Seculo


  • Lava Jato no ES

 

Sem assunto VII


09/01/2017 às 17:48
Mais uma crônica da série “sem assunto”. Isso acontece toda vez que preciso entregar um texto a Século Diário, mas a inspiração, ou melhor, o assunto, ou informação para desenvolvê-lo, não chega. Quando acontecesse essa “seca de ideias” fico matutando o que poderia escrever para os nossos leitores.
 
Este período de início de ano nada acontece de importante no País; nem na política, nos esportes e em qualquer setor. Mas se tivesse, seria duro escrever sobre política, tamanha a decepção de que temos com a classe. No futebol, a mesma coisa, principalmente depois da tragédia com o time de Chapecó.
 
No meu Estado é pleno verão, as praias nem tão cheias este ano, mas com muito sol e alguns mineiros. Nada novo. Nenhuma atração como antigamente. Reflexo da crise.
 
O futebol parado, nem tanto, pois existe a Copa SP de futebol Junior. A TV transmite os jogos e a gente não fica tão saudoso do futebol. Existem as contratações nessa época, mas tudo chato. O mercado está fraco de jogadores. Não tem notícia de impacto. Não empolga.
 
Na TV as novelas chatas, os noticiários, idem, algumas séries voltando, outras estreando, mas um tanto “boring”. O que tem de novo é a sequencia da crise. Essa sim, tem assunto de sobra... e chato!
 
Embora algumas pessoas estivessem otimistas para 2017, o fato é que outras, mais realistas, disseram que a crise continua e forte neste ano. O ano começou com aumentos, fora as taxas de sempre, aquelas de início de ano. O desemprego aumentou nos primeiros dias de janeiro.
 
Mas esses são assuntos que não quero e nem queria colocar em discussão, mas tentei fazer uma crônica, mesmo parecendo uma colcha de retalhos. Espero que 2017 me faça escrever com mais otimismo ao logo do ano.
 
PARABÓLICAS
 
Muitas novidades no setor rádio na região metropolitana. Umas aparecendo, outras mudando, etc. Até que enfim!
 
O empresário do ramo das comunicações e de alimentação, Idalécio Carone Filho, virou secretario municipal do prefeito Max Filho.
 
Fabio Lima, representante do Playlist, é dos mais competentes profissionais de rádio no Espírito Santo.
 
Mônica Camilo agora em nova frequência. Ela está nas fileiras de profissionais da Cidade FM, do empresário do ramo de educação, Jose Luis Dantas
 
MENSAGEM FINAL
 
Uma das mais graves consequências que observamos é a criação de uma imagem do mundo onde a violência é uma coisa normal, ou pior, onde a violência é recompensada e inevitável. Groebel

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Cortina de ferro

Como o PT vai sair do imbróglio em que se meteu após a eleição de Coser (foto) para comandar o partido?

OPINIÃO
José Rabelo
A ocasião faz a cabeça
Preocupado em descolar a Reforma Trabalhista de Temer, Ricardo Ferraço se alinha à narrativa dos tucanos cabeças pretas
Piero Ruschi
Ecomemória: lembranças da destruição ambiental no ES
Guardo em casa um jogo curioso. Na capa, o Museu Mello Leitão ao lado da Aracruz Celulose - uma atroz incoerência lógica
Lídia Caldas
Nutrição e gestação
Será que uma gestante tem mesmo necessidade de uma dieta alimentar diferenciada?
Geraldo Hasse
Salgado Filho, um simples herói
Hoje ninguém mais lembra o advogado que regulamentou o comércio dos ambulantes
Caetano Roque
Água da mesma pipa
Na verdade, não houve embate na eleição no Sindicomerciários
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Uma festa para Ro Ro que rolou escada abaixo
Panorama Atual

Roberto Junquilho

O cinismo explícito e a esperança de fora Temer renovada
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Meu dia, seu dia
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Ferraço: 'Hartung continua o mesmo: enganando, tripudiando e passando por cima de todos'

Distritão ganha força no Congresso e pode pôr fim ao 'efeito Tiririca'

Cortina de ferro

Audiência pública debate contaminação e mortandade de peixes em rios de Aracruz

Comdema nega recurso à Infraero e mantém multa de R$ 535 mil por emissão de poeira