Seculo

 

Rádio de um homem só


27/02/2017 às 19:06
A tecnologia e a crise - a primeira, em franca expansão; e a segunda, sem prazo para acabar - estão ajudando a criar a rádio de um homem só. Diferentemente do que muitos imaginam, a cada dia isso vai se tornando mais latente. Equipamentos e meios técnicos já existem para isso, só falta o talento único. Esse ainda é mui dúbio no Brasil.
 
Aliás, já existem milhares de rádios em atividade para se fazer isso e deve ter gente fazendo também. As comunitárias dadas aos borbotões nos governos Lula e Dilma e que Temer deu uma brecada. Talvez Lula deve ter pensando em uma legião de petistas falando sobre os seus ideais em rádios comunitárias. Seriam as rádios das minorias. Certo? Não, errado!
 
Mas por outro lado existem também emissoras comerciais (de mais potência) já fazendo esse trabalho. Mas como fica o trabalhador do setor? Haverá desemprego em massa? Talvez sim, talvez não. A verdade que é preciso se reciclar com rapidez e estudar muito.
 
Antigamente uma rádio dependia de vários fatores que hoje não existem mais; técnico de transmissor, programador musical, programador comercial, atendente de estúdio, operador de gravação e edição e outros, pois tudo se resume em um computador e joga no transmissor e/ou na internet (se for o caso).
 
É chato escrever essas coisas, mas temos de ser realistas. O rádio não se renovou profissionalmente. Algumas medidas foram tomados com o intuito de salvá-lo. Cursos específicos em faculdades, por exemplo, mas nem isso ouço mais falar.
 
PARABÓLICAS
 
Empresário da comunicação do Estado, Paulo Gava prepara o segundo encontro dos funcionários da Antena UM
 
Quem esteve nos visitando foi o Paulo Oliveira, um dos profissionais mais completos do rádio capixaba. Gente capaz!
 
O cachoeirense Toninho Carlos esteve conversando conosco sobre as coisas de Cachoeiro, ele que é uma figura impoluta da “capital secreta”.
 
Dia desses perdemos o amigo Luis Spadeto, o Luisinho do Burro, apreciador de programas sertanejos. Foi em paz!
 
MENSAGEM FINAL
A maioria de nossos gastos é feita para propiciar nossos esforços de nos parecermos com os outros. Ralph Waldo Emerson

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Leonardo Duarte/Secom
Uma coisa só

Enquanto no campo nacional PRB e MDB ainda estão em fase de namoro, no Estado o partido já é um “puxadinho” de Hartung. E tudo começou com Roberto Carneiro...

OPINIÃO
Editorial
MPES omisso
Ministério Público decidiu não participar das audiências de custódia. Um dos prejuízos: denúncias contra tortura, comumente relatada por presos
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
Geraldo Hasse
Vampirismo neoliberal
O governo oferece refrescos aos trabalhadores enquanto suga seu sangue
Roberto Junquilho
Quem governa?
Um novo porto na região de Aracruz demonstra que, para as corporações, as minorias não importam
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uh, Houston, temos um problem
MAIS LIDAS

Sindicato protocola denúncias contra Sesa por contratação de Organizações Sociais

Corrida ao Senado sinaliza mudança na bancada capixaba

Quem governa?

Vampirismo neoliberal

Greve dos professores de Vitória continua por tempo indeterminado