Seculo

 

Iema prepara redução da zona de amortecimento do Parque de Pedra Azul


03/02/2017 às 20:08

A criação de Grupo de Trabalho para “revisão da Zona de Amortecimento do Parque Estadualde Pedra Azul e regulamentação dos usos compatíveis em seu interior” é, para qualquer bom conhecedor da elevada especulação imobiliária da região, o prenúncio da redução e flexibilização do uso da área.

Endereço de mansões e sítios de lazer de empresários e políticos poderosos do Espírito Santo – inclusive o governador Paulo Hargung –, além de loteamentos e condomínios cada vez mais valorizado no mercado, o entorno do Parque da Pedra Azul sofre constantes agressões ambientais, desde a criação da unidade de conservação.

O Grupo de Trabalho é formado por seis técnicos do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e tem a missão de “realizar os estudos necessários à revisão da ZA e propor o zoneamento”, determinando quais usos poderão ser feitos na área. Essa é uma demanda do Ministério Público desde 2011, quando o órgão publicou uma notificação recomendatória para revisão da ZA, mas que só agora o Estado resolveu colocar em prática.

Hoje, a zona de amortecimento da Pedra Azul tem em média 11 quilômetros de largura, o que é considerado exagerado pelos especialistas em unidades de conservação. Considerando as decisões mais recentes a respeito de ZAs, a redução deve procurar alcançar uma média de três a quatro.

Considerando, porém, o poder econômico envolvido, a baixa eficiência do órgão gestor e a mais baixa ainda vontade política de efetivamente fazer prevalecer os interesses socioambientais das unidades de conservação públicas, o que se pode esperar da medida é que os gestores tenham uma área menor a lhes gerar dor de cabeça, com mansões e piscinas – e quem sabe até eucaliptais – se aproximano cada vez mais dos limites do parque. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Tabuleiro de 2018

Ele já negou intenção de deixar o PT ou mudanças de planos, mas movimentações de Givaldo continuam chamando atenção do mercado político

OPINIÃO
Editorial
Fosso social
No Espírito Santo, população negra é mais vulnerável à violência, é maioria no sistema carcerário e nas filas de desempregados
Renata Oliveira
Solidão sem fim
A oposição de Majeski na Assembleia não encontra coro entre os pares, nem no grupo arredio
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

'Orgânico não tem que ser caro'

Seminário debate formas de erradicar o trabalho infantil

Tabuleiro de 2018

Eleição da nacional alimenta divisão no PSDB capixaba

Cariacica pode ter redistribuição de votos para disputa eleitoral de 2018