Seculo

 

Iema prepara redução da zona de amortecimento do Parque de Pedra Azul


03/02/2017 às 20:08

A criação de Grupo de Trabalho para “revisão da Zona de Amortecimento do Parque Estadualde Pedra Azul e regulamentação dos usos compatíveis em seu interior” é, para qualquer bom conhecedor da elevada especulação imobiliária da região, o prenúncio da redução e flexibilização do uso da área.

Endereço de mansões e sítios de lazer de empresários e políticos poderosos do Espírito Santo – inclusive o governador Paulo Hargung –, além de loteamentos e condomínios cada vez mais valorizado no mercado, o entorno do Parque da Pedra Azul sofre constantes agressões ambientais, desde a criação da unidade de conservação.

O Grupo de Trabalho é formado por seis técnicos do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e tem a missão de “realizar os estudos necessários à revisão da ZA e propor o zoneamento”, determinando quais usos poderão ser feitos na área. Essa é uma demanda do Ministério Público desde 2011, quando o órgão publicou uma notificação recomendatória para revisão da ZA, mas que só agora o Estado resolveu colocar em prática.

Hoje, a zona de amortecimento da Pedra Azul tem em média 11 quilômetros de largura, o que é considerado exagerado pelos especialistas em unidades de conservação. Considerando as decisões mais recentes a respeito de ZAs, a redução deve procurar alcançar uma média de três a quatro.

Considerando, porém, o poder econômico envolvido, a baixa eficiência do órgão gestor e a mais baixa ainda vontade política de efetivamente fazer prevalecer os interesses socioambientais das unidades de conservação públicas, o que se pode esperar da medida é que os gestores tenham uma área menor a lhes gerar dor de cabeça, com mansões e piscinas – e quem sabe até eucaliptais – se aproximano cada vez mais dos limites do parque. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Missão socialista

Assim como Casagrande, deputado Paulo Foletto mostra que tem sola de sapato para gastar até eleição de 2018

OPINIÃO
Editorial
Não tem almoço nem jantar grátis
Hartung convidou para o banquete palaciano apenas os fiéis que pagaram o jantar ao longo do semestre. Afinal, cada voto a favor do governo tem um valor
Piero Ruschi
Festa de fachada
Comemoração da Sambio evidencia que o Museu Mello Leitão segue precisando de verdadeiros amigos
Renata Oliveira
E agora, Rose?
A senadora sempre trilhou seu caminho político sozinha, mas disputar o governo do Estado é diferente
Geraldo Hasse
Sr. Rolando Boldrin, o Brasil de verdade
A biografia do apresentador de TV louva a autêntica cultura caipira, que vai do baião ao samba
Caetano Roque
Nada de festa
Enquanto não houver democracia interna nos sindicatos não há motivo para comemorar a perpetuações no poder
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Sizino, o pioneiro
Panorama Atual

Roberto Junquilho

O cinismo explícito e a esperança de fora Temer renovada
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

O presente
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Temendo insatisfação da tropa, governo cancela evento para promoções de policiais militares

Não tem almoço nem jantar grátis

Disputa entre Temer e Maia por insatisfeitos do PSB afeta partido no Estado

Pesquisa vai avaliar a qualidade do acesso às informações nos órgãos do Judiciário

Missão socialista