Seculo

 

Deputado dá 'colher de chá' à ECO-101 e adia reunião para empresa explicar irregularidades


12/03/2017 às 21:22
A Comissão de Infraestrutura de Assembleia Legislativa adiou para o próximo dia 27 a reunião que aconteceria nesta segunda-feira (13) com a diretoria da ECO-101, concessionária do trecho capixaba da rodovia BR-101. A mudança foi solicitada pela própria empresa, que pediu mais prazo para levantamento de informações. O pedido foi prontamente acatado pelo presidente da comissão, deputado estadual Marcelo Santos (PMDB). 
 
A "colher de chá" causa estranheza em um momento em que indícios de graves irregularidades na execução do contrato de concessão atingem a ECO-101. A reunião desta segunda seria para a empresa prestar esclarecimentos.
 
Acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU) apontou atrasos na execução de várias obras previstas nos primeiros anos de concessão. Nessa semana, o Ministério Público Federal no Espírito Santo (MPF/ES) expediu para que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) determine que o recálculo do valor dos pedágios cobrados na via. A Procuradoria recomendou, ainda, que sejam aplicadas as sanções contratuais previstas, após a apuração das obrigações que não foram cumpridas pela empresa.
 
O MPF-ES recebeu do Tribunal de Contas da União (TCU) documentos demonstrando que, no decorrer do terceiro ano de concessão da via, houve, por parte da concessionária, descumprimento de 55% do investimento programado. Com isso, o atraso tem gerado desequilíbrio econômico em favor da empresa. A sugestão da Corte é de que o valor do pedágio seja reduzido em R$ 0,10, no próximo reajuste.
 
Segundo o documento, os investimentos que deveriam ter sido inciados e/ou concluídos durante 2016 e não foram realizados são a duplicação dos sub-trechos D (km 228,9 ao km 255,8) e E (km 255,8 ao km 305, 8); a construção do contorno de Iconha; a construção de 27 quilômetros de vias locais; a construção de 16 passarelas de pedestres; retificações de traçado, visando a reduzir os acidentes da rodovia, por meio da melhoria dos raios de curva, da visibilidade, da superelevação e da superlargura de alguns trechos da BR; entre outros.
 
O órgão ministerial considera que a ANTT tem o dever de controlar o contrato de concessão de forma a zelar pelos interesses dos usuários e não permitir que haja descumprimento das obrigações da concessionária.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mais um 'lote'

Depois de conseguir o controle do PSDB e retomar o do DEM, Hartung se volta para um antigo aliado: o PDT

OPINIÃO
Editorial
'Caos' das artes
Previsão de gastos com Cais das Artes até 2018 daria para comprar 60 clubes iguais ao Saldanha da Gama
Piero Ruschi
Perseguição à honra de Ruschi
Infelizmente, de nada valeram meus 14 anos de contribuição mediante a minha postura de defender o Museu Mello Leitão, criado por meu pai
Renata Oliveira
Cidadãos ilustres
Assembleia deve tomar cuidado com suas medalhas, pois os homenageados de hoje podem ser os apedrejados de amanhã
Gustavo Bastos
Bancas de jornal
A banca de jornal, hoje, é um mundo que tem tudo
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
Caetano Roque
Agora é tarde
Não adianta a bancada fazer discurso a favor do trabalhador se ela votou quase à unanimidade a favor do impeachment
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Mais um 'lote'

Operação da Polícia Federal pune empresa que lançava esgoto in natura no Rio Doce

PDT realiza convenção estadual em dezembro de olho em 2018

Impopularidade de proposta teria pressionado recuo em homenagem a Lula

MPES quer reinclusão do fundador da Imetame em ação de improbidade