Seculo

 

Justiça determina que Prefeitura de Vitória suspenda Praia Acessível em local impróprio para banho


04/01/2017 às 18:33
Apontando riscos sérios à saúde humana, a Justiça estadual deferiu ação com pedido de liminar apresentada pelo Ministério Público Estadual (MPES) e determinou que a Prefeitura de Vitória suspenda a implantação do programa Praia Acessível, destinado a pessoas com deficiência, na Curva da Jurema. O local é impróprio para banho. A decisão determina ainda que o município implante o programa em local próprio em até 10 dias.
 
“As fotografias que fazem parte da representação recebida pelo Ministério Público revelam com clareza que o local onde foi instalado o projeto fica em uma praia imprópria para banho, fato que, com a mais absoluta certeza, coloca em risco a saúde das pessoas beneficiadas pelo projeto. (...). Como o município oferta um serviço tão relevante em um local em que a própria Administração classificou como imprópria?”, sustenta a decisão.
 
Em seu site, a prefeitura anunciou a mudança de local, mas não explicitou a razão. Divulgou a transferência para a Praia de Camburi apenas sob a justificativa de que a balneabilidade na Curva da Jurema foi comprometida pelas chuvas de dezembro. Ou seja, não citou a decisão judicial. O projeto funciona de quinta-feira a domingo, das 8h às 13h.
 
A decisão aponta que não é apenas o lazer das pessoas com deficiência que está em jogo com a instalação do Praia Acessível em local impróprio para banho, mas o direito à saúde de todos os cidadãos. 
 
A política da Prefeitura de Vitória para as pessoas com deficiência também enfrenta críticas na área de transporte público. As pessoas com deficiência moradoras do município estão insatisfeitas com o Porta a Porta, serviço municipal de oferta de transporte para pessoas com deficiência. Com frota deficitária e uma lista de cerca de 300 pessoas aguardando inscrição, o programa é alvo constante de denúncias de serviço precário.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
CMV
Blindagem coletiva

Greve dos professores não reforçou apenas o perfil antidemocrático do prefeito, mas também a omissão da Câmara de Vitória. Só Roberto Martins enxerga o óbvio?

OPINIÃO
Editorial
'Gestão compartilhada'
Ofensiva de Luciano Rezende contra movimento dos professores revela autoritarismo e inabilidade política
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
JR Mignone
O voto facultativo
Atual insatisfação com a política seria uma chance para começar a estudar a implantação do voto facultativo?
Roberto Junquilho
Que novo é esse?
O presidenciável do PRB, Flávio Rocha, apresenta velhas fórmulas de gestão e envolve jovens lideranças
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Para, relógio
MAIS LIDAS

Blindagem coletiva

STF mantém interrupção de pagamento de gratificação a procuradores de Justiça no ES

Que novo é esse?

Professores encerram greve, mas movimento reivindicatório continua em Vitória

MAB: 'Falta organização e profissionalismo na Fundação Renova'