Seculo

 

Tribunal de Contas indefere medida cautelar contra licitação de abrigos de ônibus em Vitória


31/12/2016 às 17:01
Em decisão plenária, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) indeferiu medida cautelar, requerida pela empresa paulista Plamarc LTDA, para a suspensão da concorrência para a instalação e manutenção de 98 abrigos de ônibus e, ainda, a instalação de 10 relógios digitais ou eletrônicos por toda a cidade de Vitória. Publicado em agosto, o edital está suspenso desde setembro por iniciativa do município.
 
Em outubro, TCE pediu explicações à Prefeitura de Vitória sobre supostas irregularidades, determinando a notificação da secretária municipal de Desenvolvimento da Cidade, Lenise Loureiro, para se manifestar.
 
A representação da paulista Plamarc LTDA questiona o edital em 66 pontos. A empresa defende que não há concessão de serviço público, já que inexistem elementos caracterizadores para tal, e sustenta que o objeto da licitação é meramente a prestação de serviços ao município. A representação também afirma que o edital viola o princípio da competitividade. Aponta, por exemplo, que o edital não aponta os endereços dos 10 relógios digitais ou eletrônicos.  
 
A representação também aponta a falta de definições de dimensões, quantitativos e localizações de painéis de mensagens ou informações aos usuários e critica os custos de investimento projetados pelo edital.
 
O relator, conselheiro José Antônio Almeida Pimentel, indeferiu o pedido da representação por entender que não havia perigo de demora na decisão, visto que a licitação estava suspensa e, ainda, sem nova data de realização. No entanto, o conselheiro determinou que a prefeitura, caso prossiga com a concorrência, informe ao Tribunal de Contas com 15 dias de antecedência as modificações efetuadas no edital, encaminhando cópia integral do procedimento licitatório.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Quem segura?

Depois da seca, a bonança. Hartung tirou o último mês do ano para liberar seu ''pacote de bondades'''

OPINIÃO
Editorial
Morta-viva
Enfim, cumpre-se o destino óbvio no País das relações promíscuas: a Samarco/Vale-BHP tem as primeiras licenças ambientais para voltar a operar
Piero Ruschi
INMA e Ruschi em rota (s) de colisão
Nomeação de diretor dá sequência ao processo de imoralidades e falta de transparência contra patrimônio deixado por Ruschi
Gustavo Bastos
A volta do shoegaze
Ressurgimento do shoegaze se deu, sobretudo, com o retorno oficial do My Bloody Valentine
Geraldo Hasse
Aprimorando a arte das panacéias
Proliferam nas ruas os vendedores de panos de prato a 10 reais por meia dúzia
JR Mignone
Gazeta AM 34
Pode-se definir essa emissora em três fases distintas nesses 34 anos de comunicação
Roberto Junquilho
O abono como estratégia política
Como hábil conhecedor do seu mister, Hartung vislumbra apenas a conjuntura de 2018
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Redução de número de comissionados gera embate entre deputados na Assembleia

Questionamentos judiciais podem anular resultado da disputa ao comando do Crea-ES

Cesan e Cariacica negam responsabilidade sobre esgoto lançado na baía de Vitoria

Funcionário dos Correios é condenado por desviar encomendas do centro de triagem do aeroporto de Vitória

Projeto que garante abono aos servidores segue para sanção de Hartung