Seculo

 

Grana pelo ralo


03/01/2017 às 11:28

Se um trabalhador paga 35 anos de contribuição previdenciária, ele vai desembolsar, considerando os reajustes de poupança de 0,68%, R$ 422,784,02. Considerando que a expectativa de vida após a aposentadoria é de cerca de 15 anos, em média, no Brasil, ele vai receber R$ 158,400,00 nesse período, deixando R$ 264.384,00.

E aí vem a pergunta: para onde está indo esse dinheiro? Se o governo diz que tem rombo na Previdência, é porque esse dinheiro está indo para algum ralo.

Essa conta foi feita a grosso modo e rodou nas redes sociais. Já a Central Única dos Trabalhadores (CUT) tem ao seu dispor um instituto para fazer esse cálculo de forma mais apurada, que é o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese). Mas a Central prefere não mexer com isso. Está deixando as coisas acontecerem sem uma contestação qualificada, com base em dados estatísticos.

Se houvesse essa base de cálculo mais concreta, seria mais fácil mobilizar a classe trabalhadora a ir para a rua, lutar contra esse absurdo. A indignação do trabalhador com as medidas do governo já existe o que falta é a qualificação do argumento para que o trabalhador possa decidir sair às ruas.

O governo diz que há um rombo na previdência, mas quer penalizar o trabalhador para cobrir esse buraco, enquanto abastece seu jatinho com guloseimas cartas para o café durante a viagem. Isso sem falar no rio de dinheiro que o governo vem injetando nas telecomunicações ao mesmo tempo em que perdoa suas dívidas bilionárias com o País.

Por causa dessa inércia, de responsabilidade da CUT e das demais centrais, que não contrapunham as movimentações da direita, é que o trabalhador acabou servindo de massa de manobra para o apoio ao golpe. Agora, com a falta de ação das centrais em relação às garantias trabalhistas, o trabalhador não sabe bem o que fazer para reagir, porque seu instituto de representatividade não se coloca à frente do movimento para tentar barrar esses sucessivos golpes que estão sendo montados contra a população brasileira.

Não se faz mais militante como antigamente!

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Choque

Como diz o ditado, dois bicudos não se beijam. É isso mesmo, Fabrício Gandini?

OPINIÃO
Renata Oliveira
Carona perigosa
Hartung fez evento no mesmo dia da eleição da Amunes para atrair prefeitos, mas ausências ganharam mais destaque
Ivana Medeiros Zon
Mude de vida
Pensar na influência do comportamento e dos hábitos individuais, incluindo os de consumo, vai muito além do que podemos imaginar.
Nerter Samora
Pauta bomba
Fim da anistia a benefícios irregulares pode vingar rasteira dada em Ferraço por Hartung
JR Mignone
A volta da reza
Em 2013 escrevi sobre o ''Poder da Reza''. Hoje volto com ela, pois rezar, orar, falar com Deus, meditar, seja como for, nunca é demais
Caetano Roque
Briga desleal
Com a mídia na mão, o capital consegue fazer com que o cidadão acredite nas mentiras que eles querem
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

pelas beiras!
Flânerie

Manuela Neves

Carmélia, um pouco mais dela
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Deputado vai propor CPI para apurar crime da Samarco
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre sustos e suspresas
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Hartung muda discurso e atuação política depois da crise na segurança

Ferraço afirma que contrato de antecipação de royalties foi 'malfeito'

Presos do semiaberto vão trabalhar em obras e serviços públicos da Prefeitura de Colatina

Dúvida sobre relator do Caso Alexandre pode adiar julgamento de recurso no TJES

Da Vitória faz discurso apaziguador, mas mantém posição independente na Assembleia