Seculo

 

Na fila


07/01/2017 às 18:43

Em tese, o vice-governador César Colnago (PSDB) é a liderança política com a senha número um para a sucessão de Paulo Hartung (PMDB) ao Palácio Anchieta, como o próprio peemedebista afirmou antes mesmo de tomar posse em 2015. E é isso que causa um certo desconforto na classe política. Hartung não é o tipo de liderança que antecipa qualquer tipo de movimento, muito menos um cenário para depois de quatro anos.

Diante da movimentação iniciada pelo Palácio Anchieta de que o governador pode deixar o PMDB e migrar para o PSDB de Colnago, acendeu o sinal de alerta. As afirmações de que Hartung vai se desincompatibilizar em abril do próximo ano, passando a caneta para Colnago para que ele possa disputar o governo, são possibilidades inconsistentes demais para se cravar como certas.

A história de que ele vai disputar o Senado,  acomodando o senador Ricardo Ferraço (PSDB) na disputa ao governo, o que lançaria Colnago na corrida à Câmara dos Deputados, também é uma aposta arriscada. Por isso, a expressão “cargo de expectativa” nunca fez tanto sentido, quando se trata do posto de César Colnago de vice-governador. Pode acontecer tudo isso, e pode não acontecer nada disso.

A classe política coloca a possibilidade de Hartung disputar a reeleição como algo descartado, o que não é. Tudo vai depender do cenário político no Estado e fora dele em 2018. Se o campo nacional estiver árido demais para Hartung, ele pode repetir a atitude de 2010, quando sua candidatura ao Senado era dada como certa, e disputar a reeleição, sim. Permanecendo no cargo, sem dar tão sonhada caneta a Colnago.

Mas não se deve achar que Colnago é o elo mais frágil desse debate. Desde a manobra que o levou à presidência da Assembleia (2005 - 2006), desbancando a candidatura consolidada de Mariazinha Vellozo Lucas, a parceria de Hartung com Colnago não tem prejudicado o tucano. Muito pelo contrário. Parece haver um respeito muito grande de Hartung com seu vice, que tanto ajudou o governador a chegar onde está hoje.

Em 2014, Colnago conseguiu desarmar a candidatura ao Senado de Luiz Paulo Vellozo Lucas, tirando o PSDB do palanque de Renato Casagrande, para se abrigar na candidatura de Paulo Hartung.

O tucano, como fez em todos os processos articulados com Hartung, permanece tranquilo. E enquanto Colnago estiver tranquilo é sinal de que ele está forte no jogo.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Leonardo Duarte/Secom
Uma coisa só

Enquanto no campo nacional PRB e MDB ainda estão em fase de namoro, no Estado o partido já é um “puxadinho” de Hartung. E tudo começou com Roberto Carneiro...

OPINIÃO
Editorial
MPES omisso
Ministério Público decidiu não participar das audiências de custódia. Um dos prejuízos: denúncias contra tortura, comumente relatada por presos
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
Geraldo Hasse
Vampirismo neoliberal
O governo oferece refrescos aos trabalhadores enquanto suga seu sangue
Roberto Junquilho
Quem governa?
Um novo porto na região de Aracruz demonstra que, para as corporações, as minorias não importam
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uh, Houston, temos um problem
MAIS LIDAS

Sindicato protocola denúncias contra Sesa por contratação de Organizações Sociais

Corrida ao Senado sinaliza mudança na bancada capixaba

Quem governa?

Vampirismo neoliberal

Greve dos professores de Vitória continua por tempo indeterminado