Seculo

 

Fim da era?


09/01/2017 às 16:55

O deputado estadual Theodorico Ferraço (DEM) surpreendeu novamente. Embora, parte do governo ainda esteja cética em relação a essa movimentação, pelo jeito o presidente da Assembleia está mesmo disposto a deixar livre a cadeira para que outro a ocupe. Mas isso significa que ele vai deixar de ter influência no pleito?

A movimentação coincide com o momento em que o governador Paulo Hartung (PMDB) começa as conversas com os deputados sobre o processo eleitoral na Assembleia. E como a movimentação de saída parte do próprio Ferraço, não há rusgas a ser aparadas entre ele e o Executivo. Ferraço poderia então ajudar no processo de composição.

Erick Musso (PMDB), por exemplo, pode ser o nome a substituí-lo, mas ainda precisa vencer a desconfiança de quem tem o selo palaciano, o que poderia dificultar sua campanha entre aqueles que entendem que a proteção dos deputados deve ser feita por um presidente mais afastado do Palácio Anchieta. Neste sentido, Ferraço pode ajudar a emplacar um nome de interesse de Hartung e que atenda o interesse dos deputados.

Quanto a Ferraço, sua movimentação no plenário continuará forte e agora, com acesso direto à tribuna da Casa, o que para muita gente pode ser um perigo. Ele até tentou emplacar uma PEC para permitir que o presidente utilizasse a tribuna e não foi aceito no Plenário.

Ele vai ajudar no mandato da mulher, Norma Ayub (DEM), em Brasília, para fortalecê-la para a disputa à reeleição. Vai tentar não atrapalhar os planos do filho, o senador Ricardo Ferraço e vai ficar na dele, mas também não é por causa do que pode acontecer em 2018, se ele for alçado à disputa ao governo do Estado.

Pode ser o fim de uma era, mas com seus mais de 50 anos de carreira política, a movimentação de Ferração, certamente não foi feita de impulso, sem que se calcule qual o impacto que isso terá em sua vida e em sua influência política.

Fragmentos:

1 – O prefeito de Vitória, Luciano Rezende (PPS) visitou na manhã desta segunda-feira (9) os novos vereadores que compõem a Câmara de Vitória e pregou a harmonia entre os poderes.

2 – Não é de se espantar não haver registro da fatídica eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores Serra, do último dia 1 de janeiro. Naquela confusão toda, registrar como?

3 – O governador Paulo Harutng ainda nem entrou no PSDB e já subiu no muro. O projeto de Lei que proíbe a utilização de animais em perímetros urbanos não foi sancionado nem vetado, teve de ser promulgado pela Assembleia.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

PH é estopim da crise no PSDB

Crise no partido é prenúncio de que a era Hartung está encerrando seu ciclo no Espírito Santo

OPINIÃO
Editorial
Oásis
Os capixabas que ouvem o governador Hartung propagandear os atrativos do ES devem pensar que moram em outro Estado
Renata Oliveira
Paraísos artificiais
O que o governador Paulo Hartung e o prefeito Luciano Rezende têm em comum?
Gustavo Bastos
O verão do amor e o movimento hippie
O que representava o movimento hippie como tal era a utopia
Geraldo Hasse
As abelhas e o Agro
Alguns líderes se dão conta da mútua dependência entre animais e plantas
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Este blog fica por aqui
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Olha no mapa
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Oásis

'Eu quero uma direção independente, capaz de optar pela melhor estratégia no ano que vem’

Fórum de Fundão não conta com nenhum analista judiciário

Pó preto extrapola legislações municipal e estadual e ONG cobra providências

Estratégia do PSDB nacional pode desmontar ação de Ricardo Ferraço