Seculo

 

Unanimidade à força


09/03/2017 às 15:38
O governador Paulo Hartung (PMDB) fez um discurso carregado de simbolismos na solenidade de posse dos novos membros de sua equipe para a segunda parte do mandato. A solenidade que aconteceu nesta quinta-feira (9) no Palácio Anchieta reuniu autoridades de vários poderes. Hartung tentou convencer os presentes de que seu arranjo (institucional e político) continua bem forte. Mas será que é assim mesmo?
 
A crítica ao perfil político do secretariado foi rebatida com o governador destacando a excelência das pessoas que o cercaram e o cercam ao longo de sua trajetória política, mas não chamou ninguém de Neymar. Hartung está se cercando de lideranças políticas de vários municípios e vai usar o espaço do governo para fortalecer as lideranças que vão se tornar a base de seu palanque em 2018. Palanque que, em princípio, objetiva o Senado.
 
Hartung também fez afagos nos que seguraram a onda durante o caos na segurança pública. Elogiou o vice-governador César Colnago (PSDB), o secretário de Direitos Humanos, Júlio Pompeu, e o secretário de Controle e Transparência Eugênio Riccas, que fizeram a tropa de choque do governo durante a crise, integrando a Comitê Permanente de Negociação.
 
O governador ainda tirou casquinha da crise, alegando que muita gente esfregou as mãos torcendo pelo caos, o que irritou muita gente na classe política. Afinal, se havia alguém no Espírito Santo que sabia da iminência do movimento da Polícia Militar, essa pessoa era o governador, como ele mesmo afirmou, na época da crise, em entrevista para a jornalista Miriam Leitão, e posteriormente, na Folha de S. Paulo, mesmo assim o governador não agiu para evitar o pior.
 
As ações de Hartung, com os projetos que incentivam a inadimplência (Refis) e o controle que vai controlar o acesso dos militares ao seleto clube de oficiais, aliados ao seu discurso autoelogioso, desconectado com o mundo de críticas ao seu modelo, mostram que o governador inaugura uma nova postura em seu terceiro mandato.
 
Se no passado Hartung buscava seduzir as lideranças, com trocas vantajosas, agora o discurso é ame-o ou deixe-o. Hartung falou muito em time, em acreditar no coletivo, mas isso só vale se ele for o técnico, o juiz e o dono do clube.
 
Fragmentos:
 
1 – O ex-deputado estadual Atayde Armani deve assumir a presidência do DEM estadual. O partido estava sob o comando do ex-prefeito de Vila Velha, Rodney Miranda, que deixou o posto para assumir a Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado.
 
2 – O deputado estadual Theodorico Ferraço assumiria o posto, mas acabou apoiando Armani para o comando da sigla. Ele também recebeu o apoio de Rodney Miranda, da deputada federal Norma Ayub e demais membros do partido.
 
3 – A juíza da 1ª Vara do Trabalho de Guarapari, Ana Paula Rodrigues, deu ganho de causa para ex-funcionários de uma prestadora de serviços da prefeitura de Guarapari e vão receber as rescisões de contrato. A Justiça determinou o sequestro de bens da prefeitura de cerca de R$ 500 mil para pagar a dívida com a Albina Limpeza e Conservação.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Leonardo Duarte/Secom
Uma coisa só

Enquanto no campo nacional PRB e MDB ainda estão em fase de namoro, no Estado o partido já é um “puxadinho” de Hartung. E tudo começou com Roberto Carneiro...

OPINIÃO
Editorial
MPES omisso
Ministério Público decidiu não participar das audiências de custódia. Um dos prejuízos: denúncias contra tortura, comumente relatada por presos
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
Geraldo Hasse
Vampirismo neoliberal
O governo oferece refrescos aos trabalhadores enquanto suga seu sangue
Roberto Junquilho
Quem governa?
Um novo porto na região de Aracruz demonstra que, para as corporações, as minorias não importam
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uh, Houston, temos um problem
MAIS LIDAS

Sindicato protocola denúncias contra Sesa por contratação de Organizações Sociais

Corrida ao Senado sinaliza mudança na bancada capixaba

Quem governa?

Vampirismo neoliberal

Greve dos professores de Vitória continua por tempo indeterminado