Seculo

 

Volta às origens


20/12/2016 às 10:51
A coluna não quer incentivar isso, mas neste momento é preciso se pronunciar. A maioria dos trabalhadores não quer saber de se sindicalizar. Os patrões conseguiram convencê-los de que o Sindicato não tem validade. Isso, somando às bobagens que alguns dirigentes sindicais vem cometendo à frente das entidades, cria-se uma barreira muito grande para a atuação das entidades sindicais. 
 
Neste cenário, podemos chegar a duas conclusões. A primeira: é vamos ver se é mesmo intenção do patrão acabar com o sindicato. Afinal, isso está nas mãos deles, se acabarem com o imposto sindical, vão deixar todos os sindicatos no vermelho, o que pode fazer com que as entidades voltem à sua função de origem, depurando suas direções, tirando do sindicato quem quer fazer carreira com o dinheiro do trabalhador. 
 
A segunda é a posição dos trabalhadores, se querem ou não acabar com o sindicato. Se sentirem que é importante ter a representatividade, vão se voltar para o sindicato, tirando eles mesmos, as direções que não representam o interesse do trabalhador; ou se entenderem que não há essa necessidade, que deixem os sindicatos falirem. 
 
A coluna paga para ver. Afinal, o imposto sindical é uma prisão tanto para os dirigentes que acabaram minguando a luta do trabalhador e, por outro lado, se transformou em moeda de troca na mão da classe empresarial e do governo, que defende o capital. 
 
A luta pelo fim do imposto sindical não é nova. Os próprios dirigentes, aqueles comprometidos com a luta dos trabalhadores, sabem que esse recurso desmobiliza as categorias. A CUT foi criada tendo como uma das principais bandeiras para acabar com ele, e até hoje não conseguiu. Muitos dirigentes se perpetuam à frente das entidades, justamente para viver às custas desse recurso. 
 
Neste sentido, o momento, que parece sombrio para a classe trabalhadora, pode ter um lado positivo, pois permitirá que se faça esse corte, mostrando quais os sindicatos que realmente estão comprometidos com a luta e quais estão aí só para garantir a boa vida de seus dirigentes. Neste caso, há males que vem para o bem. 
 
É hora de a onça beber água!

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

Crônica de uma eleição

Vagões do trem do governador Paulo Hartung estão acima da capacidade da locomotiva. Haja peso para carregar...

OPINIÃO
Editorial
Futuro interrompido
Onde estão os promotores, delegados, políticos e demais agentes públicos para berrarem em defesa da infância? Mortes no Heimaba são alarmantes e inadmissíveis!
Bruno Toledo
Em defesa dos defensores
Nunca antes foi tão necessário e urgente o fortalecimento da Defensoria Pública
Eliza Bartolozzi Ferreira
A greve é um direito
Prefeito de Vitória ignorou o direito dos professores e adotou medidas coercitivas contra a liberdade de expressão e de greve
JR Mignone
Nova rádio
Tudo modificado, tudo moderno na Rádio Globo
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Vitória já poderia ter identificado as fontes de emissão de pó preto

Regimento Interno da Câmara da Serra torna nulo pedido de empréstimo para a prefeitura

Audiência Pública debate políticas de enfrentamento às desigualdades raciais

Pulverizações com agrotóxicos continuam no entorno do Parque de Itaúnas

Mordaça na escola