Seculo

 

Intervenção federal na segurança pública é prorrogada até o próximo dia 23


17/02/2017 às 14:05
O governador Paulo Hartung (PMDB) estendeu o prazo de transferência do controle dos órgãos de segurança pública do Estado para as Forças Armadas até a próxima quinta-feira (23). A data é o limite da atuação das tropas federais no Espírito Santo, com exceção da Força Nacional – que vai permanecer até o próximo dia 5. No entanto, o Ministério da Defesa já admite a possibilidade de prorrogar a intervenção federal, caso o sistema de segurança estadual ainda não esteja normalizado até a próxima semana.

Apesar do retorno parcial da Polícia Militar no Estado, o movimento encabeçado por mulheres de militares segue a frente dos batalhões e quartéis da PM, impedindo a saída de viaturas e equipamentos para as ruas. Outro problema é o contingente de policiais que ainda não voltaram ao serviço devido a licenças médicas. A Secretaria de Segurança Pública (Sesp) ignora a existência de “policiais baixados”, além de não fornecer dados concretos sobre os casos de violência desde o início da paralisação, nas primeiras horas do último dia 4.

No decreto anterior assinado pelo vice-governador César Colnago (PSDB) – no exercício da chefia do Executivo –, o governo transferiu o controle da segurança pública ao general de Brigada Adilson Carlos Katibe, que é o comandante da Força-Tarefa Conjunta em atuação no Estado durante o motim da PM. Os efeitos dos decretos tiveram início no último dia 6, quando as tropas do Exército começaram a auxiliar no policiamento nas ruas.

Jungmann: ‘Permaneceremos o tempo necessário’

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, admitiu que a atuação das Forças Armadas poderá ser ampliada, caso o sistema de segurança pública não esteja recuperado. A declaração foi feita à Rádio CBN Vitória, após a repercussão negativa da notícia sobre o fim do uso das tropas no Estado. “Por questão burocrática, o decreto precisa estabelecer o prazo de duração da GLO [Garantia da Lei e da Ordem] por questões legais. Mas eu quero reafirmar à população capixaba: nós permaneceremos o tempo que for necessário. Até que se superem as dificuldades na segurança pública do estado”, afirmou.

A Operação Capixaba tem toda logística concentrada no 38º Batalhão de Infantaria (BI), localizado em Vila Velha. A missão conta com a participação das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica), além de forças federais, como a Força Nacional e as Policias Federal e Rodoviária Federal, bem como a Polícia Civil capixaba.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Teste de fogo

Depois de atuar como ''procurador'' da classe empresarial, Ricardo Ferraço volta à cena como peça estratégica para garantir os interesses dos magistrados. Só ''peixe grande'', hein...

OPINIÃO
Piero Ruschi
‘Senhor, como chego ao Museu Roubado?’
Visitantes chegam a Santa Teresa ansiosos para conhecer o Museu criado por Augusto Ruschi, e voltam para seus lares decepcionados ou iludidos
Renata Oliveira
Medo da GV
Nem Hartung nem Casagrande têm se assanhado em procurar o eleitor na Grande Vitória
Geraldo Hasse
Moro num país moralista e venal
A condenação de Lula sem provas é um ataque cego contra a ascensão social dos pobres
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Sizino, o pioneiro
Panorama Atual

Roberto Junquilho

O cinismo explícito e a esperança de fora Temer renovada
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

O tempo entre as vírgulas
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Nova denúncia acusa Doutor Luciano de crimes na contratação de obras e serviços

Teste de fogo

Vereadores acusam Luiz Piassi de negar informações à Câmara de Castelo

Roberto Martins se queixa de 'retaliação e ditadura' na Câmara de Vitória

Hospital Estadual de São José do Calçado pode ter gestão terceirizada