Seculo


  • Lava Jato no ES

 

Mais um macaco encontrado morto na Serra


01/03/2017 às 18:06
Mesmo com duas mortes de macacos já confirmadas para o município da Serra – em Nova Almeida e Serra-Sede – a Prefeitura não recolheu o corpo de um animal encontrado morto na Área de Proteção Ambiental (APA) do Mestre Álvaro nessa terça-feira (28).

Voluntários da ONG Associação Ambientalista Amigos do Mestre Álvaro localizaram o animal e avisaram à Secretaria Municipal de Saúde. Os agentes municipais estiveram no local nesta quarta-feira (1), mas não recolheram o corpo para análise, alegando impossibilidade de realizar os exames devido ao avançado estado de decomposição.

“Recebemos informações de que seria possível sim fazer as análises, a partir da cabeça do macaco, mas a Prefeitura simplesmente não recolheu o corpo”, indigna-se um dos membros da ONG, Junior Nass. “Vamos ficar na incerteza se é febre amarela ou não”, revolta-se.

Desde o último domingo (26), a Prefeitura decretou, por orientação do Ministério da Saúde e da Vigilância Sanitária, o fechamento das sedes das APAs do Mestre Álvaro e Lagoa Jacuném e do Jardim Botânico/Horto Municipal. O Parque da Cidade permanecerá aberto até nova avaliação, prevista, a princípio, para esta segunda-feira (27).

Em Vitória, onze parques já haviam sido fechados desde sábado (25). A medida foi tomada depois da confirmação de ter sido febre amarela a causa da morte de um macaco encontrado em janeiro na Ilha do Frade.

O Parque Nacional do Caparaó, onde pelo menos dois macacos foram mortos pela doença, reabriu para visitação nesse sábado (25), depois de 22 dias fechado, porém, com restrições. A visita será autorizada para pessoas que comprovarem a imunização do vírus da febre amarela, com no mínimo 10 dias de antecedência.
 
Desde o dia 27 de janeiro, quatro parques estaduais – Pedra Azul/Domingos Martins, Forno Grande e Mata das Flores/Castelo e Cachoeira da Fumaça/Alegre – também foram fechados à visitação pelo Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema).

Em Vila Velha, a subsecretaria de Meio Ambiente informou, por meio da Assessoria de Comunicação, que “os parques municipais continuam abertos normalmente, mas que está monitorando os acontecimentos sobre a febre amarela e, caso haja necessidade de interdição, a população será informada”. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Problemas em série

A maré não está nada boa, mesmo, para a deputada estadual Raquel Lessa....

OPINIÃO
Editorial
A saúde está doente
Campanha do Simes recomenda que médicos não trabalhem na Serra por causa da violência. E os pacientes, ficam entregues ao deus-dará?
Renata Oliveira
Vai no bolo
As lideranças políticas capixabas devem ficar atentas para não serem atropeladas pelo rolo compressor da indignação
Lídia Caldas
A importância dos probióticos e prebióticos
Se você não se preocupar com isso estará dando passos largos para engrossar as estatísticas de doenças de causas evitáveis
Geraldo Hasse
É preciso equalizar o bem-estar
A crise do capitalismo pode ser resolvida mediante a adoção de um programa comunista de governo
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Nenna – parte II: early years na ilha
Panorama Atual

Roberto Junquilho

A Odebrecht quebrou a "Omertá", e agora?
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

A sombra
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Juiz determina bloqueio dos bens do ex-prefeito de Castelo

Problemas em série

Paulo Ruy Carnelli vai, afinal, explicar por que enterrou o Aquaviário?

Hartung sanciona lei de doações de bens móveis para municípios

Estratégia política palaciana pode favorecer deputados do interior