Seculo


  • Lava Jato no ES

 

Lição de casa


16/02/2017 às 18:50
Alvo de tiroteio na imprensa nacional devido à crise na Segurança Pública, o governador Paulo Hartung (PMDB) escalou sua equipe para rebater as críticas à sua gestão. No Estado, a missão coube ao secretário de Direitos Humanos, Júlio Pompeu, em artigo publicado em A Gazeta. Sem dúvida, uma tentativa de rebater a coluna dessa quarta-feira (15) do jornalista Elio Gaspari, publicada na Folha de S. Paulo, sobre responsabilidade fiscal versus responsabilidade social, replicada em vários outros espaços. Já em nível nacional, coube à secretária de Comunicação, Andrea Lopes, assinar artigo em O Globo. Nos dois casos, insistem nas mesmas teses propagadas pelo governador, já tão contestadas, inclusive pela própria imprensa, e que não parecem surtir qualquer efeito a essa altura do campeonato. Após 12 dias do caos, a população não aguenta mais justificativas, espera soluções. Afinal, a “greve branca” ainda não acabou, apesar de todas as ameaças do governo aos policiais e a seus familiares. Interessante nessa história: aparece Julio Pompeu, aparece até Andréia Lopes...só não aparece o principal, Paulo Hartung. Nem em artigo, nem ao vivo. Hartung reassumiu mesmo o governo do Estado?
Linha de frente
Nessa crise, espera-se posicionamentos nessa linha de ajuste fiscal, salário de PM e etc., do próprio governador; do vice-governador César Colnago (PSDB), que estava no cargo durante a licença médica de Hartung; e do secretário de Estado de Segurança, André Garcia.
Ruídos
Júlio Pompeu até passa (intermediou as negociações com o movimento), mas a secretária de Comunicação, nem tanto. A não ser que o assunto fosse outro: por que o governo se comunica tão mal em meio a esse caos? 
Grand finale
Palpite do mercado político é que o governador está esperando o desfecho da crise para, aí sim, subir no palanque e vender seu peixe. Tem quem compre ainda?
Então...
O governo do Estado insinuou tanto que a lista dos mortos do Sindicato dos Policiais Civis do Estado (Sindipol) não era confiável, porque a entidade está insatisfeita com a atual gestão, que acabou pagando a língua. O Sindipol calculou 145 mortos, o governo, que só esta semana resolveu apresentar o nome das vítimas, chegou ao total de 143.
Falou, falou...
E não é que o deputado estadual Amaro Neto (SD) resolveu se pronunciar sobre a crise na segurança pública? Fez uma crítica ou outra aos dois lados, mas nada muito incisivo. Depois de tanto tempo, ainda ficou em cima do muro.
Direto e reto
O PM Chico Siqueira (PHS) chegou chegando à Câmara de Vila Velha. Depois de dizer que não é covarde e nem omisso, chamou de incompetentes os secretários estaduais de Segurança e de Direitos Humanos. “Como dialogar e negociar um acordo com interlocutores que usam a imprensa para ficar criticando os policiais e para colocar a sociedade contra a PM? Eles não sabem conversar”. 
Dormiu no ponto
O ex-governador Renato Casagrande demorou seis dias para se posicionar nas redes sociais sobre o aviso do cancelamento da Feira Internacional do Mámore e Granito - Vitoria Stone Fair, que seria realizada nesta semana (14 a 17) na Serra. O motivo, como se sabe, foi o caos na segurança.
De vento em popa
Nos bastidores, corre a informação que o deputado federal Marcus Vicente (PP), com a influência que tem na Caixa Econômica Federal (CEF), arrumou aquele patrocínio esperto para o futebol capixaba. E tome campeonato?
Nas redes
“Cobramos do Governo envio de tropas do Exército também para as periferias e cidades onde o índice de homicídios está alto, como Serra e Cariacica”. (Deputado e estadual Da Vitória – PDT – no Facebook).
PENSAMENTO:
“Na política é difícil distinguir os homens capazes, dos homens capazes de tudo”. Henri Béraud

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Descompasso

Hartung priorizou tanto lotear a gestão com quadros políticos, que os embates ocorrem na contramão de sua própria estratégia. Rodney Miranda que o diga...

OPINIÃO
Editorial
Esgoto veio à tona
Manietada pelo governo, CPI para investigar Cesan se torna obrigatória após denúncias envolvendo a companhia
Piero Ruschi
O desmanche do Museu Mello Leitão
Um ato de desrespeito à população que foi camuflado e conta com o apoio da própria diretoria e sua associação de amigos
Renata Oliveira
Vai liberar?
Rodrigo Janot pode criar um precedente muito ruim para a política brasileira ao anistiar quem recebeu o “caixa dois do bem”
Caetano Roque
Desmonte em curso
Enquanto o movimento sindical dorme , o capital segue a passos largos a retirada de direitas
Nerter Samora
#SomosTodosBaianinho
Causa espécie um encontro às portas fechadas entre o governo e parte do empresariado capixaba logo após a “delação do fim do mundo”
Geraldo Hasse
O despudor do poder
O marqueteiro-mór pagou multa de R$ 30 milhões à Justiça, deu depoimento e saiu rindo
JR Mignone
Inquietudes políticas
O ''Fica, temer'' de Gaspari e a pesquisa que confirma a memória curta do eleitor
Caetano Roque
Greve na rua
É hora de o trabalhador dar a resposta as ações antidemocrática do governo golpista
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Nenna, em transição
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Odebrecht quebrou a "Omertá", e agora?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Nossa Terra, nossa gente
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

CPI da Odebrecht quer investigar contratos de empreiteiras com setor público

Descompasso

Sindicato quer que Nestlé preste esclarecimentos sobre possível venda da marca Serenata de Amor

Empresa de informática nega irregularidades em contratos com a Sesa

Assembleia barra projeto que acaba com exclusividade da Cesan na região metropolitana