Seculo

 

Sindibancários lança campanha contra privatização do Banestes


14/03/2017 às 23:14
“Esse banco é da nossa conta”. Esse é o tema da campanha lançada nesta terça-feira (14), no Centro de Vitória, em defesa do Banestes público e estadual. Os bancários lançaram ao céu balões com as cores da bandeira do Espírito Santo (rosa e azul) para marcar a mobilização em todo o Estado contra a privatização do banco. “É preciso a união de todos para garantir a continuidade do Banestes público e estadual”, disse Jonas Freire, coordenador-geral do Sindibancários-ES. 
 
Freire afirmou que o sindicato irá visitar todas as agências do Banestes no Estado e conversar com todos os trabalhadores sobre a ameaça de venda do banco. “O Banestes tem mais de 80 anos de história e é o banco com maior credibilidade financeira do Espírito Santo. E quem constrói essa credibilidade somos nós, trabalhadores”, disse Freire.
 
Como acionista majoritário do Banestes, o governo do Estado fica com 92,37% dos dividendos distribuídos aos acionistas. Em 2016, esse valor chegou a R$ 53,25 milhões, como destacou o bancário Ricardo Gobbi, funcionário do Banestes há 33 anos, que participou do ato. “Antes de ser empregado do banco, sou cidadão capixaba e defendo o Banestes, pois ele é um instrumento fundamental para a política econômica e de desenvolvimento do Espírito Santo”. Ele lembrou que os recursos do banco proporcionam a injeção de recursos na agricultura familiar e em outros segmentos da economia, favorecendo o desenvolvimento do Estado. 
 
O lançamento da campanha em defesa do Banestes público e estadual contou com a participação de representantes de entidades sindicais e de outras organizações dos trabalhadores. “O Banestes e a Cesan são duas empresas coirmãs e, como tais, desempenham um importante papel no Espírito Santo, prestando serviços estratégicos e essenciais para a população capixaba. É inadmissível que o governo do Estado possa querer privatizar tanto o Banestes, um banco que tem uma função social importante para o povo do Espírito Santo, quanto a Cesan, que presta um serviço público essencial. A luta dos bancários do Banestes é a luta dos trabalhadores do saneamento”, destacou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Espírito Santo (Sindaema), Fábio Giori.
 
Lino de Souza, diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal do Espírito Santo (Sintufes), também declarou apoio à campanha. “Temos que nos unir para defender o Banestes que é patrimônio do povo. Não podemos deixar que nossa riquezas sejam vendidas para os interesses dos governos que visam apenas o lucro. Por isso estamos nessa luta e vamos, juntos, enfrentar o desmonte do patrimônio público promovido pelos atuais governos”.
 
Para a dirigente da Intersindical e do Sindibancários, Rita Lima, a ameaça de privatização do Banestes faz parte de um projeto maior de entrega das empresas públicas brasileiras ao setor privado. “Já estamos com a campanha nacional ‘Se é público é para todos’ em defesa das empresas públicas, pois lutar pela presença do Estado em setores estratégicos é defender o Brasil. 
 
Venda já foi cogitada
 
No começo de 2009, no penúltimo ano do segundo mandato do governador Paulo Hartung, foram iniciadas as negociações para a venda do Banestes para o Banco do Brasil, proposta suspensa em junho daquele ano, após ampla mobilização do Comitê em Defesa do Banestes. 
 
O preço do banco foi estimado na ocasião em aproximadamente R$ 1, 1 bilhão. De 2009 a 2016, a soma do lucro líquido do Banestes representou R$ 1,019 bilhão. Considerando o valor nominal, ou seja, sem a inflação do período, se a venda tivesse sido concretizada em 2009, num prazo de oito anos, o comprador teria recuperado praticamente todo o valor pago pelo Banestes e ainda teria um banco rentável e em crescimento como seu patrimônio. 
 
Com mais de 800 postos de atendimento, o Banestes é o único banco presente nos 78 municípios capixabas, sendo 19 deles atendidos apenas pelo banco estatal. O Banestes tem atualmente 2,5 mil funcionários. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Fazendo escola

Temer em Brasília, Hartung e Luciano Rezende no Espírito Santo: retaliações a quem anda “fora da linha” nunca estiveram tão na moda como agora

OPINIÃO
Editorial
Em causa própria
Promotor Marcelo Zenkner usa cargo público para promover projeto pessoal
Piero Ruschi
Festa de fachada
Comemoração da Sambio evidencia que o Museu Mello Leitão segue precisando de verdadeiros amigos
Renata Oliveira
Pela emoção
Magno Malta sempre tem uma carta na manga para a disputa eleitoral. Mas desta vez o cenário é diferente
JR Mignone
O repórter e a polícia
A vítima não foi repórter, foi a professora
Caetano Roque
Inversão de papéis
O movimento sindical foi dar uma de direita e agora perdeu o caminho da rua
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

Um homem nu.
Flânerie

Manuela Neves

Sizino, o pioneiro
Panorama Atual

Roberto Junquilho

O cinismo explícito e a esperança de fora Temer renovada
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

O tempo entre as vírgulas
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Promotor com trabalho atrasado está prestes a ser premiado para passar um ano nos Estados Unidos

Grupo de Luciano tenta sufocar oposição com corte de cargos

Fazendo escola

PP classifica como 'desproporcional' críticas de vereador contra Hartung

Hartung e Casagrande seguem disputando espaço no interior