Seculo

 

Intervenção federal na segurança pública é prorrogada até o próximo dia 23


17/02/2017 às 14:05
O governador Paulo Hartung (PMDB) estendeu o prazo de transferência do controle dos órgãos de segurança pública do Estado para as Forças Armadas até a próxima quinta-feira (23). A data é o limite da atuação das tropas federais no Espírito Santo, com exceção da Força Nacional – que vai permanecer até o próximo dia 5. No entanto, o Ministério da Defesa já admite a possibilidade de prorrogar a intervenção federal, caso o sistema de segurança estadual ainda não esteja normalizado até a próxima semana.

Apesar do retorno parcial da Polícia Militar no Estado, o movimento encabeçado por mulheres de militares segue a frente dos batalhões e quartéis da PM, impedindo a saída de viaturas e equipamentos para as ruas. Outro problema é o contingente de policiais que ainda não voltaram ao serviço devido a licenças médicas. A Secretaria de Segurança Pública (Sesp) ignora a existência de “policiais baixados”, além de não fornecer dados concretos sobre os casos de violência desde o início da paralisação, nas primeiras horas do último dia 4.

No decreto anterior assinado pelo vice-governador César Colnago (PSDB) – no exercício da chefia do Executivo –, o governo transferiu o controle da segurança pública ao general de Brigada Adilson Carlos Katibe, que é o comandante da Força-Tarefa Conjunta em atuação no Estado durante o motim da PM. Os efeitos dos decretos tiveram início no último dia 6, quando as tropas do Exército começaram a auxiliar no policiamento nas ruas.

Jungmann: ‘Permaneceremos o tempo necessário’

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, admitiu que a atuação das Forças Armadas poderá ser ampliada, caso o sistema de segurança pública não esteja recuperado. A declaração foi feita à Rádio CBN Vitória, após a repercussão negativa da notícia sobre o fim do uso das tropas no Estado. “Por questão burocrática, o decreto precisa estabelecer o prazo de duração da GLO [Garantia da Lei e da Ordem] por questões legais. Mas eu quero reafirmar à população capixaba: nós permaneceremos o tempo que for necessário. Até que se superem as dificuldades na segurança pública do estado”, afirmou.

A Operação Capixaba tem toda logística concentrada no 38º Batalhão de Infantaria (BI), localizado em Vila Velha. A missão conta com a participação das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica), além de forças federais, como a Força Nacional e as Policias Federal e Rodoviária Federal, bem como a Polícia Civil capixaba.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
E o Homero, hein?

Defender o ex-marido da médica Milena Gottardi deve custar profundos arranhões a Homero Mafra

OPINIÃO
Editorial
Um Estado que mata suas mulheres
Crime da médica Milena Gottardi chama atenção para os casos de feminicídios, que fazem do ES um dos estados mais violentos do País para as mulheres
Renata Oliveira
Dados x discurso
Como pode o Estado ser um exemplo para o País em gestão, se não tem potencial de mercado e solidez fiscal?
Geraldo Hasse
A doença da intolerância
Ela está nos estádios, nos governos, nas igrejas, nos parlamentos, nas ruas, nos tribunais
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Branca, o Teatro e a sala de estar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Fuzis e baionetas, nunca mais!
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Turista acidental
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

'Uma das questões que mais se discute no partido é a necessidade de se diferenciar do PT'

Ricardo Ferraço circula pelo sul do Estado ao lado de César Colnago

CPI dos Guinchos volta a mirar rotativo de Guarapari

Ex-prefeito de Alegre é absolvido em ação de improbidade

Prefeitura de Vila Velha dá início ao processo de eleição direta nas escolas