Seculo

 

Trabalhadores da Viação Itapemirim protestam por pagamento de verbas rescisórias


29/12/2016 às 14:03
Os funcionários da viação Itapemirim, que entrou com pedido de recuperação judicial em março deste ano, protestaram na noite desta terça-feira (28), pelo pagamento das verbas rescisórias. Além das verbas rescisórias, os funcionários ficaram sem salários e tíquetes alimentação.

Os trabalhadores se manifestaram em frente ao presépio da Viação, em Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Estado.

A empresa alegou, quando entrou com o pedido de recuperação judicial, a existência de mais de R$ 300 milhões em dívidas. O pedido de recuperação envolvia as empresas Viação Itapemirim S/A, Transportadora Itapemirim S/A, ITA – Itapemirim Transportes S/A, Imobiliária Branca Ltda, Cola Comercial e Distribuidora Ltda e Flexa S/A – Turismo Comércio e Indústria.

Este processo, no entanto, não incluiu a Viação Kaissara, que anunciou ter adquirido 40% da frota de veículos da Itapemirim no segundo semestre do ano passado. A Viação Itapemirim e a Kaissara se confundem até mesmo na cor dos ônibus e a Kaissara utiliza a garagem da Itapemirim, localizada próxima ao Trevo de Alto Laje, às margens da BR-262 no trecho urbano de Cariacica, para estacionamento dos ônibus.

Em abril do ano passado, a ANTT autorizou a transferência dos serviços entre a Viação Itapemirim e a Viação Caiçara. Ao todo, cerca de 70 rotas foram repassadas à nova empresa, entre eles, as linhas mais expressivas – Rio de Janeiro x São Paulo, Recife x Rio de Janeiro, São Paulo x Curitiba, além de outros trechos como destino final em Salvador, Belo Horizonte e outras Capitais. O fato permitiu que, da noite para o dia, a Kaissara se tornasse uma das principais do setor no País.

Segundo informações do jornal Aqui Notícias, da região sul do Estado, nesta a Itapemirim  e a Kaissara foram vendidas e se tornarão uma só empresa. Em contato com a assessoria de imprensa das empresas, elas alegaram ao jornal que não se manifestariam sobre o assunto.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Agência Senado
Cotações

Apesar de já ter anunciado apoio a Majeski, sobem as apostas de que Max Filho poderá, mesmo, é fixar lugar no palanque de Rose

OPINIÃO
Editorial
Quem paga a conta senta na cabeceira?
O financiamento pela Arcelor de uma pesquisa da Ufes de R$ 2 milhões acende o alerta sobre a autonomia universitária e a transparência nos acordos entre academia e capital privado
Piero Ruschi
Visita à coleção zoológica de Augusto Ruschi
Visitei a coleção zoológica criada por meu pai e seu túmulo na Estação Biológica. Por um lado, bom, por outro, angústia
JR Mignone
Uma análise
Algumas emissoras, aquelas que detêm alguma ou boa audiência, dedicam-se pouco à situação do país
Geraldo Hasse
Refém do Mercado
O País está preso ao neoliberalismo do tucano Pedro Parente, presidente da BR
Roberto Junquilho
A montagem da cena
Em baixa junto aos prefeitos da Grande Vitória, Hartung dispara para o interior do Estado
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Arrogância também conta?
MAIS LIDAS

Candidatura de Lula à Presidência será lançada neste domingo em Vitória e Serra

Servidores do Ibama e ICMBio no Estado protestam contra loteamento político do órgão

O 7x1 da literatura

Quem paga a conta senta na cabeceira?

Projeto da nova sede do IPAJM é 'reavaliado' por Instituto de Obras do Estado