Seculo

 

Volta às origens


20/12/2016 às 10:51
A coluna não quer incentivar isso, mas neste momento é preciso se pronunciar. A maioria dos trabalhadores não quer saber de se sindicalizar. Os patrões conseguiram convencê-los de que o Sindicato não tem validade. Isso, somando às bobagens que alguns dirigentes sindicais vem cometendo à frente das entidades, cria-se uma barreira muito grande para a atuação das entidades sindicais. 
 
Neste cenário, podemos chegar a duas conclusões. A primeira: é vamos ver se é mesmo intenção do patrão acabar com o sindicato. Afinal, isso está nas mãos deles, se acabarem com o imposto sindical, vão deixar todos os sindicatos no vermelho, o que pode fazer com que as entidades voltem à sua função de origem, depurando suas direções, tirando do sindicato quem quer fazer carreira com o dinheiro do trabalhador. 
 
A segunda é a posição dos trabalhadores, se querem ou não acabar com o sindicato. Se sentirem que é importante ter a representatividade, vão se voltar para o sindicato, tirando eles mesmos, as direções que não representam o interesse do trabalhador; ou se entenderem que não há essa necessidade, que deixem os sindicatos falirem. 
 
A coluna paga para ver. Afinal, o imposto sindical é uma prisão tanto para os dirigentes que acabaram minguando a luta do trabalhador e, por outro lado, se transformou em moeda de troca na mão da classe empresarial e do governo, que defende o capital. 
 
A luta pelo fim do imposto sindical não é nova. Os próprios dirigentes, aqueles comprometidos com a luta dos trabalhadores, sabem que esse recurso desmobiliza as categorias. A CUT foi criada tendo como uma das principais bandeiras para acabar com ele, e até hoje não conseguiu. Muitos dirigentes se perpetuam à frente das entidades, justamente para viver às custas desse recurso. 
 
Neste sentido, o momento, que parece sombrio para a classe trabalhadora, pode ter um lado positivo, pois permitirá que se faça esse corte, mostrando quais os sindicatos que realmente estão comprometidos com a luta e quais estão aí só para garantir a boa vida de seus dirigentes. Neste caso, há males que vem para o bem. 
 
É hora de a onça beber água!

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Caravana do Amaro

Com a consolidação do movimento em torno de Amaro Neto, deputados partem agora para suas bases eleitorais, exibindo o porta-estandarte de 2018

OPINIÃO
Editorial
A ‘súmula Zenkner’
O desfecho do caso do promotor que queria passar um ano nos Estados Unidos mostrou a importância do papel da imprensa de fiscalizar os agentes públicos
Piero Ruschi
Crise Ambiental
Apesar de ser abençoado pela ausência de desastres naturais como vulcões, terremotos e tufões, o Brasil amarga a desgraça de suas catástrofes ambientais
Renata Oliveira
Amaro assusta?
Os senadores Ricardo Ferraço e Magno Malta tiveram reações diferentes ao movimento do deputado
JR Mignone
Rádio saúde
Nova rádio na web mostra que esse segmento deve crescer na internet
Caetano Roque
A nova do imposto sindical
Como o Movimento Sindical não foi protagonista no processo, agora o recurso virou moeda de troca na mão do capital
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Sizino, o pioneiro
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Força Nacional e o marketing de uma falsa segurança
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Sopa de Letrinhas
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Justiça condena Gildevan Fernandes à perda do mandato por fraude em licitação

Ministério Público pede rejeição das contas de oito prefeituras em 2015

Caravana do Amaro

Ex-presidente da Câmara de Vereadores Viana é condenado a ressarcir erário

Recorde de baleias jubartes encalhadas mostra falhas no processo de monitoramento e resgate