expansão do Portocel - porto da Aracruz Celulose (Fibria). Em vez de investir na Área de Proteção Ambiental (APA) Costa das Algas, ao sul, ou na Reserva Biológica de Comboios, ao norte, o dinheiro foi todo direcionado ao Morro do Aricanga, a 26km de distância. “Pode ter formalidade, explicação, mas a gente não aceita isso não”, questiona Herval Nogueira, morador de Barra do Riacho e ativista da Rede Alerta Contra o Deserto Verde.

Nenhum dos empreendimentos industriais instalados na região – Aracruz Celulose (Fibria) e suas expansões, Jurong, Portocel e suas expansões, Imetame ... – trouxe os benefícios prometidos, alerta o ambientalista e liderança comunitária. Não houve geração de empregos – o bairro tem apenas uma única pessoa com emprego direto na Aracruz Celulose (Fibria) – e, ao contrário, aniquilação dos costumes tradicionais. “Não tem emprego e não tem a natureza pra tirar o sustento”, resume Herval.

Autoridades perversas

Cansados de promessas vazias e da inoperância do Estado, principalmente através da falta de estrutura do Iema, as três comunidades decidiram formar uma comissão para fazer sugestões e acompanhar de perto o processo de licenciamento da expansão do Portocel. A intenção é de fazer um seminário de meio dia com as lideranças e levantar as principais necessidades e reivindicações.

Entre elas, certamente, serão levantados o problema de saneamento básico, da qualidade da água – há mais de uma década que a população de Barra do Riacho convive com água amarela nas torneiras e precisa comprar água mineral para beber e sofre com alergias com a água do banho – da violência e criminalidade, da geração de emprego e de saúde pública – recentemente, tem sido observado um aumento expressivo do número de casos de câncer e de depressão nas comunidades.

“É muita carência”, lamenta Herval, citando a responsabilidade não só dos empreendimentos, mas também do Estado. “As autoridades são perversas. Não têm essa responsabilidade pra amenizar esses impactos, que elas mesmas ajudam a provocar”, acusa. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Precipitou-se

Com um olho em 2018 e outro em 2020, Luciano Rezende antecipou o processo eleitoral, mas esqueceu a Lava Jato. Aí mora o problema.

OPINIÃO
Renata Oliveira
Bicho-papão
O ajuste fiscal de Paulo Hartung precisa do exemplo do Rio de Janeiro tanto para cortar quanto para supervalorizar a liberação de recursos
Renata Oliveira
Majeski deve bater asas
Pelo andar da carruagem da disputa pela presidência do PSDB estadual, a história do deputado com o partido caminha para um melancólico fim
JR Mignone
Qual rádio ouviria hoje?
Sinceramente, não saberia explicar que tipo de rádio eu ouviria hoje, isto é, que me motivaria a ligar o botão para ouvi-la: uma de notícia ou uma só de música selecionada
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
Caetano Roque
Emprego de ficção
Diariamente vagas e mais vagas são prometidas nos jornais e onde está o sindicato para cobrar isso
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Precipitou-se

Subseção da OAB-ES cobra esclarecimento sobre atuação de Homero Mafra na defesa de acusado

Posse de tucano no Turismo é demonstração interna de força de Colnago

Justiça Federal determina que 14 municípios adotem ponto eletrônico para médicos e dentistas

Dary Pagung vai fechar a porta para emendas de deputados no orçamento