Seculo


  • Lava Jato no ES

 

Moradores lançam abaixo-assinado pelo Refúgio de Vida Silvestre de Fradinhos


16/02/2017 às 20:41
Fotos: Associação dos Amigos do Parque da Fonte Grande
 
O Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Municipal de Fradinhos, criado pelo Decreto 16.818/2016, com 92,66 hectares, está ameaçado de ter seu nome trocado, o que causou revolta nos moradores dos seis bairros que participaram ativamente do processo de criação do Revis, o primeiro da cidade.

A lei que muda o nome do Revis para André Ruschi é de autoria do então vereador Luiz Emanuel Zouain e atual secretário municipal de Meio Ambiente, e foi aprovada de forma autoritária, como defende os moradores, atropelando todo o processo democrático de construção do projeto e de um senso de pertencimento das comunidades com a unidade de conservação (UC).

“De uma hora pra outra, no final do ano, é que soubemos. Foi sem conversar com as comunidades, não concordamos”, afirma Delma Pereira, vice-presidente do Movimento Comunitário do Romão, bairro onde está prevista a instalação do portal de acesso à sede administrativa do Refúgio.

“Para nós é uma coisa grandiosa”, exalta, resumindo o sentimento da sua comunidade com relação à criação da unidade e à escolha da entrada de acesso a ela. Ciúmes por parte dos morros do Forte São João, Cruzamento ou Fonte Grande? De jeito nenhum. O processo de criação do Revis, ao longo de dez anos, foi democrático, com ampla participação popular.

O entendimento sobre os benefícios do Refúgio está bem claro e fazendo crescer um sentimento de pertencimento. “Proteger as espécies, oxigenação do ar, evitar as queimadas e os deslizamentos de pedra, a caça. Proteger a parte arqueológica [inscrições nas pedras datadas de mais de 12 mil anos], as nascentes. Até a economia das comunidades vai melhorar, com o turismo”, enumera a líder local.

Muita paz
E sobre o nome, Fradinhos, também nenhum ciúme, devido ao reconhecimento do bairro que iniciou todo o processo e que é referência para os demais com relação à preservação ambiental. “Quando a gente entra em Fradinhos dá até vontade de chorar, de tanta paz”, emociona-se Dona Delma.
Rogério Fraga, da Associação de Amigos do Parque da Fonte Grande, esclarece que, entre os moradores e ambientalistas envolvidos na criação do Revis Fradinhos, não há nenhuma contrariedade em relação à municipalidade prestar uma homenagem ao biólogo André Ruschi, falecido em 2016. “O problema é a forma como foi feito”, explica, reforçando a fala de Dona Delma.

A advogada Anéris Pauzen, também da Associação, vai mais longe. “Essa lei não tem eficácia”, sentencia, alegando que ela não respeitou não só o processo histórico das comunidades, como também o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (Snuc), que regulamenta a criação e gestão de UCs no Brasil, bem como o procedimento administrativo municipal, que viabilizou a criação do Revis.

Corredor ecológico

O abaixo-assinado publicado nessa quarta-feira (15) visa buscar apoio popular para sensibilizar a Câmara de Vereadores no sentido de aprovar um projeto de lei do vereador Max da Mata (PDT) que visa retomar o nome original do Revis, anulando a Lei de Luiz Emanuel.

Os ambientalistas também preparam um ofício a ser enviado ao agora secretário de Meio Ambiente, solicitando, além da manutenção do nome Fradinhos, a realização de ações de implementação da unidade, entre elas o reflorestamento de áreas devastadas, de forma a viabilizar, na prática um corredor ecológico interligando os parques da Fonte Grande e da Gruta da Onça.

Para acessar a petição, clique aqui

Um blog no facebook também traz outras informações sobre o processo. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Ensaiado

Mudança de planos de Ricardo Ferraço na condução da Reforma Trabalhista atende à estratégia de Temer e da classe empresarial. Falou de empresário, é com ele mesmo!

OPINIÃO
Editorial
Defesa burocrática
Secretário Júlio Pompeu fez um discurso burocrático para defender o governo Hartung na Corte Interamericana de Direitos Humanos
Renata Oliveira
O universo conspira
A onda de falta de sorte do governador, iniciada em fevereiro, insiste em não passar
Caetano Roque
Venceu o pragmatismo
Ao reeleger o grupo que se perpetua na direção, PT perde um pouco mais de sua ideologia
Geraldo Hasse
Seremos todos boias-frias?
A palavra reforma, sempre associada a avanços, está sendo aplicada a um retrocesso
JR Mignone
Sérgio Bermudes, sempre atual
''Existe uma crise no Judiciário, que vai da falta de juízes, da infraestrutura adequada, até a postulação e prestação precárias''
Caetano Roque
A hora do Judiciário
O Supremo tem que mostrar a que veio e a serviço de quem está
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Nenna – parte II: early years na ilha
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Odebrecht quebrou a "Omertá", e agora?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

A sombra
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

CNMP pode acabar com pagamento de ‘horas-extras’ a promotores no Espírito Santo

Disputa pelo poder em Itapemirim reacende tensão entre prefeito e vice

Defesa burocrática

Ensaiado

Esgoto na Praia de Santa Helena não se resolve com teste de balneabilidade