Seculo

 

Câmara dos Deputados analisa inclusão de transporte cicloviário nas políticas de mobilidade urbana


07/01/2017 às 19:13
Substitutivo que prevê a adoção de ciclovias ou ciclofaixas em projetos e obras de construção, ampliação ou adequação do sistema viário urbano, além da implementação de bicicletários, paraciclos e sinalização foi aprovado na Comissão de Viação e Transportes da Câmara. O projeto, de modo geral, inclui o transporte cicloviário na lei que trata da Política de Nacional de Mobilidade Urbana e faz ajustes no Estatuto das Cidades.
 
O texto, no entanto, exclui das obrigações acima cidades com relevo acidentado, impróprios para o uso de bicicletas, ou vias históricas cuja localização, característica histórica, função na hierarquia viária e dimensões impeçam obras para seu compartilhamento entre os diversos modais de transporte. O texto original é do senado Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e recebeu parecer do deputado João Paulo Papa (PSDB-SP).
 
O parecer do deputado paulista determina ainda que cidades com mais de 500 mil habitantes deverão incluir a implantação gradual de ciclovias e ciclofaixas em seus planos diretores de mobilidade. O texto original delegava aos municípios a responsabilidade de disponibilizar à população bicicletas públicas de uso compartilhado, o que foi rejeitado pelo deputado, que alegou se tratar a obrigação de algo, no momento, “distante da realidade”.
 
O projeto tramita em regime de prioridade. Antes de ser votado em Plenário, será analisado pelas comissões de Desenvolvimento Urbano; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. 
 
De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o único município capixaba que, em um futuro muito próximo, se encaixaria nos parâmetros do projeto é a Serra, cuja população estimada para 2016 é de 494 mil habitantes. Cidade de populosa e de grandes dimensões, a Serra ainda conta com uma infraestrutura cicloviária precária, com ciclovias desconectadas e sinalização deficiente.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Sobrou

Ninho tucano no Estado já estaria pequeno para Colnago, Ferraço e Luiz Paulo. Em desvantagem, o ex-prefeito de Vitória. Será?

OPINIÃO
Editorial
Ruim da cabeça ou doente do pé?
Luciano Rezende quer acabar com o chorinho de Camburi, o Som de Fogueira da Lama e com o tradicional circuito do samba no Centro
Renata Oliveira
Pequenos detalhes, grandes problemas
Situações que antes não eram sequer cogitadas hoje trazem dores de cabeça ao governador Paulo Hartung
Lídia Caldas
Livre-se da armadilha dos rótulos
A informação é o melhor remédio contra a indústria
Geraldo Hasse
Marcha à ré nos biocombustíveis
O governo Temer desmancha os vínculos entre a Petrobras e os agricultores familiares
Caetano Roque
Discurso surdo
Não adianta fazer informativo sobre o golpe que fica restrito à fábrica. É preciso envolver a sociedade
Nerter Samora
Um novo Ministério Público
Renovação no quadro de procuradores de Justiça é oportunidade para novos grupos politicos
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

pelas beiras!
Flânerie

Manuela Neves

Carmélia, um pouco mais dela
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Os tanques de guerra e a marcha dos insensatos
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Sob o céu de Miami
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Advogada denuncia pressão de secretário de Meio Ambiente contra retomada do nome original do Revis Fradinhos

Sobrou

Urgência de projeto de cessão de PMs segue no Expediente da Assembleia

TJES condena Gratz e Gilson Gomes por esquema de diárias na Assembleia

MPES vai investigar reestruturação administrativa da Prefeitura de Viana