Seculo

 

Volta às origens


20/12/2016 às 10:51
A coluna não quer incentivar isso, mas neste momento é preciso se pronunciar. A maioria dos trabalhadores não quer saber de se sindicalizar. Os patrões conseguiram convencê-los de que o Sindicato não tem validade. Isso, somando às bobagens que alguns dirigentes sindicais vem cometendo à frente das entidades, cria-se uma barreira muito grande para a atuação das entidades sindicais. 
 
Neste cenário, podemos chegar a duas conclusões. A primeira: é vamos ver se é mesmo intenção do patrão acabar com o sindicato. Afinal, isso está nas mãos deles, se acabarem com o imposto sindical, vão deixar todos os sindicatos no vermelho, o que pode fazer com que as entidades voltem à sua função de origem, depurando suas direções, tirando do sindicato quem quer fazer carreira com o dinheiro do trabalhador. 
 
A segunda é a posição dos trabalhadores, se querem ou não acabar com o sindicato. Se sentirem que é importante ter a representatividade, vão se voltar para o sindicato, tirando eles mesmos, as direções que não representam o interesse do trabalhador; ou se entenderem que não há essa necessidade, que deixem os sindicatos falirem. 
 
A coluna paga para ver. Afinal, o imposto sindical é uma prisão tanto para os dirigentes que acabaram minguando a luta do trabalhador e, por outro lado, se transformou em moeda de troca na mão da classe empresarial e do governo, que defende o capital. 
 
A luta pelo fim do imposto sindical não é nova. Os próprios dirigentes, aqueles comprometidos com a luta dos trabalhadores, sabem que esse recurso desmobiliza as categorias. A CUT foi criada tendo como uma das principais bandeiras para acabar com ele, e até hoje não conseguiu. Muitos dirigentes se perpetuam à frente das entidades, justamente para viver às custas desse recurso. 
 
Neste sentido, o momento, que parece sombrio para a classe trabalhadora, pode ter um lado positivo, pois permitirá que se faça esse corte, mostrando quais os sindicatos que realmente estão comprometidos com a luta e quais estão aí só para garantir a boa vida de seus dirigentes. Neste caso, há males que vem para o bem. 
 
É hora de a onça beber água!

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Sobrou

Ninho tucano no Estado já estaria pequeno para Colnago, Ferraço e Luiz Paulo. Em desvantagem, o ex-prefeito de Vitória. Será?

OPINIÃO
Editorial
Ruim da cabeça ou doente do pé?
Luciano Rezende quer acabar com o chorinho de Camburi, o Som de Fogueira da Lama e com o tradicional circuito do samba no Centro
Renata Oliveira
Pequenos detalhes, grandes problemas
Situações que antes não eram sequer cogitadas hoje trazem dores de cabeça ao governador Paulo Hartung
Lídia Caldas
Livre-se da armadilha dos rótulos
A informação é o melhor remédio contra a indústria
Geraldo Hasse
Marcha à ré nos biocombustíveis
O governo Temer desmancha os vínculos entre a Petrobras e os agricultores familiares
Caetano Roque
Discurso surdo
Não adianta fazer informativo sobre o golpe que fica restrito à fábrica. É preciso envolver a sociedade
Nerter Samora
Um novo Ministério Público
Renovação no quadro de procuradores de Justiça é oportunidade para novos grupos politicos
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

pelas beiras!
Flânerie

Manuela Neves

Carmélia, um pouco mais dela
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Os tanques de guerra e a marcha dos insensatos
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Sob o céu de Miami
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Advogada denuncia pressão de secretário de Meio Ambiente contra retomada do nome original do Revis Fradinhos

Sobrou

Urgência de projeto de cessão de PMs segue no Expediente da Assembleia

TJES condena Gratz e Gilson Gomes por esquema de diárias na Assembleia

MPES vai investigar reestruturação administrativa da Prefeitura de Viana