Seculo

 

Tribunal de Contas revoga medida cautelar que suspendeu licitação


09/01/2017 às 18:11
O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-ES) recorreu ao plantão do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para liberar a licitação para serviços complementares à ampliação de Avenida Leitão da Silva, em Vitória. O órgão entrou com pedido de reconsideração para a revogação da medida cautelar que semana passada suspendeu o certame. E conseguiu. O conselheiro Domingos Augusto Taufner decidiu pela revogação da medida.
Autora da representação, a Duto Engenharia Ltda argumenta que o DER-ES não prestou esclarecimentos sobre itens do edital, embora os pedidos tenham sido protocolados dentro do prazo, ou seja, até o quinto dia útil que anteceder a abertura dos envelopes. Os pedidos foram apresentados em 26 de dezembro. O órgão deveria responder à demanda em até três dias úteis.
 
A ausência de composição do custo desse serviço de transporte de resíduos e a falta de clareza sobre itens do edital, o que poderia prejudicar a formulação das propostas, também foram levantadas. Quanto a este ponto, destaca a decisão, a equipe técnica da Corte de Contas analisou as justificativas apresentadas pelo órgão e constatou a veracidade das informações.
 
A equipe do DER-ES também alegou ao TCE que em nenhum momento ignorou qualquer pedido de solicitação de esclarecimento. Disse também que os pedidos de esclarecimentos foram iniciados em 20 de dezembro e a Comissão de Licitação se empenhou para respondê-los, embora nem sempre a comissão conseguisse responder de imediato, já que grande parte envolviam assuntos que exigiam auxílio de outros setores. 
 
“Por fim sustenta a inexistência de definição de prazo legal para a resposta aos esclarecimentos dos licitantes, de forma que o prazo de três dias úteis para resposta da administração se trata do prazo de resposta a impugnação do edital e não de esclarecimentos”, diz a decisão.
 
O conselheiro também considerou que a manutenção da medida pode lesar a população da Grande Vitória “devido a notoriedade dos prejuízos já causados a população em geral, principalmente aos comerciantes situados na Av. Leitão da Silva, além da iminente necessidade de execução e conclusão da obra na referida avenida”, para decidir pela revogação da medida.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Quem segura?

Depois da seca, a bonança. Hartung tirou o último mês do ano para liberar seu ''pacote de bondades'''

OPINIÃO
Editorial
Morta-viva
Enfim, cumpre-se o destino óbvio no País das relações promíscuas: a Samarco/Vale-BHP tem as primeiras licenças ambientais para voltar a operar
Piero Ruschi
INMA e Ruschi em rota (s) de colisão
Nomeação de diretor dá sequência ao processo de imoralidades e falta de transparência contra patrimônio deixado por Ruschi
Gustavo Bastos
A volta do shoegaze
Ressurgimento do shoegaze se deu, sobretudo, com o retorno oficial do My Bloody Valentine
Geraldo Hasse
Aprimorando a arte das panacéias
Proliferam nas ruas os vendedores de panos de prato a 10 reais por meia dúzia
JR Mignone
Gazeta AM 34
Pode-se definir essa emissora em três fases distintas nesses 34 anos de comunicação
Roberto Junquilho
O abono como estratégia política
Como hábil conhecedor do seu mister, Hartung vislumbra apenas a conjuntura de 2018
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Quem quer dinheiro?
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Redução de número de comissionados gera embate entre deputados na Assembleia

Questionamentos judiciais podem anular resultado da disputa ao comando do Crea-ES

Cesan e Cariacica negam responsabilidade sobre esgoto lançado na baía de Vitoria

Funcionário dos Correios é condenado por desviar encomendas do centro de triagem do aeroporto de Vitória

Projeto que garante abono aos servidores segue para sanção de Hartung