Seculo

 

Lição de casa


16/02/2017 às 18:50
Alvo de tiroteio na imprensa nacional devido à crise na Segurança Pública, o governador Paulo Hartung (PMDB) escalou sua equipe para rebater as críticas à sua gestão. No Estado, a missão coube ao secretário de Direitos Humanos, Júlio Pompeu, em artigo publicado em A Gazeta. Sem dúvida, uma tentativa de rebater a coluna dessa quarta-feira (15) do jornalista Elio Gaspari, publicada na Folha de S. Paulo, sobre responsabilidade fiscal versus responsabilidade social, replicada em vários outros espaços. Já em nível nacional, coube à secretária de Comunicação, Andrea Lopes, assinar artigo em O Globo. Nos dois casos, insistem nas mesmas teses propagadas pelo governador, já tão contestadas, inclusive pela própria imprensa, e que não parecem surtir qualquer efeito a essa altura do campeonato. Após 12 dias do caos, a população não aguenta mais justificativas, espera soluções. Afinal, a “greve branca” ainda não acabou, apesar de todas as ameaças do governo aos policiais e a seus familiares. Interessante nessa história: aparece Julio Pompeu, aparece até Andréia Lopes...só não aparece o principal, Paulo Hartung. Nem em artigo, nem ao vivo. Hartung reassumiu mesmo o governo do Estado?
Linha de frente
Nessa crise, espera-se posicionamentos nessa linha de ajuste fiscal, salário de PM e etc., do próprio governador; do vice-governador César Colnago (PSDB), que estava no cargo durante a licença médica de Hartung; e do secretário de Estado de Segurança, André Garcia.
Ruídos
Júlio Pompeu até passa (intermediou as negociações com o movimento), mas a secretária de Comunicação, nem tanto. A não ser que o assunto fosse outro: por que o governo se comunica tão mal em meio a esse caos? 
Grand finale
Palpite do mercado político é que o governador está esperando o desfecho da crise para, aí sim, subir no palanque e vender seu peixe. Tem quem compre ainda?
Então...
O governo do Estado insinuou tanto que a lista dos mortos do Sindicato dos Policiais Civis do Estado (Sindipol) não era confiável, porque a entidade está insatisfeita com a atual gestão, que acabou pagando a língua. O Sindipol calculou 145 mortos, o governo, que só esta semana resolveu apresentar o nome das vítimas, chegou ao total de 143.
Falou, falou...
E não é que o deputado estadual Amaro Neto (SD) resolveu se pronunciar sobre a crise na segurança pública? Fez uma crítica ou outra aos dois lados, mas nada muito incisivo. Depois de tanto tempo, ainda ficou em cima do muro.
Direto e reto
O PM Chico Siqueira (PHS) chegou chegando à Câmara de Vila Velha. Depois de dizer que não é covarde e nem omisso, chamou de incompetentes os secretários estaduais de Segurança e de Direitos Humanos. “Como dialogar e negociar um acordo com interlocutores que usam a imprensa para ficar criticando os policiais e para colocar a sociedade contra a PM? Eles não sabem conversar”. 
Dormiu no ponto
O ex-governador Renato Casagrande demorou seis dias para se posicionar nas redes sociais sobre o aviso do cancelamento da Feira Internacional do Mámore e Granito - Vitoria Stone Fair, que seria realizada nesta semana (14 a 17) na Serra. O motivo, como se sabe, foi o caos na segurança.
De vento em popa
Nos bastidores, corre a informação que o deputado federal Marcus Vicente (PP), com a influência que tem na Caixa Econômica Federal (CEF), arrumou aquele patrocínio esperto para o futebol capixaba. E tome campeonato?
Nas redes
“Cobramos do Governo envio de tropas do Exército também para as periferias e cidades onde o índice de homicídios está alto, como Serra e Cariacica”. (Deputado e estadual Da Vitória – PDT – no Facebook).
PENSAMENTO:
“Na política é difícil distinguir os homens capazes, dos homens capazes de tudo”. Henri Béraud

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Leonardo Duarte/Secom
Uma coisa só

Enquanto no campo nacional PRB e MDB ainda estão em fase de namoro, no Estado o partido já é um “puxadinho” de Hartung. E tudo começou com Roberto Carneiro...

OPINIÃO
Editorial
MPES omisso
Ministério Público decidiu não participar das audiências de custódia. Um dos prejuízos: denúncias contra tortura, comumente relatada por presos
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
JR Mignone
Enganosos
Fazendo uma comparação corajosa e dispersa, tanto as eleições do Brasil quanto a Copa do Mundo terão muita surpresas e varias decepções
Geraldo Hasse
Vampirismo neoliberal
O governo oferece refrescos aos trabalhadores enquanto suga seu sangue
Roberto Junquilho
Quem governa?
Um novo porto na região de Aracruz demonstra que, para as corporações, as minorias não importam
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uh, Houston, temos um problem
MAIS LIDAS

Sindicato protocola denúncias contra Sesa por contratação de Organizações Sociais

Corrida ao Senado sinaliza mudança na bancada capixaba

Quem governa?

Vampirismo neoliberal

Greve dos professores de Vitória continua por tempo indeterminado