Seculo

 

Fórum de Lutas contrapõe crise na segurança e política de ajuste fiscal de Hartung


14/03/2017 às 16:52
O Comitê Pró-Fórum de Lutas Sociais, do Fórum Capixaba de Lutas Sociais contra a Austeridade, produziu um vídeo sobre a crise na segurança pública no Espírito Santo. Durante 22 dias, mulheres e familiares de policiais militares bloquearam os acessos dos quartéis e batalhões, impedindo que a PM fosse para as ruas, o que deixou a segurança em colapso.
O vídeo de 20 minutos reúne relatos de professores e lideranças sociais, apontando que o caos na segurança é consequência da política de ajuste fiscal do governador Paulo Hartung (PMDB). 
As leituras sobre os fatos, segundo os produtores, foram gravadas em meio aos acontecimentos e buscam ressaltar a importância de registrar as mortes (cerca de 200, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública), e a luta contra as políticas de austeridade do governo do Estado. 
Na abertura do vídeo, a professora do Departamento de Ciências Sociais da Ufes, Lívia Moraes, lembra que entre as vítimas dos homicídios predominam jovens negros moradores das periferias. Para a professora, a política de austeridade gera piores condições de trabalho, o sucateamento do serviço público, além de ratificar o extermínio de jovens negros das áreas menos favorecidas.
Para o professor Humberto Ribeiro Júnior, do Observatório de Direitos Humanos e Justiça Criminal do Estado (Odhes), o governador Paulo Hartung pôs o Espírito Santo no trilho da política neoliberal, desde que assumiu seu primeiro mandato, em 2003. Política que daria as bases para o atual ajuste fiscal que é a marca deste terceiro mandato de Paulo Hartung. Ribeiro Júnior adverte que essa política trouxe efeitos sociais terríveis para os segmentos menos favorecidos da população, sobretudo para os jovens e negros. 
Ele também critica a política de encarceramento do governo, que fez crescer a população prisional capixaba nos últimos anos. Para o mestre em Segurança Pública, as pessoas excluídas da sociedade de consumo são controladas por meio de uma política criminal. Ribeiro Júnior diz que em vez de ter uma política pública voltado para os excluídos, o governo tem uma política criminal que prioriza o encarceramento.
Confira a seguir o vídeo “Quanto vale uma vida? Política de segurança e a crise da austeridade no Espírito Santo”, do Fórum Capixaba de Lutas Sociais contra a Austeridade
 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Mesmo barco

Se Majeski deixar o PSDB e decidir por uma candidatura majoritária, primeiro tucano a revoar atrás será Luiz Paulo Vellozo Lucas

OPINIÃO
Editorial
Fosso social
No Espírito Santo, população negra é mais vulnerável à violência, é maioria no sistema carcerário e nas filas de desempregados
Renata Oliveira
Só espuma
Os pretensos vices-presidentes Paulo Hartung e Magno Malta se mostram ao mercado, mas só terão seus encaixes em 2018
JR Mignone
Rádio bandeira
A trajetória deste segmento de rádio em capitais é grande
Geraldo Hasse
Os golpes se sucedem
Em plena era do GPS, a reforma trabalhista sugere multiplicar os ''chapas''
Caetano Roque
Agora é tarde
Não adianta a bancada fazer discurso a favor do trabalhador se ela votou quase à unanimidade a favor do impeachment
BLOGS
Flânerie

Manuela Neves

Quem me ensinou a nadar
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Fuga do Paraíso
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Conselheiro José Antônio Pimentel vira réu em ação penal por corrupção

MPES quer fim do uso de comissionados na segurança da Assembleia

Mesmo barco

Mesa Diretora da Assembleia 'desomenageia' ex-presidente Lula

Arquivada denúncia de irregularidades na compra de software pelo IPAJM