Seculo

 

Sociedade dos Amigos do Museu Mello Leitão não defende o Mello Leitão


15/03/2017 às 17:17
“Como é possível encarar a alienação do patrimônio do MBML como uma ação de utilidade pública, de proteção ao MBML? Ela não está cumprindo a sua principal missão”. O questionamento, feito pelo biólogo Piero Angeli Ruschi, coloca o dedo na ferida e expõe o que ele considera descaso da Sociedade dos Amigos do Museu Mello Leitão (Sambio) em relação ao desmonte do Mello Leitão em função da criação do Instituto Nacional da Mata Atlântica (INMA).

Não só a atual gestão, presidida por Arlindo Serpa Filho, mas também a anterior, liderada por Margareth Cancian Roldi, se uniram a um grupo de professores da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes,) na coordenação do Movimento em Defesa do INMA (MoveINMA), dedicado a levar a cabo a extinção do Museu –revertida posteriormente – e a alienação de todo o seu patrimônio.

Os questionamentos foram formalizados em um requerimento protocolado na última semana à diretoria da Sambio. No documento, Piero destaca o Artigo 1º do Estatuto da ONG, em que, no inciso IV, está dito: “Apoiar e estimular medidas que visem a salvaguardar e proteger o Museu de Biologia Professor Mello Leitão e o patrimônio científico cultural a ele pertencente, bem como a sua área física”.

Com base nessa finalidade primordial, Piero solicita que o presidente da Sambio se posicione sobre “a abstinência da referida Sociedade” em relação à “defesa institucional do Museu”. O biólogo, filho caçula de Augusto Ruschi e associado à Sambio, cita ainda em seu requerimento o apoio da Sambio ao “trâmite de transferência do patrimônio físico, coleções, direitos e obrigações do Museu de Biologia Prof. Mello Leitão para o recém-criado Instituto Nacional da Mata Atlântica”.

O requerimento foi formalizado após a última reunião da Sambio, no dia sete de março, quando os mesmos questionamentos foram feitos verbalmente à diretoria na presença de jovens pesquisadores. “O presidente não respondeu a nenhuma das minhas questões. Se alterou em alguns momentos, fazendo acusações indevidas e desviando o foco das perguntas. E chegou a dizer que a alienação do patrimônio do Museu deve ser tratada pela próxima diretoria, a ser eleger no final deste ano”, relata Piero, destacando que os jovens pesquisadores simplesmente desconhecem os fatos desencadeados a partir de 2014, com a publicação da lei que extinguiu o MBML. “Eles ficaram sensibilizados, precisam de mais esclarecimentos para somarem na luta pela salvação do Museu”, pondera.

O biólogo, que conclui recentemente seu doutorado no Museu Nacional do Rio de Janeiro, também solicitou, formalmente, a renovação do seu vínculo como colaborador do MBML, pedido negado há alguns, quando feito verbalmente ao atual diretor, Helio de Queiroz Boudet Fernandes, que também tem sido omisso na proteção da própria instituição que dirige, como aponta Piero Ruschi.
  

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Cara e crachá

Uns publicaram vídeos e notas nas redes sociais, outros só notas, outros nada. Mas a CPI da Lava Jato continua na conta dos deputados arrependidos

OPINIÃO
Editorial
A Ponte da Discórdia
Terceira Ponte entra novamente no centro dos debates políticos em ano eleitoral. Enquanto isso, a Rodosol continua rindo à toa...
Piero Ruschi
O Governo do ES e seu amor antigo ao desamparo ambiental
Mais um ''Dia Mundial do Meio Ambiente'' se passou. Foi um dia de ''comemoração'' (política)
Bruno Toledo
Estado sem PIEDADE!
As tragédias que se sucedem no Morro da Piedade sintetizam as contradições mais evidentes e brutais do modelo de sociedade e de Estado que estamos mergulhados
Geraldo Hasse
Mundo velho sem catraca
Cinquenta anos depois, é possível fazer um curso técnico por correspondência via internet
Roberto Junquilho
Hartung, o suspense
O governador Paulo Hartung mantém o suspense e pode até não disputar a reeleição em 2018
BLOGS
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Uma revoada de colibris
MAIS LIDAS

Visita de interlocutores de Hartung a Rodrigo Maia sinaliza mudança de cenário

Juiz Leopoldo mais próximo de ir a Júri Popular por assassinato de Alexandre Martins

Contrato do governo do Estado com a Cetesb sobre poluição do ar continua sigiloso

Hartung, o suspense

LDO será votada na próxima segunda-feira na Assembleia