Seculo

 

Em pleno verão, rotativo de Guarapari vive crise de credibilidade


01/01/2017 às 16:59
O que era para ser solução, virou problema. O sistema de estacionamento rotativo de Guarapari vive uma crise aguda de credibilidade em pleno verão, quando a população na cidade triplica com os turistas. 
 
No início de dezembro, a Comissão Especial de Investigação (CEI) da Câmara Municipal de Guarapari instaurada para apurar possíveis irregularidades na licitação e no funcionamento do rotativo pediu a suspensão e cancelamento do contrato com a Vista Group Network Sistemas e Empreedimentos Ltda ME (VGN), concessionária do sistema. E, segundo relatório final da comissão, a dívida da empresa com os cofres públicos chegaria a R$ 400 mil, segundo matéria do jornal Folha da Cidade do último dia 23. 
 
O relatório final ainda não foi aprovado. Os membros da comissão, o presidente Thiago Paterlini (PSDB), o relator Manoel Couto (PT) e a vice-presidente Fernanda Mezzelli (PSD), irão tentar a convocação de sessão extra para obter a aprovação do texto. Já o requerimento foi aprovado em plenário.
 
O pedido de suspensão e cancelamento do contrato é amparado em dois pontos. Segundo a comissão, o contrato determina o repasse de 34% da receita bruta para a prefeitura. Mas, até o início de dezembro, os vereadores garantiam que nenhum valor fora repassado. Eles destacam a cláusula que permite a suspensão do contrato em caso de atraso de 30 dias do repasse. Em 9 de dezembro, a empresa anunciou o parcelamento da dívida com o município.
 
Os vereadores também acusam a empresa de vender cotas para investidores com o objetivo de levantar capital. Eles argumentam que há uma cláusula no contrato que veda a prática, o que também ensejou o pedido de suspensão e cancelamento do contrato com a prefeitura.
 
Hoje abrangendo cerca de mil vagas de estacionamento no Centro e em Muquiçaba, com expectativa de implantar outras 500 vagas no Aeroporto, na orla da Praia do Morro e na Enseada Azul, o rotativo de Guarapari começou a operar fevereiro deste ano após alguns meses de embates judiciais. Em julho de 2015, a Justiça acatou ação da Associação dos Comerciantes de Guarapari pela suspensão do serviço. Em dezembro, do mesmo ano, a Justiça indeferiu pedido de reconsideração interposto pelo Município de Guarapari em face de decisão. 
 
Em janeiro, a Justiça negou novo pedido interposto pela prefeitura para reforma da decisão. Ainda assim, o prefeito Orly Gomes (DEM) oficiara o sócio-diretor da empresa para início da operação do rotativo a partir de 4 de janeiro. Novo pedido de reforma da decisão, desta vez interposto pela VGN, foi negado pela Justiça ainda em janeiro. O rotativo só iniciou de fato as operações após acordo entre empresa e associação dos comerciantes. 
 
O sistema também já foi alvo de investigação da CPI da Máfia dos Guinchos, na Assembleia Legislativa. Em maio, a comissão ouviu o representante do empresa, Ricardo Silva Martins, sobre autuações e guinchamento de veículos. A CPI chegou a convocar o prefeito Orly Gomes para esclarecer a licitação, mas esbarrou em habeas corpus obtido pelo demista para não prestar depoimento.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Sobrou

Ninho tucano no Estado já estaria pequeno para Colnago, Ferraço e Luiz Paulo. Em desvantagem, o ex-prefeito de Vitória. Será?

OPINIÃO
Editorial
Ruim da cabeça ou doente do pé?
Luciano Rezende quer acabar com o chorinho de Camburi, o Som de Fogueira da Lama e com o tradicional circuito do samba no Centro
Renata Oliveira
Pequenos detalhes, grandes problemas
Situações que antes não eram sequer cogitadas hoje trazem dores de cabeça ao governador Paulo Hartung
Lídia Caldas
Livre-se da armadilha dos rótulos
A informação é o melhor remédio contra a indústria
Geraldo Hasse
Marcha à ré nos biocombustíveis
O governo Temer desmancha os vínculos entre a Petrobras e os agricultores familiares
Caetano Roque
Discurso surdo
Não adianta fazer informativo sobre o golpe que fica restrito à fábrica. É preciso envolver a sociedade
Nerter Samora
Um novo Ministério Público
Renovação no quadro de procuradores de Justiça é oportunidade para novos grupos politicos
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

pelas beiras!
Flânerie

Manuela Neves

Carmélia, um pouco mais dela
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Os tanques de guerra e a marcha dos insensatos
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Sob o céu de Miami
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Advogada denuncia pressão de secretário de Meio Ambiente contra retomada do nome original do Revis Fradinhos

Sobrou

Urgência de projeto de cessão de PMs segue no Expediente da Assembleia

TJES condena Gratz e Gilson Gomes por esquema de diárias na Assembleia

MPES vai investigar reestruturação administrativa da Prefeitura de Viana