Seculo

 

Militante critica acessibilidade da Câmara de Vitória


05/03/2017 às 18:14
Na tribuna livre da sessão de quinta-feira (2) da Câmara de Vitória, o membro do Movimento Organizado de Valorização da Acessibilidade (Mova), José Olympio Rangel, criticou duramente a acessibilidade da Casa. “Eu queria começar o meu discurso já desculpando Vossas Excelências pela discriminação que as pessoas com deficiência passam aqui nessa Câmara. Então, eu desculpo a vocês em nome de todas as pessoas com deficiência por enquanto”, ironizou. 
Ele leu para os vereadores o artigo 4 do Decreto Federal 6949/2009, que promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007: “Os Estados Partes se comprometem a assegurar e promover o pleno exercício de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais por todas as pessoas com deficiência, sem qualquer tipo de discriminação por causa de sua deficiência”.
 
A Câmara de Vitória registra problemas de acessibilidade há muito denunciadas por pessoas com deficiência. Um dos exemplos mais gritantes é o banheiro da Casa, que não é adaptado.
 
O vereador Davi Esmael (PSB), no entanto, lembrou que as intervenções físicas na Câmara é atribuição exclusiva do presidente da Mesa Diretora, que é o ordenador de despesas. Esmael lembrou um acordo firmado na gestão Namy Chequer (PCdoB), entre 2015 e 2016, para realizar as adaptações na Câmara, que no entanto não foram cumpridas.
 
O novo presidente da Casa, Vinícius Simões (PPS), pediu a Olympio uma chance para que possa “transformar a Câmara em um local absolutamente acessível e ser um exemplo para a cidade”. “Tenha de mim a prioridade nessa questão”, disse, convidando Olympio para discutir em reunião detalhes em relação acessibilidade na Câmara.
 
O projeto Porta a Porta, serviço municipal de oferta de transporte para pessoas com deficiência, também foi criticado. Há, segundo Olympio, 340 pessoas na lista de espera para usar o serviço. “Acho que nos temos que chamar a comissão de transporte da Câmara, todos os vereadores, para que nos retomemos essa discussão. Você fala em 340 na lista de espera. Isso era dois anos atrás, hoje deve ter muito mais”, disse Neuzinha de Oliveira, presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Acessibilidade da Câmara de Vitória. 
 
Olympio também cobrou o serviço de intérprete de libras na Câmara de Vitória. “Não é possível que pessoa com deficiência auditiva não tenha direito de escutar o que está acontecendo aqui dentro”.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

PH é estopim da crise no PSDB

Crise no partido é prenúncio de que a era Hartung está encerrando seu ciclo no Espírito Santo

OPINIÃO
Editorial
Oásis
Os capixabas que ouvem o governador Hartung propagandear os atrativos do ES devem pensar que moram em outro Estado
Renata Oliveira
Paraísos artificiais
O que o governador Paulo Hartung e o prefeito Luciano Rezende têm em comum?
Gustavo Bastos
O verão do amor e o movimento hippie
O que representava o movimento hippie como tal era a utopia
Geraldo Hasse
As abelhas e o Agro
Alguns líderes se dão conta da mútua dependência entre animais e plantas
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Este blog fica por aqui
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Olha no mapa
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Oásis

'Eu quero uma direção independente, capaz de optar pela melhor estratégia no ano que vem’

Fórum de Fundão não conta com nenhum analista judiciário

Pó preto extrapola legislações municipal e estadual e ONG cobra providências

Estratégia do PSDB nacional pode desmontar ação de Ricardo Ferraço