Seculo

 

Casa Porto segue com exposição coletiva de 17 artistas


16/03/2017 às 13:43

Imagine criar um desenho coletivo onde um artista dá continuidade ao trabalho do outro, mas com um detalhe: ninguém sabe o que cada um desenhou. Essa é a proposta da exposição Cadáver Esdrúxulo, ação que dialoga com os happenings e o movimento surrealista e que foi aberta ao público no último sábado (11), na Casa Porto das Artes Plásticas, que fica no Centro de Vitória.

A mostra coletiva reúne o trabalho de 17 artistas que têm o desenho como ponto comum. Ela surgiu a partir de uma série de conversas entre o artista Luciano Feijão e Fernando Gómez Alvarez, respectivamente, organizador e curador da exposição, além do reforço da linguista Bia Azurza e do apoio da coordenadora da Casa Porto, Kênia Lyra.

A obra é um trabalho de grandes dimensões, realizado em uma faixa de papel kraft espalhada ao longo de quase todas as paredes da galeria e que está centralizada à altura do olhar do espectador. Todos os desenhos têm em comum o material usado: carvão, tinta branca e nanquim, que são o fio condutor da obra.

Os artistas escolhidos foram selecionados a partir de uma pesquisa idealizada pelos organizadores da mostra e pela Casa Porto, que foram em busca de profissionais capixabas que tinham uma história ligada ao desenho.

Dessa pesquisa saíram os 17 nomes que compõem a coletiva: Ana de Sena; Alegria Falconi; André Magnago Alves; Fabíola Menezes; Fernando Augusto dos Santos; Fernando Gómez; Igor Maia; Jocimar Nalesso; Kenia Lyra; Liliana Sanches; Luciano Barreto; Mônica Leão; Renato Ren; Rick Rodrigues; Sandro Novaes; Thiago Arruda; e Valdelino dos Santos.

Serviço

A exposição Cadáver Esdrúxulo fica na Casa Porto até o dia 13 de maio, com visitações de terça a sexta, das 12h às 19h; e aos sábados, das 10h às 14h. A Casa Porto fica na praça Manoel Silvino Monjardim, Centro de Vitória. A exposição é aberta ao público. 

Leia Também

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem

.

SOCIOECONÔMICAS
Choque

Como diz o ditado, dois bicudos não se beijam. É isso mesmo, Fabrício Gandini?

OPINIÃO
Editorial
Política de encarceramento
Não adianta construir novos presídios. É preciso investir em políticas públicas que sejam capazes de prevenir a criminalidade
Renata Oliveira
Fica, gente!
Hartung tem se esforçado para manter ao seu lado os três grandes partidos do Estado: PT, PSDB e PDT
Ivana Medeiros Zon
Mude de vida
Pensar na influência do comportamento e dos hábitos individuais, incluindo os de consumo, vai muito além do que podemos imaginar.
Nerter Samora
Um novo Ministério Público
Renovação no quadro de procuradores de Justiça é oportunidade para novos grupos politicos
JR Mignone
A volta da reza
Em 2013 escrevi sobre o ''Poder da Reza''. Hoje volto com ela, pois rezar, orar, falar com Deus, meditar, seja como for, nunca é demais
Caetano Roque
Briga desleal
Com a mídia na mão, o capital consegue fazer com que o cidadão acredite nas mentiras que eles querem
BLOGS
Blog do Phil

Phil Palma

pelas beiras!
Flânerie

Manuela Neves

Carmélia, um pouco mais dela
Panorama Atual

Roberto Junquilho

Deputado vai propor CPI para apurar crime da Samarco
Mensagem na Garrafa

Wanda Sily

Entre sustos e suspresas
Gustavo Bastos
Blog destinado à divulgação de poesia, conteúdos literários, artigos e conhecimentos em geral.
MAIS LIDAS

Choque

Ferraço afirma que contrato de antecipação de royalties foi 'malfeito'

Presos do semiaberto vão trabalhar em obras e serviços públicos da Prefeitura de Colatina

Dúvida sobre relator do Caso Alexandre pode adiar julgamento de recurso no TJES

Da Vitória faz discurso apaziguador, mas mantém posição independente na Assembleia