Seculo

 

O missionário da discórdia


09/01/2017 às 14:14
Não compro essa ideia do PH entrando no PSDB do jeito que está querendo. Sem maiores entendimentos com os sócios-proprietários do partido. Ainda por cima, como detentor majoritário do capital do partido.
 
Pois ele também não agrada a base do PSDB. Tanto esses como os seus sócios-proprietários sabem, há muito, que partido político para Hartung é apenas mera ferramenta para alcançar resultados eleitorais. Não quero dizer que ele não possa entrar. Até pode, mas com capital no limite de uma candidatura que atenda, sobretudo, os propósitos de poder do partido.
 
E num momento que estão dentro dele dois candidatos ao governo, sendo que um deles, inclusive, que é o senador Ricardo Ferraço (PSDB), pode ainda ser deslocado para uma candidatura ao Senado. Só quem não conhece a cabeça política do vice-governador César Colnago (PSDB), que pode acreditar que ele sentará na cadeira de governador para guardá-la para outro.
 
Ainda por cima, não há sombra de dúvida de que o destino político do Estado circula por dentro do PSDB, talvez só o ex-prefeito de Vitória Luiz Paulo Vellozo Lucas, com a sua santa ingenuidade, é capaz de não ignorar esse fato. Autor de concessões inexplicáveis, como essa recente, de se furtar de disputar, na condição de favorito, a prefeitura de Vitória, deixando o campo livre para o adversário do seu partido, Luciano Rezende (PPS), Luiz Paulo será capaz de engolir mais um dessa de PH, como, aliás, engoliu em outras oportunidades em prejuízo político dele próprio.
 
Tratando-se de PH, expedientes dessa natureza são feitos para anestesiar o jogo político. Deixando a classe política paralisada à espera do seu toque. Embora eu acredite que agora não é mais assim. Ainda mais com o partido que ele escolheu para empregá-la. Apesar das constantes manifestações dele que vai jogar na política nacional como o governador, que fez o dever de casa em relação à crise fiscal dos estados.
 
Residirá aí realmente o destino de PH?. Daí as inúmeras implicações para ele ingressar no PSDB sem fraturas políticas. Até porque as estratégias construídas, dessa forma, no passado asseguraram-lhe a conquista de três governos. Só que essa estratégia já não tem a mesma consistência. É outro momento e as lideranças decisivas do PSDB estão vacinadas contra ele. A ponto de se poder prever que sua intenção de entrar agora no PSDB está se dando unicamente por ser esse o caminho mais curto para ele se eleger senador. 
 
Ocorre, entretanto, que vários que hoje estão em posição decisiva no PSDB foram passados no ferro por ele. Como o caso especial do prefeito eleito de Vila Velha, Max Filho. Está vivo politicamente por sorte do destino, que o fez encontrar a mão salvadora do César Colnago, que Max vagava à busca de um abrigo.
 
Há outros, também por lá, que sentiram o peso da mão pesada de PH. Caso especial do senador Ricardo Ferraço, que esteve com Hartung no PMDB e mudou-se recentemente para o PSDB justamente para livrar-se da sombra dele. Mas que, por ironia do destino, pode reencontrá-lo novamente no ninho tucano. 
 
Tem muita machucada no rastro deixado por PH. Há, inclusive, quem diga hoje (afirmo que não se trata de Zezito Maio, que PH esqueceu na frente de uma casa comercial de pescado na Praia do Suá) que ele não consegue pescar nada além de bagre.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
'Tudo dominado'

Até agora, o terreno parece armado para permitir que César Colnago acumule a vice-governadoria com a presidência do PSDB no Estado. Só parece?

OPINIÃO
Editorial
Ajuste fiscal, a 'isca' do negócio
Hartung tem feito publicidade nacional para mostrar que o ES é o novo paraíso para investidores. Esconde, porém, os problemas internos, que não são poucos
Piero Ruschi
Risco à natureza gera efeito bolha em turismo de Santa Teresa
Desenvolvimento tem sido norteado pelo crescimento do turismo e seu potencial. Mas ‘corre solto’, o que pode ter um preço alto demais
Renata Oliveira
Tem que saber separar
Governador troca ministro por conversa com jornalistas, só para evitar Rose de Freitas
Gustavo Bastos
Swinging London
Um dos pontos de convergência em que a arte em geral se movia
Caetano Roque
Sindicalismo unilateral
O processo de debate no movimento sindical deve ser participativo, mas não é isso que vem acontecendo no país
JR Mignone
Proliferação de rádios na internet
Fazer rádio todo mundo gosta e quer fazer, mas fazer rádio de bom gosto ainda é difícil
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Este blog fica por aqui
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Algo de novo no ar
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

MPES arquiva investigação sobre nomeação de advogada em Aracruz

Hartung se reúne com Rodrigo Maia em Brasília

Tem que saber separar

O Martín Fierro de Jorge Luis Borges

Tribunal de Contas volta a cobrar informações sobre venda da Cesan