Seculo

 

Risco no futuro


17/02/2017 às 13:46

O governo do Estado tem traçado uma perigosa estratégia de sufocamento da Polícia Militar, diante da resistência do movimento reivindicatório. Sem entrar no mérito da atuação da Rotam, já que não é o momento de se discutir os métodos da política, a extinção do destacamento, traz mais apreensão para a população, já que essa é a parte da polícia que realmente vai até a periferia.  

Observa-se que a movimentação do governo em extinguir a Rotam tem o viés político e não operacional, já que é lá que se cogita estar o foco de resistência, sobretudo ao secretário de Segurança  André Garcia. Como disse o deputado estadual Josias Da Vitória (PDT), existe um gasto de energia muito forte em questões políticas, uma energia que poderia estar sendo usada para tentar resolver o problema.

Mas o que chama atenção é que o governo do Estado parece não estar preocupado com o futuro da relação com a Polícia Militar. Será que Hartung se esqueceu quem vem fazendo o papel da repressão aos movimentos sociais, nas ruas? Será que esqueceu quem vem fazendo o papel de segurança da parte da sociedade, mantendo a violência restrita à periferia e garantindo o sono tranquilo, da elite.

A enxurrada de cancelamento de programação do Carnaval nos municípios do interior é um recado político claro. Os prefeitos pensaram na segurança, claro, mas vem usando interlocutores para tentar atrair a atenção do governador para a necessidade de reforço na segurança fora da vitrine política. No Palácio Anchieta, porém, a única preocupação parece ser a de responder os colunistas da imprensa nacional que não aceitam a blindagem que o governo consegue com parte da imprensa capixaba.

Além da polícia magoada, em um retorno traumático ao trabalho, o governador vai lidar ainda com uma insatisfação vinda de parte dos prefeitos do interior. Logo no interior, onde Paulo Hartung resolveu a peleja eleitoral contra Renato Casagrande (PSB) em 2014.

Fragmentos:

1 – Apesar das tentativas do governo em mostrar para a sociedade que tudo voltou ao normal, os municípios de Guarapari, Iriri, Piuma e Alegre, no sul do Estado, decidiram cancelar as atividades do carnaval por motivos de segurança. Em Cachoeiro de Itapemirim, já havia cancelado programação, mas por outros motivos: falta de recursos mesmo.

2 – O deputado estadual Rodrigo Coelho (PDT) apresentou projeto de Lei 22/2017 pretende canalizar 75% das verbas destinadas à propaganda governamental para campanhas sociais de utilidade pública educativas, informativas, de orientação ou de conscientização social. A coluna sente cheiro de veto, se é que será aprovado pela Assembleia.

3 – Na próxima terça-feira (21), às 19 horas, acontece no Centro Comunitário de Laranjeiras, o colegiado da Federação das Associações de Moradores da Serra (FAMS). No encontro será aberto o novo processo eleitoral da Federação.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

OPINIÃO
Piero Ruschi
O ‘Santo Graal’ de Augusto Ruschi
Eventos recentes de desrespeito ao Museu Mello Leitão, camuflados sob a criação do INMA, ressuscitam episódios históricos lamentáveis
Renata Oliveira
Uma nova bandeira se ergue
O programa de combate à violência contra a mulher leva o governador Paulo Hartung a nova narrativa para 2018
Gustavo Bastos
O verão do amor e o movimento hippie
O que representava o movimento hippie como tal era a utopia
Geraldo Hasse
As abelhas e o Agro
Alguns líderes se dão conta da mútua dependência entre animais e plantas
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Este blog fica por aqui
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Algo de novo no ar
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Contas públicas viram pano de fundo para disputa entre 'doutores' em Itapemirim

'Refiliação' de secretário aumenta tensão no PSDB

Sessão solene de homenagem a professores é marcada por protesto

As abelhas e o Agro

Bancada apresenta R$ 1,4 bi em emendas para o Espírito Santo