Seculo

 

Ferraço, o agitador


14/03/2017 às 11:47
O cenário político para o governador Paulo Hartung (PMDB) está muito diferente dos velhos tempos da unanimidade. Disputa na eleição da Associação dos Municípios do Estado (Amunes) e a formação de uma frente parlamentar na Assembleia Legislativa mostram que a polarização está ganhando cada vez mais corpo no Estado.
 
Esse cenário não teve início a partir da disputa eleitoral de 2014 ou com a crise na segurança, que deixou a população capixaba trancada em casa por mais de uma semana. Ele começou a se tornar visível a partir da posição do deputado estadual Theodorico Ferraço (DEM), que passou a se desalinhar da base governista.
 
A não reeleição de Ferraço para a presidência da Assembleia deixou o deputado magoado, não pela disputa, mas pela ingerência do governador Paulo Hartung no processo, a quem o deputado tanto ajudou à frente da Mesa Diretora. Uma vez na oposição, Ferraço traz segurança aos colegas de Plenário para engrossarem o coro dos descontentes.
 
É verdade que não foi ele quem inaugurou a possibilidade de se questionar o governador na Assembleia. O deputado Sérgio Majeski (PSDB) tem feito isso desde o primeiro dia de mandato. Mas não se tratava até aqui de um movimento oposicionista, apenas reflexivo sobre os assuntos em pauta. Majeski se declarou oposição recentemente, e assinou ao lado de Ferraço e dos dois deputados do PSB – Bruno Lamas e Freitas – a criação da frente parlamentar.
 
Mas a questão é que os questionamentos de Majeski não preocupavam o governo, já que são pautados na discussão legalista. O que Majeski faz é com base no regimento e nos anseios da sociedade verbalizar as insatisfações e os problemas na linha política do governador. Mas com Ferraço é diferente, já que se trata de uma oposição política propriamente dita, que garante um pilar para a base.
 
Não é por acaso que o governador já tenha, segundo a rádio corredor, procurado Ferraço para conversar. Há quem diga que o próprio Hartung já ligou umas quatro vezes para Ferraço e não teria sido atendido. Não tem jeito, Hartung, pela primeira vez desde 2003, vai ter de enfrentar uma oposição vinda de um ator político histórico no Estado. Um ator político que, por sinal, já deu início ao processo de desgaste que marcou o fim da carreira política de um governador no passado.
 
Fragmentos:
 
1 – As mulheres são as mais prejudicadas na proposta de reforma da Previdência Social do governo federal em tramitação na Câmara dos Deputados. Ela participou do evento na Assembleia Legislativa nessa segunda-feira (13) para debater as políticas para mulheres.
 
2 – Segundo a senadora a proposta original fará com que as mulheres percam 10 anos de aposentadoria. Isso porque em vez de 55, elas só poderão parar de trabalhar aos 65 anos. “Elas terão de pagar mais uma década para a Previdência. Os prejuízos são relativos a 130 salários a menos”.
 
3 – “Da mesma forma que você cidadão capixaba, que luta com tanta dificuldade, sabe qual é o saldo de sua conta corrente, é importante dar transparência e possibilitar o conhecimento de quantos bilhões existem na conta do governo do Estado, administrados pelo competente governador Paulo Hartung”, ironizou o deputado Bruno Lamas, em sua página no Facebook.

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Leonardo Duarte/Secom
Uma coisa só

Enquanto no campo nacional PRB e MDB ainda estão em fase de namoro, no Estado o partido já é um “puxadinho” de Hartung. E tudo começou com Roberto Carneiro...

OPINIÃO
Editorial
MPES omisso
Ministério Público decidiu não participar das audiências de custódia. Um dos prejuízos: denúncias contra tortura, comumente relatada por presos
Piero Ruschi
Pets: uma questão de responsabilidade socioambiental
Felizes as pessoas que podem ter um animal de estimação! Felizes os animais de estimação que têm um dono responsável!
Gustavo Bastos
Para que Filosofia?
''é melhor existir do que o nada''
Bruno Toledo
Por que negar os Direitos Humanos?
Não há nada de novo nesse discurso verde e amarelo que toma as ruas. É a simples manutenção das bases oligárquicas do Brasil
Eliza Bartolozzi Ferreira
Políticas de retrocesso
Dados educacionais do governo Paulo Hartung são alarmantes
Geraldo Hasse
Vampirismo neoliberal
O governo oferece refrescos aos trabalhadores enquanto suga seu sangue
Roberto Junquilho
Quem governa?
Um novo porto na região de Aracruz demonstra que, para as corporações, as minorias não importam
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uh, Houston, temos um problem
MAIS LIDAS

Sindicato protocola denúncias contra Sesa por contratação de Organizações Sociais

Corrida ao Senado sinaliza mudança na bancada capixaba

Quem governa?

Vampirismo neoliberal

Greve dos professores de Vitória continua por tempo indeterminado